Sinceridade de Darko Milicic sobre a carreira

Era considerado a próxima estrela europeia na NBA, foi escolhido no Draft de 2003 com o número 2, à frente de Carmelo Anthony, Chris Bosh, Dwyane Wade e apenas atrás de LeBron James.

Nunca conseguiu corresponder à expectativa e acabou Kickboxing em determinado momento. A história de Darko Milicic é peculiar e, onde quer que seja visto, continua a atrair atenções.

O jogador, agora retirado na Sérvia, vive numa quinta isolada, deixou várias frases de destaque numa entrevista ao b92 no seu país.

“Quando fui escolhido como número 2 no Draft, pensei que era enviado por Deus. Entrei em brigas, ficava bêbado antes do treino … cuspi em todos os lugares, quando na realidade estava a cuspir em mim mesmo.”

“Eu era o problema e comecei a odiar jogar, não gostava. Mesmo em jogos com 20 pontos, eu só queria que o jogo terminasse e que pudéssemos ir para casa. Tudo o que fiz desde que vim para os Estados Unidos estava errado. Obviamente não estava preparado para o que a liga precisava de mim.”

“Tive problemas com toda a gente, porque só queria jogar para mim. Eu queria silenciar meu egoEu queria ser um jogador consistente, mas simplesmente não conseguia. Eu não estava pronto ou disposto a fazer o trabalho necessário para fazer isso “.

“Depois de jogar em Orlando, eu disse ao meu agente que jogaria em qualquer equipa, exceto em Memphis. E, obviamente, eu acabei lá. Foram dois anos de depressão clássica. Apenas riscava os dias no calendário, porque não aguentava maisNão estava mentalmente lá.”

“Mais tarde fui para Nova York, onde continuei a fazer coisas estúpidas. O treinador cansou-se de mim, então decidi voltar para a Europa. No entanto, os Knicks queriam levar-me para Minnesota. Eu conheci o David Kahn (GM dos Timberwolves) e disse: ‘Não faça nenhuma troca para mim, pelo amor de Deus. Não quero mais jogar na NBA. Vou arruinar a sua equipa. Vou estragar a química do plantel. E o que ele me disse? Que eu me juntaria durante duas semanas e que veríamos depois”.

“Eu nem quero mencionar Boston. Não queria ir. As pessoas na América apenas olham ás estatísticas. Eles viram as minhas e acharam que poderia ser uma boa peça suplente, mas não é isso que eu sou. Sou diferente de outros jogadores que fracassaram.

“A minha experiência na NBA foi uma catástrofe porque nasci vencedorMas depois de Detroit, joguei em equipas que eram fracas, perdiam de cidade em cidade. E infelizmente, acostuma-se a isto”.

“Desde que parei de jogar, ganhei 40 quilos. Agora peso 160. Eu trabalho na minha quinta e gosto muito. Criei a minha própria paz de espírito e estou a gostar.”

Deixe uma resposta