Jogadores que abandonaram cedo de mais – 15. Latrell Sprewell

Durante 15 dias vamos retratar 15 jogadores que de uma maneira ou de outra deixaram a NBA. Alguns por lesões, outros por factores externos ao que diz respeito ao basquetebol.

  • Anos: 1992-2006
  • Pontos: 18.3 por jogo
  • Rebounds: 4.1 por jogo
  • Assistências: 4.0 por jogo
  • TS%: 51,6%
  • Win Shares: 56.3
  • VORP: 21

Para muitos o nome de Latrell Sprewell não diz nada, contudo para os fãs dos Knicks este foi um dos nomes mais marcantes entre as épocas 1998-2003. Mas já lá vamos

Draftado pelos Golden State Warriors com a 24ª pick em 1992, não se esperava muito deste jogador. Contudo Sprewell desenvolveu-se num grande jogador. Conhecido principalmente pela sua resistência e habilidade de marcar pontos, em 1994 liderou a liga em minutos por jogo (43.1) finalizando a época com 21.0 pontos por jogo juntamente com 4.9 rebounds e 2.2 steals. Que lhe valeram o seu primeiro All-Star e a nomeação para NBA All-Defense Second Team.

Contudo, a estadia de Sprewell em São Francisco foi marcada por vários incidentes que marcaram a sua carreira:

  • 1993 num ataque de raiva ataca o colega de equipa Byron Houston
  • 1995 Luta num treino com o companheiro Jerome Kersey, regressa mais tarde com uma tábua de madeira. Ameaçou ainda o seu colega que voltaria com uma arma num futuro próximo
  • 1997 Esgana o seu treinador P. J. Carlesimo durante 10 segundo, vai tomar banho, regressa e dá um murro ao treinador.
  • 1997 fica em prisão domiciliária durante 3 meses devido a um acidente de viação onde viaja a 90 milhas por hora (numa zona de 50) e acaba por atropelar duas pessoas

Em 1999 é trocado na época de lockout para os New York Knics. Nesse ano os Knicks conseguem entrar nos playoffs como a 8ª seed. Nesse mesmo ano chegaram às finais da NBA (derrotaram Hawks, Heat e Pacers), tornando-se assim a primeira equipa a chegar às finais da NBA vindas do 8º lugar da conferência. Perdem na final mas Sprewell acabou com 20.4 pontos por jogo. Devido à sua performance no jogo 5, onde marcou 35 pontos e agarrou 10 rebounds, foi capa da SLAM Magazine.

Depois da proeza feita nos playoffs, muitos consideravam agora os Knicks a “equipa” de Speewell. Na época seguinte, chegam às finas da conferência mas perdem para os Indiana Pacers.

A carreira de Spree, continuou a crescer e na época 2002-03 estabelece (até então) o recorde de triplos num jogo sem falhar, 9 em 9. Apesar disso os Knicks voltam a falhar os Playoffs pelo segundo ano consecutivo e este é trocado para Minnesota.

A chegada de Spree a Minnesota foi bem recebida pois era mais uma peça para juntar a Sam Cassell e claro, a Kevin Garnett. No seu primeiro ano em Minnesota, chegam às finais da conferência perdendo para os Lakers.

O ano seguinte, foi o ultimo ano de Sprewell na NBA. Com o seu contrato a acabar, os Timberwolves propuseram um contrato 3 anos, 21- Milhões. Ao que Spree rejeitou, respondendo “tenho uma família para alimentar”. Spree achava que iria receber um melhor contrato, contudo, isso não aconteceu. Todas as outras propostas eram muito inferiores à dos Timberwolves e por orgulho decidiu rejeitar todas, ficando sem equipa.

Em marco 2006, um ano após estar parado, os Dallas e os Spurs tentaram contratar Spree para ser uma peça importante vinda do banco. Contudo, este nunca respondeu. Na altura também se falava dos Lakers mas mais uma vez nada se materializou.

Posto isto, ao fim de 13 anos de NBA Sprewell deixou o maior palco de basquetebol do mundo. Numa carreira no mínimo conturbada, Spree podia ter sido útil a muitas equipas pelo menos por mais 3 épocas. Contudo, as suas atitudes não o deixaram ir mais longe.

No seu currículo conta com:

  • 4 All-Stars (1994, 1995, 1997, 2001)
  • 1 All-NBA First Team (1994)
  • 1 NBA All-Defensive Second Team (1994)
  • NBA All-Rookie Second Team (1993)

No geral, Spree era um bom jogador que teve más atitudes e decisões de vida. Assim sendo aqui ficam os seus melhores momentos na NBA.

Deixe uma resposta