Escândalo racista na NBA – “Como é que aconteceu?”

Desta vez recuamos a 2014 para relembrarmos este momento que mancha a história da NBA.
Estamos a meio dos playoffs, numa série que põe frente-a-frente Warriors e Clippers.
Durante esta série, a NBA é abalado com um escândalo de índole racial.

Dono dos Clippers acusado de racismo processa a NBA - 22/07/2014 ...
Na imagem: Donald Sterling, ex-dono dos Clippers

Na TMZ, site noticioso norte-americano, é divulgada uma gravação áudio de conversas entre Donald Sterling (ex-dono dos Clippers) e a sua amantes, V. Stiviano.

Da conversa gravada, os principais focos que os media deram na altura foram os seguintes trechos:

“Na me*** do meu Instagram, eu não preciso de andar com negros”, disse Sterling a Stiviano.
“Incomoda-me que tu queiras promover e divulgar que te estás a associar com pessoas negras. Precisas mesmo de fazer isso?” – continuou Sterling.
A certa altura Stiviano diz:
“Sabes que tens uma equipe inteira de jogadores negros que jogam para ti, certo?”
Sterling respondeu:
“Eu sei? Eu dou apoio, comida, carros e casas. Quem lhes dá isso? Alguém mais? Quem faz o jogo? Eu ou eles?”

Os jogadores da NBA estavam chocados e toda a organização ficou pasmada.
Para dificultar mais ainda a vida de Adam Silver (que contava com muito pouca experiência ainda), os jogadores ameaçaram boicotar os restantes jogos dos playoffs, em protesto para com a situação vivida.

Toda esta história foi revelada pela amante de Sterling, que gravou a conversa e a enviou para a TMZ.

48h depois já Obama dava a sua opinião em relação a tudo, apelando a que esta situação fosse bem resolvida.

No entanto, depois de tudo não houve boicote ao jogo.
Em vez de boicotar o jogo 4, os jogadores dos Clippers tiraram os seus uniformes de aquecimento, viraram-nos do avesso para que o símbolo dos Clippers não pudesse ser visto, e fizeram um monte com elas no meio do campo.

Havia muita pressão em cima de Silver para resolver as coisas depois deste jogo.
Mark Cuban (dono dos Mavs) afirmou não saber até que ponto seria justo expulsar Sterling por uma conversa que este teve em privado, relembrando que as decisões a serem tomadas tinham que ser cautelosas e calculadas.

Apesar de muitos acharem que Silver “apenas” podia aplicar uma multa de 1 milhão de dólares a Sterling, este decidiu tomar uma posição firme.

Antes do jogo 5 se realizar, Adam Silver deu uma conferência de imprensa em que deu a conhecer a sua decisão: Sterling seria banido da NBA para sempre.

L.A. esta eufórica.
Pessoas buzinavam e festejavam esta decisão de Silver.
O jogo 5 acabaria por se tornar mais uma comemoração que outra coisa.
Na hora do jogo, todas as equipas da NBA colocaram uma tela preta nos seus websites com uma mensagem: We Are One.

“Nós vamos continuar a melhorar,” disse Doc Rivers. “Isto foi muito importante. As pessoas tomaram uma posição, a liga tomou uma posição, o comissário tomou uma posição, os jogadores, toda a gente o fez. Foi sensacional.”

“No fim das contas, foi apenas um lindo momento do nosso desporto.” – concluiu Doc.

Assim, aquela situação que poderia ter tomado proporções (ainda mais) desastrosas, acabou por se transformar numa grande luta pela igualdade racial.
Um motivo de orgulho para qualquer um.

Deixe uma resposta