Os Esquecidos – Nº8. Manu Ginobili “The Magician”

Durante 10 dias vamos nomear os 10 jogadores mais underrated da história da NBA. São jogadores que marcaram o jogo de uma maneira ou de outra mas que no final foram esquecidos por muitos fãs da NBA.

  • Anos: 1995–2018
  • Pontos: 13.3 por jogo ( 14043 no total – 176º em Ranking )
  • Steals: 1.3 por jogo ( 1392 no total – 61º em Ranking – All time dos Spurs )
  • Win Shares Playoffs: 20.7 ( 20º em Ranking )

O mágico argentino é o típico jogador que todo treinador deseja ter na equipa. Um atleta que é capaz de por de lado o seu ganho pessoal em prol da equipa. Falamos de Manu Ginobili, 4x Campeão da NBA e um dos jogadores mais desvalorizados da história. Tem o “eurostep” como o seu movimento mais famoso e mais amado pelos fãs.

Antes da NBA

Nascido em Bahía Blanca, Argentina, Manu Ginobili vem de uma família com grande tradição no basquetebol (os seus irmãos são jogadores e o pai é treinador).

Em 1995 faz a sua estreia no campeonato sénior Argentino com 18 anos, ao serviço do Andino Sport Club de La Roja. Jogou mais 3 anos na sua terra natal e em 1998 aventura-se nos palcos europeus. Começa a sua carreira em Itália, na segunda divisão, onde acaba por ajudar a equipa na subida de divisão.

O draft da NBA e o regresso a Itália

No final da época de 1999, entra no draft da NBA e é seleccionado na 2ª ronda como 57º pick pelos San Antonio Spurs. Contudo, decide não assinar de imediato pelos Spurs e regressa a Itália para ingressar no Kinder Bolonha.

Permaneceu em Itália até 2002 onde conseguiu conquistar: um campeonato italiano, uma Euroliga (onde ganha o MVP da final) e 2 vezes o MVP da liga italiana. Nesse mesmo ano ajuda a Argentina a conquistar a medalha de prata no FIBA World Cup e é nomeado para a All-Tournament team ao lado de Nowitzki, Yao Ming e Stojakovic.

Finalmente os Spurs

Três anos após ser seleccionado no draft, decide finalmente assinar pelos Spurs. A sua época de Rookie corre melhor do que seria esperado para uma 57ª pick e acaba por ser selecionado para a NBA All-Rookie Second Team. Nesse mesmo ano durante os Playoffs passa a ser membro integrante da rotação de Greg Popovich e ajuda os Spurs a conquistarem o título frente aos New Jersey Nets.

A sua segunda época em São Francisco corre ainda melhor a nível pessoal, contudo, os Spurs são eliminados nos Playoffs pelos Lakers num buzzer beater de Derek Fisher.

Jogos Olímpicos de Atenas, 2004

Depois de uma boa época pessoal, Manu é convocado para representar a Argentina nos Jogos Olímpicos de Atenas onde conquista o seu maior feito com a camisola do seu país (conquista o ouro olímpico). No jogo das meias finais, frente aos Estados Unídos da América , Manu tem a sua melhor performance marcando 29 pontos (6 triplos) em 69% de Field Goal. Na final, derrota a Itália 69-84 num jogo onde fez 16 pontos, 6 ressaltos e 6 assistências.

Pico da carreira

Fresco ainda da conquista da medalha de ouro, Gino começa a entrar no seu pico da carreira. Acaba a época de 2004-05 com 16.0 ppg e 1.6 spg e ajuda os Spurs a conquistarem o segundo lugar na conferência Oeste. Nos playoffs tem a sua melhor performance da carreira (20.8 ppg, 1.2 spg e 5.8 rpg em 50.7% de field goal) e apoia a equipa a conquistar mais um título. Havia ainda quem achasse que este jogador merecia o prémio de MVP das finais.

No ano seguinte, apesar das lesões, Gino consegue mais uma vez uma boa prestação , contudo, os Spurs perdem nas meias finais da conferência para os Dallas Mavericks.

Na época 2006-07 sacrifica-se pelo bem da equipa e na segunda metade da época começa a vir do banco ajudando a melhorar a performance da equipa na época regular. Nesse mesma época os Spurs “limpam” os Cavaliers das finais (4-0) e conquistam mais um título, o 3º da carreira de Ginobili.

O seu papel nos Spurs continuou a crescer. Na época seguinte vem do banco e faz a sua melhor época regular em termos de pontos e rebounds (19.5 ppg e 4.8 rpg) e conquista o prémio de 6th Man of the Year. Chegam à final da conferência mas são eliminados pelos LA Lakers.

Durante os restantes anos continuou a ser uma peça fulcral em San António e em 2011 terminou em 8º na votação para MVP. A partir dessa época, devido também a lesões, começa a entrar na pior fase da sua carreira desde do seu ano de rookie.

Final da carreira e mais um título

Manu entra no seu final de carreira continuando a ser uma peça muito importante vinda do banco dos Spurs. Em 2014 volta a conquistar mais um título, desta vez frente aos Miami Heat. Na época de 2017 iguala Shaquille O’neal como 6º jogador com mais jogos nos Playoffs (217) e ultrapassa Reggie Miller em 3 pontos feitos nos Playoffs ocupando assim a 3ª posição.

Nesse mesmo ano, no jogo 6 entre Rockets e Spurs, Ginobili abafa James Harden quando este tentava levar o jogo para prolongamento.

Contas Finais

Em 2018 decide retirar-se aos 41 anos.

Feitas as contas:

  • 4x NBA Champion
  • 2x NBA All-Star
  • 2x All-NBA Third Team
  • 2006, 6th Man of the Year
  • Nº20 retirado dos San António Spurs

No final, uma coisa salta logo à vista: Manu não tem as estatísticas mais vistosas da NBA. Contudo, elas não contam a historia completa do que se passou nos campos de basquetebol e quem viu Manu jogar, sabe disso. O sacrifício pessoal para o bem da equipa não é algo que muitos jogadores estejam dispostos a fazer, no entanto, este jogador, com a qualidade que tinha, decidiu não arranjar um papel principal noutra equipa . Assim sendo Manu ocupa o 8º lugar desta lista, para que nunca nos esqueçamos do mágico argentino que encantou os palcos da NBA com a sua determinação e ética de trabalho.

Facto Curioso

Durante a sua carreira, Manu jogou varias vezes em sofrimento devido às diversas lesões que tinha e estas valeram-lhe a alcunha de ” El Contusion”. Durante a sua carreira jogou com ossos partidos, contusões, hematomas e até com uma lesão testicular (durante a época 2015/16). Apesar de tudo nunca deixou de proporcionar aos adeptos grandes momentos de basquetebol. Podes então assistir aqui a alguns desses momentos mais marcantes.

Deixe uma resposta