Jogadores que abandonaram cedo de mais – 7. Penny Hardaway

Durante 15 dias vamos retratar 15 jogadores que de uma maneira ou de outra deixaram a NBA. Alguns por lesões, outros por factores externos ao que diz respeito ao basquetebol.

  • Anos: 1993–2007
  • Pontos: 15.2 por jogo
  • Assistências: 5.0 por jogo
  • TS%: 53.5%
  • Win Shares: 61.9
  • VORP: 26.9

Anfenee Hardaway mais conhecido como “Penny” foi um base que se destacou nos Orlando Magic. Com 2.01 metros, Penny tinha uma capacidade de movimento a juntar à sua altura que o fazia um dos melhores base da liga. Infelizmente as lesões não o deixaram voar mais alto.

Draftado em 1993 pelos Golden State Warriors com a 3ª pick foi trocado na noite de draft por Chris Webber para puder fazer dupla com Shaquille O’neal.

Na sua primeira temporada começou a jogar a shooting guard, contudo com o tempo foi aprendendo a posição de base com Scott Skiles (jogador que fez mais assistências num jogo com 30). Nessa época com 16.0 pontos, 6.6 assistências, 5.4 ressaltos e 2.3 steals por jogo. Nesse ano fez o seu primeiro triplo-duplo frente aos Boston Celtics e venceu ainda o prémio MVP do Schick Rookie Game na semana dos All-Star.

Na época 1994-95, a sua segunda época, Penny é nomeado para os All-Star como titular é nomeado para a All-NBA First Team depois de ajudar os Magic a um recorde de franchise de 57 vitórias. Nessa mesma época vencem os Chicago Bulls do retornado Michael Jordan e chegam à final da NBA onde surpreendentemente perdem 4-0 para os Houston Rockets de Olajuwon. Nessa série Penny tinha como médias 25.5 pontos, 4.8 ressaltos e 8 assistências por jogo com uma eficácia de campo superior a 50%.

Na sua terceira época na NBA, O’neal lesionou-se no inicio da época o que fez com que Penny comanda-se as tropas em Orlando levando a um recorde de 17-5. Foi nomeado jogador do mês em Novembro finalizando esse mês com 27.0 pontos, 6.5 assistências, 5.8 ressaltos, 2.2 steals e 1 bloco por jogo. Foi nomeado novamente para o jogo dos All-Star e integrou a All-NBA First Team levando os Orlando Magic a novo recorde do franchise com 60 vitórias. Nesse ano ficou em terceiro na votação de MVP. Nos playoffs os Magic caem aos pés dos Chicago Bulls liderados por Michael Jordan.

Antes do inicio da época 1996-97, O’neal partiu para Los Angeles e Penny ficou sozinho como a única estrela da equipa. Durante essa época Penny teve alguns problemas com lesões e ainda fez com que o treinador Brian Hill fosse despedido. Ainda assim em 59 jogos tinha médias de 20.5 pontos, 5.6 assistências, 4.6 ressaltos e 1.6 steals por jogo e foi nomeado All-NBA Third Team. Apesar de só terem conseguido 45 vitórias, foi o suficiente para irem aos Playoffs. Nos playoffs foram eliminados pelos Bulls e Hardaway tornou-se o primeiro jogador a marcar 40 pontos nos playoffs enquanto que a sua equipa marcou menos de 100 pontos. Nessa série Penny acabou com 31.0 pontos por jogo atrás de Jordan com 31.1 pontos por jogo.

Em 1997-98 teve uma lesão devastadora, ainda assim foi nomeado para os All-Star e decidiu regressar para jogar os All-Star. Foi duramente criticado por ter voltado a jogar cedo de mais e acabou por falhar o resto da época.

Em 1999 voltou para a época de Lockout jogou todos os 50 jogos e os Magic acabaram com o melhor recorde da conferência Este. Nos playoffs foram eliminados pelos 76ers.

No verão de 1999 é trocado para Phoenix Sun’s onde fez dupla com Jason Kidd. Contudo, ambos tiveram muitas lesões o que fez com que jogassem apenas 45 jogos juntos. A lesão no tornozelo de Kidd fez com que não jogasse na primeira ronda dos Playoffs. Ainda assim Penny teve uma serie incrível com um triplo duplo de 17 pontos, 13 assistências e 12 ressaltos ajudando e eliminar os campeões San Antonio Spurs. Nas semi-finais da conferência Penny defrontou o seu ex-companheiro Shaquille O’neal. Apesar dos bons jogos dos Suns, estes ficaram curtos para derrotarem, os futuros campeões, LA Lakers.

Na época 2001-02 Penny sofreu duas cirurgias de micro-fracturas que o afastaram da época. 2001-02, Penny consegui jogar 80 jogos, contudo, agora Kidd tinha sido trocado e Marbury era o companheiro de Penny no backourt, o facto de Marbury ter um jogo totalmente diferente de Kidd fez com que ele e Penny não se dessem bem.

Depois disso ficou em Phoenix até 2004, foi trocado para os Knicks onde permaneceu até 2006 e acabou a carreira em Miami em 2008.

Apesar de parecer uma carreira longa, na verdade os últimos 5 anos de Penny na NBA foram apenas um sombra do que ele era e do que podia ter sido. Passou de um super-jogador para um jogador que tinha dificuldade em “arrastar-se” pelo campo. Isso tudo por causa das lesões.

Em 2011 começou a treinar Lester Middle School a pedido do seu amigo Desmond Merriweather que estava com cancro (vinha mais tarde a falecer). Ajudou a criar um programa de estudo para que os seus atletas acabassem o secundário. Consegui ainda dar um título estadual à sua equipa. A partir de 2018 foi contratado para treinar os Memphis Tigers (a sua equipa nos tempos universitários) onde consegui recrutar James Wiseman que era na altura o melhor jogador do secundário.

Penny foi um jogador que animava os campos e foi outrora dito por Jordan que ele seria a cara da NBA quando este se reformasse. Isso não aconteceu, as lesões não deixaram, mas quem viu Penny jogar nunca se esquece e continua a ser um favorito entre os fãs dos Orlando Magic. Aqui recordamos os seus melhores momentos.

Deixe uma resposta