Os prós e contras para as estrelas chegarem ao topo da NBA

Depois de um verão movimentadíssimo, as forças na NBA parecem ter se equilibrado, com múltiplas equipas em ambas as conferências com chances reais de título.

Assim, a época 2019/2020 deverá ser memorável por muitas razões, a principal delas é que não há claramente uma equipa que seja favorita ao título, algo que não acontecia há alguns anos.

Este nível de competitividade só está sendo possível por conta do elevado número de talentos existentes e distribuídos onde, indubitavelmente, nenhum desses talentos é reconhecido como o melhor jogador da liga disparado.

Cada um desses talentos possuem prós e contras em por quê seriam o melhor da NBA. E são estes prós e contras que falaremos sobre as principais estrelas da liga. Escolhemos um top 4 com 2 estrelas de cada conferência. Confere abaixo:

Giannis Antetokoumnpo – Milwaukee Bucks

Começamos com o atual MVP, o melhor jogador na equipa que fez a melhor campanha regular da última época. Fácil, não?

Giannis foi completamente dominante, de outubro à abril e, também fez com que seus parceiros fossem melhores. A força gravitacional que o grego traz em sua volta no ataque abre oceanos de espaços para todo o restante da equipa. Exemplos disso são as atuações de Brook Lopez, que se tornou de vez um “sniper” do perímetro em seu primeiro ano em Milwaukee enquanto Khris Middleton é agora um dos melhores jogadores de ataque e defesa e um All-Star.

É inegável a força desta “fera grega” ou Greek Freek em quadra. Ou vocês já esqueceram do lance surreal do grego passando por cima de Tim Hardaway Jr. para completar um alley-oop?

O grande “contra” deste jogador de muita atleticidade é a sua atuação como chutador. Para alívio dos demais jogadores da liga, Giannis tem muita dificuldade longe do aro e esta foi uma das razões que trouxeram grandes dificuldades para os Bucks nas finais da conferência leste.

Toronto fechou bem a área pintada “pagando para ver” os chutes de Giannis e de seus companheiros. Claramente que a estratégia funcionou para os Raptors fazendo com que mais equipas repitam esta operação nesta próxima época.

Stephen Curry – Golden State Warriors

Temos que admitir, Stephen Curry mudou o basquetebol para sempre. O fato dele ter se tornado uma ameaça para o chute ao simplesmente atravessar a metade da quadra é algo sem precedentes.

A grande época de Curry durante a famosa campanha de 2015-2016 que lhe rendeu um MVP unânime, algo inédito até então, jamais será esquecida e, apesar de Kevin Durant ter limitado um pouco mais suas estatísticas, Curry mostrou no jogo 3 das Finais uma performance espetacular ao anotar 47 pontos enquanto ambos Durant e Thompson estavam fora por lesões.

E não se iludam. Agora que KD foi para os Brooklyn Nets e com Klay Thompson ainda se recuperando de sua lesão sofrida nas Finais, Curry terá uma época quase inteira para continuar atingindo seus rivais com seus chutes fatais.

O que pesa contra Curry é o tamanho. Mesmo tendo uma altura regular para a posição de base (cerca de 1,90m), ele não é tão atlético como Russell Westbrook, por exemplo. Isto faz com que ele seja facilmente empurrado na defesa, coisa que os Raptors fizeram bem contra ele e é algo que deverá acontecer com mais frequência nesta próxima época.

Além disso, apesar dele ser um bom finalizador próximo ao aro devido ao seu tipo físico e atleticismo, ele nunca será como LeBron James ou Kevin Durant. Ele pode ser neutralizado mais facilmente na área pintada devido ao seu tamanho.

Outra estatística afetada pelo tamanho de Curry é a sua defesa. Os ataques passam a focar nele na defesa e, esta estatística foi pouco influenciada pelo fato do GSW contarem com quatro defensores de elite: Durant, Thompson, Draymond Green e Andre Iguodala. Entretanto, sem Durant e Iguodala no elenco, isso pode ser um problema, principalmente com a vinda de outro fraco defensor, D’Angelo Russell.

Anthony Davis – Los Angeles Lakers

Parece que foi há muito tempo atrás que vimos AD jogando um basquetebol competitivo e motivado. E cara, ele foi bem demais!

Após seu companheiro de equipa DeMarcus Cousins romper seu tendão de Aquiles em janeiro de 2018, Davis teve médias de 30,2 pontos e 11,9 rebotes liderando os New Orleans Pelicans aos playoffs e varrendo os Blazers na primeira rodada. Depois os Pelicans enfrentaram os Warriors finalizando sua participação na época. Mas, por quatro meses Davis pode ter sido o melhor jogador da NBA.

Davis foi um ótimo base no High School antes de crescer nada mais nada menos que 20 centímetros casando assim suas habilidades de um base com o tamanho e atleticismo de um poste. Para todos os efeitos, ele é o futuro da NBA.

Davis até pode ser o melhor jogador da liga agora, porque seu jogo está perto de ser impecável. O que lhe pesa contra são seus números como atirador, abaixo da média, mas não tanto que as defesas possam ignorá-lo e, ele não venceu muito nos playoffs, mas também não jogou em grandes equipas em uma Conferência do Oeste que é sempre uma selvageria.

Mas, uma coisa que Brow poderia superar, no entanto, é a sua teimosa insistência em jogar como extremo. Qualquer um com um senso de basquetebol moderno pode assistir Davis jogar por cinco minutos e concluir que ele deve jogar como poste.

No entanto, ele aparentemente não recebeu essa mensagem, como ele reiterou durante sua coletiva de imprensa introdutória com os Lakers que ele prefere jogar o 4, embora LeBron James e Kyle Kuzma também sejam os mais adequados.

Para que Davis realize plenamente seu potencial incompreensível, ele precisa parar de pensar como um base. Ele pode ser verdadeiramente dominante em um nível histórico se ele se comprometer com isso.

Kevin Durant – Brooklyn Nets

Sei que KD não jogará 2019/2020 mas, ainda assim, vale analisar essa grande estrela. Se você fosse construir o jogador de basquetebol moderno perfeito em um laboratório, ele ficaria muito parecido com o Kevin Durant.

Não há nada que o KD não possa fazer em uma quadra de basquetebol. Ele é grande e longo o suficiente para defender com facilidade em quatro posições, tem um grande controle de bola para alguém com seu tamanho (conservadoramente listado em 2,11m) e pode prosperar com e sem a bola.

Ah, e há também a pequena questão de ele ser um dos maiores pontuadores da história do esporte. Ninguém nunca teve a combinação de tamanho, fluidez e habilidades de Durant, e o fato de ser um atirador de combate em sua altura é injusto.

Infelizmente, podemos ter visto o melhor de Durant.

Tendões de Aquiles rompidos são historicamente a lesão mais difícil de se recuperar completamente na NBA, e eles acabaram com o melhor da carreira de todos, de Chauncey Billups a Elton Brand e Kobe Bryant.

Durant rompeu seu Aquiles no jogo 5 das finais da NBA deste ano, e é provável que ele perca toda a sua primeira temporada com o Brooklyn Nets, enquanto o amigo e novo companheiro de equipa Kyrie Irving toma as rédeas. Se ele voltar a velha forma, ele pode muito bem ser o melhor jogador da liga. Mas esse “se” é agora a questão do milhão que se aproxima nesta época e no resto de sua carreira.

Raphael Amaral

Pai, esposo, professor doutor em Engenharia Elétrica e um apaixonado por esportes americanos, em especial a NBA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *