Lendas da NBA: N°6 – Larry Bird

Hoje na 6a posição na nossa lista de lendas temos Larry Bird, um dos mais importantes jogadores de sempre.

Larry Bird era um jogador com uma competitividade fora do comum, com uma vontade de ganhar sem limites, e com uma energia e garra enorme dentro de campo.

Cedo se percebeu que Larry Bird seria uma estrela, a nível universitário e a jogar pela universidade de Indiana construiu grande reputação como um lançador extraordinário e grande ressaltador, para além de ser um jogador que nos momentos decisivos aparecia sempre, o chamado clutch player. Aí construiu a rivalidade que iria se transpor para a NBA e seria das mais apaixonantes de sempre, Larry Bird Vs Magic Johnson, que embora a nível universitário tenha sido favorável a Magic Johnson, pois a sua equipa venceu o título universitário na final contra a equipa de Bird, foi Larry Bird quem venceu os prémios individuais no final da época, como o Naismith college player of the year award, na frente de Magic Johnson.

A aguardada estreia na liga ocorreu em 1979, um ano depois de ser a 6a escolha do draft pelos Boston Celtics, a equipa com mais títulos da NBA, Larry Bird estreava-se numa equipa que para além dele tinha Pete Maravich, Cedric Maxwell e Tiny Archibald.

O impacto de Larry Bird foi imediato, e logo na 1a época foi para além de rookie do ano, eleito para o all-star game e incluído na all-NBA first team. Os Celtics com ele melhoraram imenso e foram a equipa com melhor registo da sua conferência, e indo até às finais de conferência, onde perderiam para os mais experientes Sixers de Moses Malone e Julius Irving.

As suas médias no final da época foram de 21.3 pontos, 10.4 ressaltos, 4.5 assistência e 1.7 roubos de bola.

Na época seguinte veio a plena confirmação do estatuto de estrela de Larry Bird, com uma equipa já com McHale e Parish, os Celtics varreram a concorrência e foram campeões frente aos Houston Rockets, com Larry Bird a estar em grande na época toda, apesar de não ter sido MVP das finais, perdendo para Cedric Maxwell, apesar dos seus 15.3 pontos, 15.3 ressaltos e 7 assistências.

Assim que Larry Bird ia acumulando honras na NBA crescia a sua rivalidade com Magic Johnson, já campeão da NBA também, e com os 2 a serem as vedetas das suas respectivas conferências, Magic Johnson destacava-se pela visão e qualidade de passe, Larry Bird embora fosse um excelente passador, destacava-se pela capacidade de lançamento, Magic era um Mr. Nice Guy, Larry era ultra competitivo, e talvez o maior Trash talker da história do jogo. Magic Johnson era vistoso, Larry Bird embora também desse espetáculo era muito eficaz e colectivo, sendo também um grande defensor para além da já referida capacidade de ressaltado. Era uma nova era na NBA, Larry e Magic, líderes das duas melhores equipas da NBA, e as com mais títulos também. Impossível falar de um e não do outro.

Contudo, a nível individual Larry continuava a levar a melhor, com o MVP do all-star game em 1982, ano em que foi 2° no prémio de defensor do ano, atrás de Moses Malone, uma prova do grande defensor que era Larry Bird.

Após uma época em que não foram à final, os Celtics de Bird voltaram a ser impossíveis de conter, mesmo para os showtime Lakers, e venceram o título em 84, com Larry Bird a ser o MVP da fase regular, e também o MVP das finais, numa das finais mais espetaculares de sempre, a ser decidido no jogo 7, com Bird a ter médias de 27 pontos e 14 ressaltos, era o auge da rivalidade Bird vs Magic e Celtics vs Lakers.

No ano seguinte os Lakers deram o troco, mas Larry Bird continuava a ser intocável, sendo outra vez eleito MVP da fase regular, e tendo números fantásticos mesmo nas finais perdidas.

Em 1986 formou-se para muitos a melhor equipa de sempre dos Celtics, com Bird, McHale, Parish, Bill Walton e Dennis Johnson, todos hall of famers, varrendo tudo o que lhes aparecia à frente, a final foi ganha aos Rockets com um tal Hakeem Olajwon, por 4-2, e Bird, que era indiscutivelmente o melhor do Mundo, voltava a ser MVP, campeão e MVP das finais, era o auge da carreira de Bird, numa liga dominada por ele e Magic Johnson, onde já despontavam Michael Jordan, Hakeem Olajwon, Patrick Ewing ou Charles Barkley. Nessas finals Bird teve médias de 24 pontos, 9.7 ressaltos, 9.5 assistências e 2.7 roubos de bola.

Em 1986-1987 Larry Bird voltou a conduzir os Celtics a mais uma final, para variar contra os Lakers, que com Magic Johnson melhor que Bird venceram por 4-2.

O corpo de Bird ia acumulando desgaste, pois o seus estilo de jogo muito competitivo sacrificava muito o corpo, e iam aparecendo outras equipas na sua conferência capazes de fazer frente aos Celtics, como os Pistons ou Bulls, com isso, Larry Bird não mais jogaria uma final da NBA, e depois de 1988, a sua última grande época na NBA, onde chegou às finais de conferência, perdidas para os Pistons, Larry ficaria quase sem jogar uma época inteira, falhando o all-star game pela 1a vez desde a sua estreia, apesar de voltar em 1990, 1991 e 1992, mais em jeito de respeito e homenagem que pela forma do jogador, que ainda era um grande jogador e com excelentes médias, mas longe do jogador que no seu auge era o mais temível lançador da NBA, e um campeão com uma vontade de vencer sem limites.

Seria campeão olímpico como parte do Dream Team de 1992, apesar de não ter jogado muito tempo.

Devido a constantes lesões, que o haviam impedido de manter o seu nível habitual de forma constante, Larry Bird anunciou no ano de 1992 a sua retirada da modalidade, tendo os Celtics retirado a sua camisola, a n°33 de imediato, como antes o havia feito a universidade de Indiana.

Larry Bird continuou a ter sucesso no basket após o final da carreira, sendo treinador do ano e também executivo do ano, algo que fez de Larry Bird o único a conseguir ser campeão, MVP, Finals MVP, rookie do ano e também treinador e executivo do ano.

No legado de Bird estão 3 títulos de campeão, 2 finals MVP, 3 MVPs da fase regular, 12× incluído no all-star, sendo MVP do jogo em 1982, 9× incluído na all-NBA first team, rookie do ano, e ainda 3× campeão do concurso de tripos do all-star.

Larry Bird até ao aparecer de LeBron James era amplamente considerado o melhor small forward de sempre, sendo que para alguns ainda o é.

É considerado um dos jogadores mais clutch de sempre, assim como um dos melhores lançadores de 3.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *