Qual a estratégia em Charlotte?

Os Hornets foram provavelmente a única equipa que teve a ideia de dar a Gordon Hayward um contrato de 120 milhões por quatro anos nesta free agency.

Obviamente, Hayward foi um justo All-Star em 2017 e joga naquela que possivelmente é a posição mais importante na NBA de hoje, mas o jogador de 30 anos só jogou metade de todos os jogos possíveis em três anos em Boston. A lesão grave no início da temporada 2017/18 é algo que pode ter impacto para voltar ao seu melhor nível.

Charlotte voltou a falhar os playoffs, e está nos últimos lugares em várias estatísticas.

Após a saída de Kemba Walker, porque não queriam fazer um max contract, tudo apontava para um rebuild, mas após apenas um ano o dono, Michael Jordan, parece ter ficado impaciente mais uma vez. Isso notou-se com Nicolas Batum, dispensado aparentemente para permitir a entrada de Hayward.

O francês, sem papel relevante na equipa, seria free agent em 2021, mas desta forma os seus 27 milhões são distribuídos por três anos. Assim, o acordo com Hayward custará aos Hornets quase 40 milhões durante três anos.

Aparentemente não se percebe a estratégia, a pick número 3 do draft, LaMelo Ball, deverá ter muitos minutos, mas certamente será necessário tempo para ajudar a equipa a vencer jogos. A temporada de 2020-21 é ótima para “tanking”. Não é necessário trazer público aos pavilhões, já que não são permitidos espectadores e é unanime a opinião que o próximo draft será muito melhor do que o atual. Seria de esperar que o franchise pudesse manter cap space para o mercado que terá muitos jogadores importantes.

Veremos o que esta equipa poderá trazer esta temporada, sendo a expetativa sempre alta quando o dono se chama Michael Jordan. Para já, são muitas as dúvidas sobre a estratégia de trazer Hayward com este contrato e a dispensa de Batum.

Deixe uma resposta