A realidade da eficácia dos lançamentos

Ao longo dos anos todas as equipas NBA tem vindo a desenvolver capacidades analíticas para compreender melhor o jogo das suas equipas e jogadores. Por exemplo no caso dos jogadores, ao longo dos anos foram desenvolvidas métricas para os comparar de forma a melhorar o jogo dos mesmos ou mesmo na seleção de jogadores via draft ou trocas. Uma das métricas mais antigas e mais utilizadas é o Field Goal Percentage (Percentagem de lançamento.)

%FG- Field Goal Percentage – %FG – Percentagem de lançamentos

FGM-Field Goal Made – Lançamentos convertidos

FGA- Field Goal Attempts – Tentativas de lançamentos (Inclui marcados e falhados)

O %FG representa o numero de tentativas  convertidas sobre o total de tentativas de lançamento.

Uns dos grandes problemas do %FG é que não tem em conta de onde as tentativas de lançamento são feitas.  A probabilidade de converter um lançamento é muito maior quanto mais perto se tiver do cesto, e portanto, claro que é normal os Postes terem um FG% muito maior que os bases. Mas com isto podemos dizer que os Postes são melhores lançadores que os bases!? Claro que não, pois não estamos a medir a eficiência do lançamento mas mais a escolha do local do lançamento.

Exemplo: Imaginemos que temos dois jogadores com 40% de FG. O jogador A e o Jogador B lançaram 10 vezes em que o jogador A converteu 4 lançamentos de dois pontos = 8 pontos no total, enquanto que o jogador B converteu 3 lançamentos de dois pontos e 1 de três pontos.

Apesar de ambos jogadores terem 40% de FG , o Jogador B teve no total 9 pontos contra os 8 do Jogador A, portanto, o Jogador B é mais eficiente que o Jogador A.

Para refletir o efeito do lançamento de 3 pontos valer mais que o lançamento de 2 pontos, criou-se a métrica: Effective Field Goal Percentage(eFG%) (Efetividade da percentagem nos lançamentos)

EFG%- Effective Field Goal Percentage – Efetividade na percentagem dos lançamentos

3PM- Three point Made – Triplos marcados

FGM- Field Goal Made – Lançamentos marcados

FGA- Field Goal Attempts – Lançamentos tentados (Inclui marcados e falhados)

Comparando com o exemplo anterior, o Jogador B têm um eFG% de 45% comparando com o Jogador A que tem um eFG% de 40%, comprovando que o Jogador B é mais eficiente, e portanto, melhor lançador. Apesar do eFG% ser uma melhor métrica de comparação, ainda é incompleta para estudar a qualidade de lançamento do jogador pois não inclui os lançamentos livres.

Para isso foi criada a True shoot percentage (Percentagem de lançamento real). Esta métrica já tem em conta os lançamentos livres e, portanto, temos uma visão completa da qualidade do lançador:

TS%- True Shoot Percentage – Verdadeira percentagem de lançamento

PTS- Total Points – Pontos

FGA- Field Goal Attempts – Lançamentos realizados (Inclui marcados e falhados)

FTA- Free Throw Attemps – Lances livres realizados (Inclui marcados e falhados)

Vejamos a comparação entre Damian Lillard e James Harden.

Na época de 2018-2019 ,  Lillard participou em 80 jogos em que teve um FG% de 44,4 enquanto que Harden participou em 78 e teve um FG% de 44,2. Olhando só para o FG%, o que se concluia era que Lillard era melhor lançador que James Harden, mas como visto anteriormente , o FG% não é suficiente e portanto, é necessário olhar para o eFG% e TS%.

Damian Lillard Details How Foul Calls Make James Harden Hard To ...

Lillard teve um eFG% de 52,2 e um TS% de 58,8% enquanto que Harden teve um eFG% de 54,1 e um TS% de 61,6%.

Concluindo, apesar de Lillard ter um FG% ligeiramente superior a Harden a conclusão é que em termos de eficiência, Harden é claramente superior e , no fundo, melhor lançador.

Marilio Meireles

Formado em Estatística, trabalha como Data Scientist . Fã da NBA e adepto dos Mavs.

Deixe uma resposta