Motor City Rose

O MVP de 2011 está de malas feitas rumo à cidade da indústria automóvel. Derrick Rose assinou um contrato de dois anos no valor de 15 milhões de dólares com os Detroit Pistons. Para adicionar Rose ao roster, o franchise exercereu a mid-level exception, e têm ainda cerca de 2 milhões de dólares disponíveis para outros contratos.

Longe da pujança física dos tempos onde era visto pela fanbase dos Chicago Bulls quase como uma reencarnação de Michael Jordan, Rose realizou, ainda assim, uma temporada muito positiva, batendo o recorde de pontos de carreira com 50 pontos frente aos Utah Jazz (jogo que lhe valeu recentemente o prémio de ‘melhor momento da temporada’, nos NBA Awards) e tendo concorrido para o prémio de melhor sexto homem da liga. As suas médias foram de 18 pontos e 4,3 assistências, com percentagens de 48,2% de campo, 37% da linha de 3 pontos e 85,6% da linha de lance livre. Um desempenho muito acima do esperado, levando-o até a superar o suposto titular na posição de point guard Jeff Teague em 13 partidas. Tudo isto tendo em conta que o jogador, em 2017, chegou a ponderar retirar-se das quadras devido às constantes lesões.

Trata-se de uma aquisição importante para Detroit, dado que, para a posição de point guard, apenas contam sob contrato com os veteranos Ish Smith e José Calderón, que se tornarão free agents na próxima temporada, além do jovem recém-draftado Jordan Bone, que deverá, por enquanto, evoluir na G-League. Nesta free agency, os Pistons procurarão ainda adicionar poder pontuador na posição de wing, bem como um backup para Andre Drummond.

Deixe uma resposta