Lakers vencem Orlando sem magia

O primeiro jogo do dia tinha tudo para ser interessante.
A segunda equipa melhor classificada (Lakers) ia jogar contra o último conjunto que tem acesso aos playoffs da conferência oposta.

O 1º período começou “frio” e com pouca eficácia mas rapidamente o jogo aqueceu.
O frontcourt dos Lakers voltou a reforçar aquilo que vimos no último jogo frente aos Mavs, mostrando domínio quando AD, LeBron e McGee estão em campo.
Quem entrou muito bem no fim deste 1º quarto e no início do 2º foi Kuzma que começou o seu jogo com 4/4 em triplos, dando origem assim a uma vantagem inicial da equipa de L.A..

Depois de um parcial de 35-19 no 1º período, os Lakers entraram mais frios nos segundos 12 minutos de jogo.
Apesar disso, os Lakers chegaram ao intervalo a vencer, também por culpa dos Magic, que tiveram uma eficácia de triplos baixíssima até então: 9% em 24 minutos (2/22 lançamentos).

O terceiro período trouxe-nos o domínio dos Magic que acabou por deixar a equipa da casa a apenas 2 pontos dos Lakers.
O jogo terminou com a vitória dos Lakers por 7 pontos num jogo que já trouxe melhores perspetivas da equipa de Los Angeles.

Nos vencedores, o destaque cai sobre Kuzma, com 25 pontos e 7 ressaltos (melhor jogador em campo), sobre o fortíssimo frontcourt que se voltou a superiorizar sobre o adversário, sobre KCP, que depois de não pontuar no último jogo, fez hoje 17 pontos e para Cook e Waiters, que repetiram as suas exibições de qualidade do último jogo.
Para além disso, destacar ainda a eficácia que vimos da parte dos Lakers durante o jogo – 45% de 3 e 56.7% de eficácia de lançamento.
Realçar alguns aspetos do lado menos bom dos Lakers neste jogo:
Demasiados TO, devido a perdas de bola e passes transviados. Foram 23 turnovers dos Lakers contra os 7 da equipa dos Magic.
Para além disso, Caruso, Green e JR Smith tiveram exibições pouco conseguidas sem grandes momentos indiviuais.

Do lado de Orlando, dar mérito a D. Augustin com 21 pontos e 5 assistências e a Carter-Williams que apesar de ter tido uma eficácia de lançamento de 26.7% marcou 15 pontos e alcançou 8 ressaltos.
A quantidade de ressaltos ofensivos alcançados pela equipa da Florida (20) também é um sinal positivo que a equipa foi dando ao longo do jogo, aproveitando a ausência de AD que saiu lesionado lesionado no 1º período para dominar melhor a área do paint na altura dos ressaltos.
Em sentido contrário, os Magic não foram capazes de lançar de 3 com eficácia e o frontcourt inicial teve muita dificuldade em enfrentar os adversários diretos no início do jogo.

Deixe uma resposta