“Ones to Watch 22/23”: Collin Sexton

“Ones to Watch 22/23” consiste em analisar ao pormenor um jogador de cada equipa da NBA, que tem muito para provar na temporada que se avizinha. Os jogadores são selecionados conforme a sua situação atual, como por exemplo, um jogador regressado de lesão, um jogador que tem a “obrigação” de se afirmar, um jogador que foi recentemente adquirido, etc. A rúbrica funcionará por ordem alfabética de equipas e será lançada todos os dias até ao começo da temporada.

Qualidade não lhe falta, isso é facto, mas a verdade é que Collin Sexton já viveu melhores momentos na NBA. Trocado para os Jazz na troca que envolveu Donovan Mitchell, o jovem de 23 anos tem nova oportunidade para liderar uma equipa e demonstrar o seu valor, à semelhança do que fez em Cleveland há uns anos.

Sexton é um “point guard” moderno; agilidade, velocidade, explosão. É uma autêntica arma ofensiva e já o demonstrou diversas vezes. Excelente lançador de triplos, é também muito forte a penetrar rumo ao cesto, característica que o torna num jogador dificílimo de defender “em dias bons”. No entanto, falta-lhe uma característica fundamental para qualquer base, “playmaking”. A distribuição de jogo e a capacidade de passe é algo que não vemos muito em Sexton, mas que terá que melhorar em Utah. Na defesa é um defensor ativo, fazendo uso do seu perfil atlético para “massacrar” os adversários, e por vezes complementando com um roubo de bola.

Na temporada passada teve médias de 16 pontos, 3.3 ressaltos e 2 assistências por jogo, os seus piores números individuais desde que chegou à NBA. A afirmação de outros jovens e o desentendimento com a direção ditaram a sua saída de Cleveland, e tem agora espaço nos Jazz para evoluir enquanto jogador, e quem sabe conseguir vaga em plantéis mais competitivos, visto que por Utah se deve lutar por Wembanyama.

Vasco Oliveira

Estudante de Ciências da Comunicação com a aspiração de um dia poder trabalhar no mundo da NBA. @vascoliveira8 no Twitter

Deixe uma resposta