Lendas da NBA: N°7 – Wilt Chamberlain

Hoje na nossa contagem das maiores lendas da NBA chegamos ao N°7, o dominante Wilt Chamberlain.

Wilt Chamberlain tinha uma capacidade atlética fora do normal, que cedo o fez destacar-se no basket, tendo batido recordes de pontos e ressaltos pela universidade do Kansas, onde se tornaria uma celebridade mesmo antes de se tornar profissional, sendo capa de inúmeras revistas.

Antes de se estrear na NBA, Wilt Chamberlain fez parte dos Harlem Globetrotters, em 1958-1959.

A sua estreia profissional decorreu na época de 1959-1960, pelos Philadelphia Warriors, equipa onde jogaria até 1966.

O seu impacto na NBA foi imenso, a nível estatístico sem precedentes, com Wilt a dominar as tabelas como mais ninguém na história da modalidade, e marcar pontos como quem respirava, sendo o poste mais dominante da era, e construindo uma grande rivalidade com Bill Russell, outra lenda da NBA.

Logo na sua 1a época, Wilt Chamberlain teve médias de 37.6 pontos e 27 ressaltos, que eram recorde absoluto na altura, não esquecendo que na altura não havia contagem de desarmes de lançamento, algo em que Wilt Chamberlain era enorme também. Contudo, o seu jogo ainda não tinha o sentido colectivo que era necessário para vencer ao mais alto nível, uma das críticas na altura feitas ao jogo de Wilt Chamberlain. Foi então MVP e rookie do ano na sua primeira época, algo que só em 1969 Wes Unseld conseguiria alcançar.

Wilt Chamberlain continuou a bater recordes individuais que ainda hoje perduram, como o de 100 pontos num jogo, na época de 1961-1962 contra os Knicks, ele que nesse dia esteve impecável da linha de lance livre, algo raro, já era um dos seu calcanhares de aquiles, ou o de maior número de ressaltos num só jogo, 55 contra os Celtics, em 1960-1961.

Wilt Chamberlain tinha uma energia e domínio debaixo das tabelas que mais nenhum jogador conseguiu igualar, nem mesmo Shaquille O’Neal, que tal como ele também tinha nos lances livres o seu maior defeito. Durante toda a sua carreira foi sempre capaz de jogar todos os jogos, e de jogar os 48 minutos sempre com a mesma energia e intensidade.

Mas o título continuava a fugir-lhe, Wilt Chamberlain teve o azar de na sua primeira final encontrar a maior máquina vencedora da história da Liga, os Celtics de Bill Russel, no ano de 1963-1964, conseguindo o tão desejado título apenas em 1967, quando já se encontrava nos Sixers, também em Filadélfia.

Wilt Chamberlain perderia mais uma final para os Celtics de Bill Russell em 1969, perdendo a de 70 também para os Knicks, já quando estava nos Lakers com um tal Jerry West, com quem venceria o título em 72 antes de perder outra final, em 1973.

Wilt Chamberlain já estava no ocaso da carreira, já não era mais indiscutivelmente o líder da NBA em termos estatísticos, apesar de ainda ser um monstro e dominante nas tabelas.

E assim pensou Wilt Chamberlain em abandonar a carreira brilhante, já depois de ter mudado muito o seu jogo, ter sido campeão 2× e MVP das finais em 1972, apenas um ano antes da sua retirada.

A modalidade despedia-se assim do N°13 mais mítico da história da liga, até altura considerado o melhor jogador individual de sempre, e melhor marcador de sempre até o aparecer de um tal Michael Jordan.

A N°13 foi retirada por todas as equipas onde jogou, os Warriors, Sixers e Lakers. A universidade do Kansas já o tinha feito antes.

Para agigantar a sua lenda, para além dos 2 anéis, Wilt Chamberlain foi 4× MVP, 13× all-star, sendo o MVP do all-star em 1960, rookie do ano, MVP das finais de 1972, 7× incluído na all-NBA first team, 7× melhor marcador, 11× melhor ressaltador e ainda líder em assistências em 1968, quando já tinha mudado bastante o seu jogo.

Terminou a carreira com médias de 30.1 pontos, a mais alta até Michael Jordan, e 22.9 ressaltos por jogo, a maior de sempre, para além de 4.4 assistências por jogo.

Em 2009, a revista Slam colocou Wilt Chamberlain em 2° lugar na sua lista de melhores jogadores de sempre.

Pedro Ribeiro

Formado em Ciências da Comunicação, trabalhou como Jornalista e Assessor de Comunicação. Fã da NBA, participou em vários projetos sobre esta liga. Fundador do site www.nbaportugal.com https://twitter.com/pedrofmribeiro

Deixe uma resposta