Temporada 2020-21 – O Guia Completo da NBA

Não foi uma espera longa após a temporada anterior, a nova de 2020/21 já está aí! Várias restrições do COVID-19 ocorreram na última temporada e várias irão manter-se, principalmente mudanças no calendário normal. Haverá menos jogos, mas não menos emoção. Neste guia podes encontrar as principais novidades para a próxima época.

Algo que todos anseiam, é a decisão de permitir o regresso de espetadores aos pavilhões, que será tomada por cada equipa. Algumas inclusivamente decidirão apenas no decorrer da temporada, de acordo com as indicações das autoridades locais e regionais de saúde. A maioria das equipas ainda não revelou a sua decisão, mas até ao momento algumas como os Atlanta (entrada a familiares e 10% da capacidade), Orlando (poderá ir até 4000 por jogo), Cleveland (300 por jogo), Toronto (até 3800 por jogo) e Utah (aprox. 1500 por jogo) já apresentaram o plano para iniciar a entrada dos fãs.

Depois do sucesso da bolha Orlando, a liga irá ter um desafio ainda maior na organização da temporada no meio da pandemia. A NBA tem um extenso protocolo de saúde para as equipas cumprirem durante a temporada. Existem muitas orientações nas viagens, comportamentos diarios. Existem punições para quem não cumprir o protocolo. Possíveis adiamentos de jogos devido aos casos positivos, serão analisados caso a caso.

Quando um jogador tiver um resultado positivo de covid-19, se for assintomático, terá de ficar em isolamento durante 10 dias, passar no diagnóstico médico, e treinar nos dois primeiros dias de forma individual.

Se tiver sintomas, terá de ficar 10 dias em isolamento desde o início dos sintomas, e não do teste negativo. Depois terá de cumprir as mesmas regras anteriores.

Resumindo, o jogador com um teste positivo, terá de ficar sem jogar durante duas semanas.

Outra grande mudança serão os Toronto Raptors, que serão realocados temporariamente em Tampa, Flórida, devido às restrições de viagem que o governo canadiano colocou em prática durante a pandemia.

Apesar da redução significativa das receitas da liga, no acordo entre a liga e os jogadores, o salary cap ficou definido 109,140 milhões e o luxury tax em 132,627, ambos igual ao ano anterior.

A liga irá também autorizar agora 15 elementos ativos na ficha de jogo, ao contrário dos 13 na temporada passada. Continua a existir lugar a dois elementos de two-way contract na equipa, normalmente usados também em equipas da G-League.

Programação para a temporada 2020/21

Cada equipa jogará 72 jogos da temporada regular, são 10 jogos a menos que numa temporada típica da NBA, de 82 jogos. O plano é que cada equipa jogue três jogos contra cada adversário da mesma conferência (42 no total) e dois jogos contra cada adversário da conferência oposta (30 jogos). 

Num esforço de reduzir viagens, as equipas vão jogar uma minissérie contra os adversários, com dois jogos consecutivos na mesma cidade e contra a mesma equipa.

A programação da época será divulgada em dois momentos. A primeira metade da temporada 2020-21 já foi divulgada, e a segunda metade da programação será lançada em fevereiro.

A cidade de Indiana tinha previsto receber o All-Star weekend de 2021, mas foi decidido que este ano não haverá este evento. É possível que seja realizado mesmo assim um jogo de estrelas, ainda não confirmado. No entanto, a cidade de Indiana irá receber o evento em 2024 (Cleveland organizará em 2022 e Utah em 2023).

Principais datas da temporada:

18 de novembro: Realização do NBA Draft 2020

20 de novembro: Início das negociações de free agents

22 de novembro: Início de assinatura de contratos

1 a 5 de dezembro: Treinos individuais e Media Week

6 de dezembro: Início do campo de treinos

22 de dezembro a 4 de março: Primeira metade da temporada regular

5 a 10 de março: Apesar de não haver planos de realizar um jogo All-Star nesta temporada, haverá uma pausa nos jogos.

11 de março a 16 de maio: Segunda metade da temporada regular

25 de março: Fim do mercado de transferências

13 a 15 de maio: Introdução dos novos membros 2020 no Hall of Fame

18 a 21 de maio: Torneio de Play-In (últimos lugares de playoff)

22 de maio a 22 de julho: Playoffs da NBA de 2021

Primeiros três dias de jogos:

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é image-14.png
Primeira dia – Madrugada de 23 de Dezembro
Jogo Hora (PT)
Warriors @ Nets Meia noite
Clippers @ Lakers 3:00h

 Segundo dia – 23 de Dezembro

Jogo Hora (EST)
Hornets @ Cavaliers Meia noite
Knicks @ . Pacers Meia noite
Heat @ Magic Meia noite
Wizards @ 76ers Meia noite
Bucks @ Celtics 00:30h
Pelicans @ Raptors 00:30h
Hawks @ Bulls 1:00h
Thunder @ Rockets 1:00h
Spurs @ Grizzlies 1:00h
Pistons @ Timberwolves 1:00h
Kings @ Nuggets 2:00h
Jazz @ Trail Blazers 3:00h
Mavericks @ Suns 3:30h
Dia de Natal – 25 de Dezembro
Jogo Hora (EST)
Pelicans @ Heat 17:00h
Warriors @ Bucks 19:30h
Nets @ Celtics 23:00h
Mavericks @ Lakers 1h
Clippers @ Nuggets 3:30h

Draft da NBA 

Apesar da falta de brilho e ambiente que geralmente acompanha o Draft da NBA, o evento virtual de 2020 trouxe uma forma diferente de ligar os fãs às escolhas.

Anthony Edwards, da Universidade da Geórgia, foi a escolha nº 1 do draft, feita pelo Minnesota Timberwolves.

James Wiseman, da Universidade de Memphis, foi o nº 2 escolhido pelos Golden State Warriors, enquanto LaMelo Ball , irmão mais novo de Lonzo Ball , foi o terceiro, escolhido pelos Charlotte Hornets .

Patrick Williams foi selecionado pelos Chicago Bulls no quarto lugar, enquanto Isaac Okoro fechou o top 5 por escolha dos Cleveland Cavaliers.

A movimentações de mercado:

Lakers vencem também na offseason

O atual campeão, os Los Angeles Lakers, trocaram Danny Green por Dennis Schroder numa negociação pré-draft, na free agency foram buscar Montrezl Harrell aos Clippers, que venceu Schroder para o melhor sexto jogador. Rob Pelinka estava apenas a começar a offseason.

O vice-presidente das operações de basquetebol dos Lakers também trouxe Wesley Matthews e passou de Dwight Howard para Marc Gasol. E Pelinka ainda não tinha terminado.

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é image-18.png

Os anúncios consecutivos de uma extensão de dois anos para LeBron James e de cinco anos para Anthony Davis foram o grande final. Não apenas os Lakers melhoraram o núcleo, mas esse núcleo poderá estar junto mais tempo. Eles foram, de longe, os vencedores desta offseason, e James é o vencedor, porque os seis anéis que antes pareciam inatingíveis agora estão ao seu alcance.

Kevin Durant e Kyrie Irving estão de volta

Kevin Durant não joga oficialmente desde o jogo 5 das finais da NBA de 2019. Mais de 18 meses passaram desde que vimos pela última vez o MVP de duas finais em acção. Isso não o impediu e também ao novo companheiro Kyrie Irving de assinar acordos de quatro anos, para se juntarem aos Brooklyn Nets, em julho de 2019. Irving jogou apenas 20 jogos na temporada passada antes de ser submetido a uma cirurgia no ombro.

Durant declarou-se saudável, dizendo aos jornalistas, “Sinto-me bem”. Em vez de falar com a imprensa este ano, Irving emitiu um comunicado para dizer que “estou pronto para me divertir, competir, apresentar-me e ganhar campeonatos”.

Durant e Irving vão juntar-se a uma equipa que ficou em sétimo lugar na conferência. Os Nets têm um núcleo jovem e talentoso, incluindo Caris LeVert, Spencer Dinwiddie, Joe Harris e Jarrett Allen, além da chegada de Landry Shamet.

Jrue Holiday para os Bucks

Os Milwaukee Bucks fizeram um acordo pré-draft, fazendo trocas pelo base dos New Orleans Pelicans, Jrue Holiday, e dos Sacramento Kings, Bogdan Bogdanovic. Mas, Bogdanovic nunca assinou o que teria sido um acordo de sign and trade, optando por testar o mercado.

O fracasso em conseguir Bogdanovic tirou algum brilho da aquisição de Holiday, que custou o base Eric Bledsoe, o suplente George Hill, três escolhas de primeiro round e duas trocas de pick. Não é um preço baixo para um jogador que não é um All-Star desde 2013, mesmo que Holiday seja um dos jogadores mais subestimados da liga e indiscutivelmente um dos melhores defensores. Ele é um upgrade em relação a Bledsoe e um complemento ideal para Giannis Antetokounmpo, numa equipa que foi a número 1 na temporada regular.

Os Bucks fez vários movimentos, adicionaram DJ Augustin, Bobby Portis, Bryn Forbes e Torrey Craig da free agency, mas não adicionou ninguém como Bogdanovic, que teria jogado minutos decisivos, numa rotação que não atendeu às expectativas dos playoffs. Entretanto Antetokounmpo já assinou a sua extensão de contrato, e veremos como funcionará a nova candidatura dos Bucks ao título.

A lesão Klay Thompson

Tal como Durant, Klay Thompson não joga desde as finais de 2019, quando sofreu uma rutura de ligamentos que lhe custou a temporada de 2019-20. Os Warriors também perderam em dois momentos Stephen Curry. O resultado foi o pior registo da liga.

Esta temporada deveria trazer a promessa de que os Splash Brothers voltariam, e restaurar o estatuto de Golden State como um candidato ao título. A notícia da lesão de Thompson, na noite do draft, ofuscou a escolha número 2, James Wiseman. Foi um golpe devastador que custará a um dos jogadores mais eletrizantes do jogo mais um ano.

A esperança é que o retorno saudável de Curry, juntamente com a entrada de Wiseman, para uma equipa que conta com Draymond Green e Andrew Wiggins ainda possa competir por uma vaga nos playoffs. Os Warriors rapidamente adquiriram Kelly Oubre Jr. e contrataram Kent Bazemore para a rotação. Mas nenhum fará esquecer Thompson. Não há dúvida de que a expetativa de Golden State caiu bastante.

Russell Westbrook trocado por John Wall

A parceria entre os ex-MVPs Russell Westbrook e James Harden pouco produziu nos playoffs da temporada passada. Isto levou aos dois jogadores a quererem sair dos Houston Rockets que havia sido um candidato nas duas temporadas anteriores. Westbrook realizou o seu desejo numa negociação onde segue para os Washington Wizards por John Wall, que esteve muito tempo parado devido a lesão.

Os Wizards livraram-se de um contrato grande, mas custou-lhes uma pick protegida. Ao dar Wall, que não joga mais de 41 jogos numa temporada desde 2016-17, receberam Westbrook, que, apesar de todas da sua forma de jogar a base e lançamento, ainda entrou para a equipa All-NBA na temporada anterior. Irá juntará ao All-Star Bradley Beal, Davis Bertans e um conjunto de jovens jogadores promissores. Westbrook transformar uma má temporada de 25 vitórias numa equipa de playoff no Este.

Enquanto isso, a situação de Harden não foi resolvida em Houston. Chegou atrasado ao campo de treinos e ainda pretende sair, de preferência para os Brooklyn Nets ou os Philadelphia 76ers. Nenhuma das equipas oferece valor igual em troca. Harden tem pelo menos dois anos restantes no contrato, este desejo de sair pode atrapalhar os Rockets por algum tempo. Isso é será uma pena para uma equipa que adicionou Christian Wood na free agency e DeMarcus Cousins ​, num conjunto onde se inclui PJ Tucker e Eric Gordon.

76ers renovados

O ex-GM dos Rockets, Daryl Morey, fez parte das saídas de Houston. Renunciou ao seu lugar, e aceitou entrar nos Philadelphia 76ers poucos dias depois. A sua primeira tarefa foi adquirir peças para ajudar Ben Simmons e Joel Embiid. Foi a solução mais simples para a confusão tática da temporada anterior.

Morey enviou Al Horford e Josh Richardson para receber Danny Green e Seth Curry.  Estes dois jogadores irão ser os lançadores de serviço. Philadelphia também acrescentou Dwight Howard, que irá ser o suplente de Embiid, desde que jogue como fez nos Lakers.

Os Sixers foram uma das maiores deceções da liga na temporada passada. Ficaram no sexto lugar na classificação da conferência Este, depois foram varridos na primeira ronda pelos Boston Celtics, no qual contribuiu a lesão no joelho de Simmons no final da temporada. Uma solução rápida para a melhoria será o comprometimento total de Embiid nos dois lados do campo.

Chris Paul mudou-se para os Suns

Chris Paul fez uma grande temporada aos 35 anos, levando os Oklahoma City Thunder às semifinais da conferência Oeste. No processo, apesar do seu contrato menos desejável, voltou a ficar com várias equipas interessadas. A jovem equipa dos Phoenix Suns garantiram os últimos dois anos deste contrato do base All-Star.

A troca custou aos Phoenix dois titulares de uma equipa que surpreendeu na bolha em Orlando, com um registo de 8-0, além de uma escolha do Draft de 2022 na primeira ronda.  No entanto, a liderança de Paul deverá fazer maravilhas para a estrela em ascensão Devin Booker e a outra escolha número 1 do Draft, Deandre Ayton, numa equipa que não vai aos playoffs desde 2010.

A saída de Paul foi parte de uma transformação grande em Oklahoma City, que também viu sair na free agency Danilo Gallinari, Schroder e Steven Adams através de trocas. Os Thunder adquiriram os veteranos Al Horford, George Hill e Trevor Ariza. O GM dos OKC, Sam Presti, trocou talento à volta da estrela em ascensão Shai Gilgeous-Alexander, por uma pilha de picks no Draft durante vários anos.

Hawks foram atrás da free agency

Os Atlanta Hawks entraram na free agency com mais espaço salarial do que qualquer outra equipa. Eles agiram com o intuito de terminar a seca de quatro anos fora dos playoffs, perseguindo e garantindo dois dos maiores free afents num mercado nada impressionante, Danilo Gallinari e Bogdan Bogdanovic.

Bogdanovic é mais um lançador ao lado de Trae Young, e Gallinari, de 32 anos, traz um conjunto de habilidades semelhantes para uma equipa que conta também com John Collins e Clint Capela. É uma equipa com poucos veteranos, terão de fazer muito melhorar na defesa, na estatística ficaram em 28º lugar na temporada anterior.

O GM dos Hawks, Travis Schlenk, também contratou Rajon Rondo dos Lakers para ser o mentor de Young e acrescentou o base Kris Dunn para trazer um pouco de energia defensiva numa equipa necessitada neste ponto. Tudo isto pode não ser o suficiente para garantir uma vaga nos playoffs, mas pelo menos coloca os Hawks na disputa por uma das duas últimas vagas nos playoffs da conferência Este, juntamente com Wizards, Pacers e Magic.

Gordon Hayward para os Hornets

Quando Gordon Hayward recusou a opção de 34 milhões para a temporada 2020-21, ele tinha de saber que havia um grande contrato à espera na free agency. E estava certo.

Hayward parecia estar a caminho de um acordo de quatro anos e 100 milhões com os Boston Celtics ou num sign-and-trade com Indiana Pacers. Os New York Knicks também estavam interessados, mas os Charlotte Hornets de Michael Jordan deram a Hayward uma oferta que ele não podia recusar, 120 milhões.

Hayward foi o maior destaque na free agency. Os Celtics vão sentir a sua falta como a quarta opção mais talentosa da liga, mas a sua saída deixou-os com a maior exceção comercial na história da NBA. Ele será a opção principal na equipa dos Hornets com poucos jogadores promissores, onde surge LaMelo Ball, a terceira escolha do Draft deste ano. Os três anos de Hayward em Boston foram marcados por lesões de início ao fim, com apenas alguns momentos do nível de All-Star que teve, uma mudança de cenário poderá ser positiva.

Kemba Walker e Kristaps Porzingis não estão prontos

Uma dupla de All-Stars não estará pronta para o primeiro dia nesta temporada, ambos com lesões nos joelhos que surgiram na última temporada. Os Celtics anunciaram a lesão de Kemba Walver no joelho esquerdo e que será reavaliado em janeiro, quando concluirá um programa de fortalecimento de 12 semanas. Da mesma forma, o treinador dos Dallas Mavericks, Rick Carlisle, disse que Kristaps Porzingis estaria de fora até ” pelo menos janeiro “, após a operação no joelho em outubro.

Há sérios motivos de preocupação em ambas as equipas. Boston perdeu Hayward na free agency, e Walker tem tentado tratar a lesão desde fevereiro. O descanso durante a temporada passada e antes da nova temporada não resolveu este problema persistente. Walker, de 30 anos, que depende muito da mudança de ritmo e direção, não irá acompanhar o ritmo inicial da equipa. Os Celtics contrataram Jeff Teague como um suplente, mas poderá mudar caso Walker não jogue num nível All-Star.

Enquanto isso, os Mavericks assinaram com Porzingis uma extensão máxima de cinco anos em julho de 2019, antes que ele tivesse recuperado de uma lesão no joelho esquerdo. A cirurgia mais recente foi para reparar uma rotura do menisco lateral no joelho direito. O jogador de 25 anos deveria ser uma estrela consistente juntamente com Luka Doncic, numa equipa próxima de abrir uma janela para o título, mas as cirurgias em ambos os joelhos são uma ameaça para um jogador da sua altura.

Blazers reforçados

Os Blazers foram uma das equipas mais emocionantes na bolha, assim como haviam sido quando Jusuf Nurkic estava saudável ao lado de Damian Lillard e CJ McCollum. Quase todos estão de volta a Portland, incluindo Carmelo Anthony e Rodney Hood, juntamente com alguns reforços de uma offseason movimentada.

O presidente das operações de basquetebol do Blazers, Neil Olshey, trocou o contrato de Trevor Ariza e uma escolha de primeira ronda do Draft protegida por Robert Covington. Outra entrada foi Derrick Jones Jr., free agent, dando profundidade na ala que irá melhorar em relação à temporada anterior. Com a saída de Hassan Whiteside, Olshey readquiriu Enes Kanter, poste para a rotação, e fez um contrato mínimo com Harry Giles, apesar do talento tem sofrido com as lesões.

Estes jogadores irão juntar-se a uma equipa de talento, onde estarão Zach Collins, Gary Trent Jr. e Anfernee Simons. O Portland deverá voltar às primeiras posições do Oeste, após uma eliminação na primeira ronda dos playoffs como oitavo melhor classificado.

Os Pistons estão estranhos

Na necessidade desesperada de jovens talentos, o novo GM dos Pistons, Troy Weaver, apostou no Draft. O base Killian Hayes foi escolhido na sétima posição, Weaver conseguiu mais duas escolhas entre os 20 primeiros, onde optou por Isaiah Stewart e Saddiq Bey. 

 Os Pistons abriram a free agency a pagar mais pelo poste Mason Plumlee e assinaram com outro poste, Jahlil Okafor. Isto depois de Stewart, escolha do Draft, ter sido trocado por Tony Bradley, para jogar na mesma posição. Depois, trocaram Bradley por Zhaire Smith, que jogou 13 jogos na liga desde que foi escolhido em 16º lugar no Draft de 2018.

Mas as coisas estranhas não ficaram por aqui. Os Pistons pagaram caro demais para fazer de Jerami Grant uma opção principal no ataque, onde tem contado com Blake Griffin e Derrick Rose. Grant é um bom talento, assim como a troca por Delon Wright, que esteve bastante tempo parado em Dallas. É apenas um plano de reconstrução aparentemente sem direção. A contratação de Josh Jackson, antiga escolha nº 4 do Draft, que mostrou potencial a espaços nos Memphis Grizzlies, está mais de acordo com o que uma equipa em reconstrução deve fazer.

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é image-21.png

Entretanto, os Pistons decidiram libertar Zaire Smith, e também LiAngelo Ball, o irmão esquecido de Lonzo e LaMelo, convidado para o campo de treinos mas depois dispensado.

As mudanças dos treinadores

Para a época que se avizinha, existem também bastantes novidades no que ao carrossel de treinadores diz respeito. Uma das novidades é a estreia de Steve Nash como treinador, assumindo o fortíssimo contender Brooklyn Nets, tendo como adjunto Mike D’Antoni, ex-treinador dos Houston Rockets. O substituto de D’Antoni nos Rockets é Stephen Silas, que pertencia à equipa técnica dos Dallas Mavericks, assumindo também ele o primeiro desafio como treinador principal. A dança de cadeiras também atingiu os 76ers que conta agora com Doc Rivers ao leme da equipa de Philadelphia. Tyronn Lue assumiu os LA Clippers após a saída de Rivers do comando.

Outras Mudanças: Stan Van Gundy vai tentar fazer brilhar a jovem equipa dos Pelicans, sendo a prioridade fazer explodir Zion. Os Chicago Bulls contam agora com Billy Donovan que realizou uma brilhante temporada na época transata ao leme dos OKC Thunder. Tom Thibodeau vai tentar levar os NY Knicks para outro patamar, se bem que se adivinha uma tarefa complicada. Nate Bjorkgren irá assumir os Indiana Pacers e Mark Daigneault irá conduzir o Rebuild dos OKC Thunder.

Os favoritos ao título!

Os principais favoritos a conquistarem o título são os atuais campeões, os Los Angeles Lakers com uma percentagem 26.7%. Os Lakers mantiveram as principais figuras da equipa e ainda acrescentaram bons reforços à equipa liderada por LeBron James e Anthony Davis.

LA Lakers win 17th NBA Championship title after beating Miami Heat


Em segundo lugar, e também de Los Angeles, surgem os Clippers com uma percentagem de 15.4%. Apesar da equipa ter desiludido na época passada, as casas de apostas continuam a acreditar que Kawhi Leonard, Paul George e agora com Ibaka no plantel, podem chegar ao título.

Kawhi e PG combinam performance pontual histórica

Curiosamente, nos 4 primeiros lugares, temos 2 equipas da Conferência Este e 2 equipas da Conferência Oeste.

No terceiro lugar da lista, surgem os Milwaukee Bucks, liderados por Giannis Antetokounmpo, com uma percentagem igual à dos Clippers 15.4%.

Khris Middleton is the perfect Bucks teammate for Giannis Antetokounmpo -  SBNation.com


Em quarto lugar, surgem os Brooklyn Nets com a liderança de Kevin Durant e de Kyrie Irving e que prometem causar impacto na NBA, e apresentam uma percentagem de 14.3%

Kevin Durant, Kyrie Irving and the 'stress free' Nets – The Athletic

Fonte: VegasInsider

Deixe uma resposta