O melhor de fevereiro!

Tivemos Zion, tivemos LeBron, tivemos Tatum, tivemos All-Star, tivemos Lakers-Celtics…

Fevereiro foi um mês muito atribulado.
Tivemos a paragem All-Star, que nos trouxe momentos incríveis (como de costume). O jogo dos Rising Stars foi recheado de grandes lances com Ja Morant, Luka Doncic e Trae Young todos em grande plano.

O jogo All-Star veio para trazer mais espetáculo, ao que é o fim-de-semana mais divertido do ano na NBA.

Olhando agora para aquilo que se passou em ambas as conferências.

Oeste:

O maior destaque deste mês são os Pelicans, que estão agora na perseguição dos playoffs, com 7 vitórias neste mês de fevereiro contra apenas 4 derrotas (frente a Lakers, Bucks, Thunder e Rockets, todas elas equipas bastante bem colocadas). Zion mostrou-se em grande plano ao bater o record por ser o mais jovem a marcar 20 pontos durante 10 jogos seguidos.

Em sentido contrário, os Spurs tiveram 4 vitórias e 7 derrotas e os Trail Blazers ganharam 5 jogos e perderam 8. Não esquecer que estas duas equipas têm lutado pelo acesso aos playoffs, discussão essa que fica cada vez mais favorável aos Grizzlies.

Em destaque pela positiva aparecem os Rockets, com 10 vitórias neste mês e apenas 2 derrotas. Agora, quando falamos dos Rockets temos que falar obrigatoriamente em Rusell “BESTbrook”. Com 33.4 pontos por jogo, 54.9% de eficácia, 40% de acerto de 3 pontos, 7.3 ressaltos e 6.0 assistências, Westbrook é um dos candidatos a jogador do mês.

Os Lakers estão também em destaque neste mês com 9 vitórias e apenas 3 derrotas. A equipa de L.A. distancia-se cada vez mais dos adversários mais diretos com a dupla A.D. – LJ a dar muitos frutos. A destacar também, foi o incrível e mítico jogo entre Lakers e Celtics que acabou com a vitória da equipa de L.A..

Destacar ainda os Kings que conseguiram 7 vitórias importantes de 11 disponíveis, que ajudam a equipa de Sacramento a manter-se na luta pelo acesso aos playoffs.

Os Thunder também deram passos importantes para a luta na classificação com 8 vitórias e apenas 3 derrotas. A equipa de Oklahoma tem sido liderada por Chris Paul que marcou 19.6 pontos por jogo neste mês.

Os Nuggets são a última equipa a destacar, com 7 vitórias em 11 jogos. A equipa de Denver tenta manter o 2º lugar, de modo a evitar poder calhar com os Lakers nas primeiras fases dos playoffs.

Este:

Em destaque este mês na conferência Este temos, nem mais nem menos que, para variar… os Bucks.
Os Bucks obtiveram 11 vitórias e apenas perderam 2 jogos no mês passado. Giannis carregou os Bucks às costas (como habitual), com 28.3 pontos por jogo e 17 ressaltos. Houve ainda um desentendimento entre Giannis e Harden mas dentro de campo, isso não afetou o All-Star de Milwaukee. Os Bucks já têm até os playoffs assegurados com 9.5 jogos de vantagem sobre o segundo lugar. Em Milwaukee já só se pensam nos playoffs.

Nos destaques negativos aparecem os Bulls. 1 vitória e 9 derrotas em 29 dias. Mais uma época sem grande rumo para a equipa mítica de Chicago.
Os Pistons aparecem aqui com 3 vitórias e 9 derrotas em fevereiro, tendo tido uma sequência de 7 derrotas seguidas. Os Cavs também não estiveram muito bem e perderam 7 jogos de 11 possíveis.

Este foi um mês no Este muito equilibrado com equipas como Nets, Heat, Hawks, Knicks, 76ers, Magic e Hornets todos com 5/6/7 vitórias e o mesmo número de derrotas também durante o mês.

A destacar pela positiva temos a equipa dos Celtics.
9 vitórias e 3 derrotas (2 frente a Rockets e 1 frente aos Lakers) tornaram o mês de fevereiro um mês de sonho para a equipa de Boston.
30.7 pontos por jogo, 7.9 ressaltos, uma percentagem de 48.1% de acerto de 3 pontos. Estes são os números de Tatum, que se tem assumido cada vez mais como o presente e futuro dos Celtics.

Os Raptors saíram de janeiro com uma sequência de 9 jogos ganhos. Em fevereiro foram mais 6 para acrescentar a essa série de vitórias, num total de 8 jogos ganhos neste mês. A equipa do Canadá somou apenas 3 derrotas este mês, uma delas na reedição da final da conferência Este do ano passado. Este ano, Pascal Siakam assumiu (e bem) o papel de estrela principal desta equipa, tendo em fevereiro continuado a sua jornada rumo ao “bi” dos Raptors.

Deixe uma resposta