Jogadores que abandonaram cedo de mais – 10. Stephon Marbury

Durante 15 dias vamos retratar 15 jogadores que de uma maneira ou de outra deixaram a NBA. Alguns por lesões, outros por factores externos ao que diz respeito ao basquetebol.

  • Anos: 1996–2009
  • Pontos: 19.3 por jogo
  • Assistências: 7.6 por jogo
  • TS%: 52.8%
  • Win Shares: 77.5
  • VORP: 30.7

Desde os grandes palcos da NBA para os, na altura, modestos palcos da liga chinesa de basquetebol, Marbury teve uma carreira no mínimo peculiar. Contudo, desenvolveu o basquetebol chinês e ajudou a abrir portas para outros basquetebolistas americanos. Assim sendo de uma maneira ou de outra Marbury marcou o basquetebol… Pena não ter deixado o mesmo legado na NBA.

Depois de uma época marcado por sucesso na universidade de Georgia Tech, Marbury, declara-se para o draft de 1996. Como já referido noutro artigo (sobre Shareef Abdur-Rahim) este foi um dos melhores drafts de sempre (contou com Iverson, Ray Allen, Kobe Bryant etc.).

Assim sendo, com a 4ª pick os Milwaukee Bucks draftaram Marbury e trocaram-no nessa mesma noite, por Ray Allen, para os Minnesota Timberwolves.

Na sua época de Rookie, Marbury teve médias de 15.8 pontos e 7.8 assistências por jogo e foi nomeado All-Rookie First-Team. Na nomeação para Rookie do ano, ficou em 2º lugar atrás de Allen Iverson. Nessa mesma época, juntamente com Kevin Garnett, leva os Timberwolves aos playoffs onde perdem na primeira ronda, 3-0, para os Houston Rockets.

No ano a seguir, os números de Marbury melhoraram, 17.7 pontos por jogo e 8.6 assistências e mais uma vez os Timberwolves chegam aos Playoffs onde são eliminados na 1ª ronda (3-2) pelos Seattle Supersonics.

A sua terceira época em Minnesota foi curta, devido ao Lockout da NBA assim sendo Marbury pediu para ser trocado. Acaba assim nos New Jersey Nets numa troca que colocou Sam Cassell ao lado de Kevin Garnett.

Em New Jersey, Marbury teve as 3 melhores épocas da carreira. Atingiu o máximo da carreira em pontos na sua terceira época (23.9). Em 2000 chega à All-NBA Third Team em 2001 chega aos All-Stars onde marca dois clutch shots para dar a vitória à conferência Este. Em 2001 faz também o seu carreer-high 50 pontos frente aos Lakers.

Apesar de boas épocas individuais, em termos coletivos as coisas não correm bem e os Nets nunca chegam aos Playoffs.

Em 2001 é trocado para os Phoenix Suns num negocio que levou Jason Kidd para New Jersey.

Esteve em Phoenix durante 3 épocas. Em 2003 chega aos All-Stars e é nomeado All-NBA Third Team. Nessa época, juntamente com Stoudemire e Shawn Marion, leva os Sun’s aos Playoffs, mas mais uma vez é eliminado na primeira ronda, desta feita pelos Spurs.

Em 2004 é trocado para os New York Knicks. Nesse mesmo ano representa os EUA nos jogos olimpicos, onde estes acabam em 3º lugar. Ainda assim, Marbury, estabelece o recorde de pontos numa participação olímpica feita por um jogador com 31 pontos (mais tarde esse recorde foi batido por Carmelo Anthony em 2012).

Em Nova Iorque as coisas não correm como esperado. Apesar de ter feito um carreer-high 9.3 assistências por jogo, Marbury teve problemas com Larry Brown, que fez com que o treinador fosse despedido do comando técnico dos Knicks.

Assim sendo, os Knicks contratam Isiah Thomas para treinador, mas mais uma vez Marbury não se entende com o treinador, chegando a ameaça-lo. Durante os jogos os fãs pediam o despedimento que Isiah que acabou por acontecer em Abril de 2008. Desta feita, os Knicks contratam Mike D’antoni para ser o treinador principal da equipa.

Apesar do estatuto de estrela, D’antoni contrata Chris Duhon para competir com Marbury pela titularidade. Duhon acaba por ganhar a posição e Marbury recusa-se assim a jogar pelos Knicks. A 1 de Dezembro de 2008, Marbury é banido dos Knicks.

Em 2009 assina pelos Boston Celtics, para os ajudar numa corrida aos Playoffs. Apesar de não ter corrido da melhor maneira, no ano seguinte os Celtics oferecem-lhe um contrato minimo de veterano para a época 2009-10, no qual Marbury rejeita.

Aventura-se então na china onde ganha 3 campeonatos, 6 vezes all-star, 1x MVP dos estrangeiros e 1x MVP das finais. Ajudando assim a revolucionar o Basquetebol Chinês.

Apesar de tudo Marbury foi um grande jogador. Se não fossem os seus problemas de atitude podia ter tido uma carreira melhor. E claro, o que teria acontecido se Marbury tivesse ficado mais um ano nos Celtics? Teriam os Celtics ganho a final aos Lakers?

Marbury marcou uma geração, não só pelo que jogou mas também pelas trocas em que esteve envolvido. Se não fosse Marbury, provavelmente Cassell não teria ido para os Timberwolves ajudando Garnett a chegar ao MVP e às finas da conferência. Sem Marbury, talvez Jason Kidd nunca teria ido para New Jersey, uma equipa que chegou às finais da NBA às costas deste. Posto isto, Marbury foi um jogador marcante que devia ter ficado pelo menos mais 3/4 épocas na NBA. Um combo-Guard espectacular deixa saudades a quem gosta de espectáculo no campo. Aqui ficam os seus melhores momentos

Deixe uma resposta