Chaves do sucesso dos Warriors

Os Golden State Warriors têm a melhor classificação da NBA com 9 vitórias e apenas 1 derrota. Uma percentagem de vitória de 90%. Uma equipa que se apresenta fortíssima e que não conta, para já, com uma das suas estrelas: Klay Thompson. Mas então qual é a receita para este sucesso?

Antes de começarmos a analisar os fatores mais importantes para as vitórias desta equipa, vamos deixar bem assente o quão dominantes os Warriors têm sido. A equipa de Golden State, para além da melhor classificação tem também: o melhor net rating, é nº1 em pontos marcados, tem o melhor defensive rating, é nº1 em triplos e assistências, nº3 em ressaltos e roubos de bola, tem a 3ª melhor percentagem de FG%, tem a 2ª melhor percentagem de pontos sofridos e é tem a 3ª melhor percentagem de triplos sofridos. Sim, tudo isto. É assustador o quanto esta equipa joga… E ainda por cima com o segundo melhor jogador lesionado.

Vejamos então as razões para esta dominância:

Em primeiro lugar, e como é óbvio, temos de falar de Steph Curry. Como é lógico ter na equipa um jogador que já foi tricampeão, MVP duas vezes, All-Star sete vezes, melhor marcador da liga duas vezes, etc…, vai dar os seus frutos. Aliás, o “Chef Curry” está a cozinhar mais uma bela época registando 25 pontos, 7 ressaltos e 6 assistências por jogo. Curry é, sem dúvida, um dos melhores jogadores da atualidade. Na minha opinião é incontestavelmente top 3. Então a equipa vai estar sempre dependente da prestação que ele tem em cada jogo. Mas a verdade é que qualquer equipa que seja por ele liderada, vai sempre ser boa. Mas assim TÃO boa? A verdade é que este sucesso não se deve só à estrela do franchise. Não é por acaso que no último jogo, vitória frente aos Hawks, Curry marcou 50 pontos… Mais uma segunda-feira para Curry…

Em segundo lugar, obviamente a química está lá. Os Warriors de hoje continuam a ter uma grande parte dos Warriors que foram campeões 3 vezes: Curry, Draymond, Klay, Iguodala e o treinador Steve Kerr. Ora, sem contar com Kevin Durant, estes foram os jogadores mais importantes dos campeonatos que ganharam. Amizade, dinamismo, companheirismo, dinâmica de grupo e de trabalho. Isto são coisas que uma equipa precisa de ter para chegar ao topo, e esta equipa, em grande medida, já o tem.

Mas o sucesso não se deve só às “estrelas”, a camada jovem dos Warriors tá a dar que falar, especialmente Jordan Poole. O jogador, que está apenas no seu 3º ano, está a fazer uma época espetacular, e está a calçar os sapatos de Klay Thompson da melhor maneira! O terceiranista está a registar uma média de 18 pontos, 3 assistências e 3 ressaltos! Diversas foram as vezes em que Poole assumiu as rédeas da equipa, e liderou-a em pontos, ultrapassando Curry. Aliás, na vitória frente aos Rockets, o jogador foi o melhor pontuador da equipa com 25 pontos, seguido por Curry com 20. Poole está a mostrar o que vale, e está a ser a “cola” que segura o ataque quando Curry está menos inspirado.

Vejam os higlights frente aos Hornets onde marcou 31 pontos:

Para além disso, uma peça que se tem revelado crucial nesta equipa mas que quase nunca é mencionada é Nemanja Bjelica. O center, que foi adquirido no verão, tem sido um fator importante na ofensiva dos Warriors com a sua visão de jogo e passe. Bjelica não é um jogador vistoso, e muito menos uma estrela, mas é o tipo de jogador que preenche qualquer buraco e ajuda a equipa da maneira que for preciso, sobretudo no ataque, fazendo o papel de facilitador – característica ótima para um big man, como por exemplo Jokic. Soube-se que os Warriors tentaram assinar Nic Batum, jogador dos Clippers, precisamente para esse propósito, é o chamado “glue-guy”, o jogador que ajuda em todos os aspetos. E ao que parece, apesar de não terem tido a primeira escolha, ficaram bem servidos.

Passando novamente para os titulares, Andrew Wiggins, que já está com a equipa há três épocas, está cada vez mais a aperfeiçoar o seu papel de role-player. Deixou os holofotes em Minnesota e veio trabalhar como deve de ser em Golden State. Já não é a primeira opção da equipa, nem vai ser a segunda, mas é o jogador que está sempre pronto para marcar e defender e ajudar a equipa como for necessário. Com uma média de 16 pontos por jogo, tem sido uma mais-valia no ataque juntamente com Curry e Poole.

Um outro titular, que obviamente é preciso mencionar, é Draymond Green. Podemos dizer que Curry é o líder da equipa, mas Green é o General! Sobretudo na defesa. Não é um jogador que vai contribuir muito na pontuação, mas contribui no ataque à mesma, só que apenas lutando por ressaltos e com visão de jogo. Green brilha na defesa, onde pode comandar as tropas. Sem Green não teríamos os Warriors como os conhecemos, e a verdade é que a defesa deles é a melhor neste momento graças a ele!

Há que falar também do regresso de Iguodala. É um jogador que já está ambientado no sistema. Apesar de já estar próximo do final da sua carreira, continua a servir de exemplo e a mostrar toda a sua versatilidade dentro do campo. No balneário é mais uma presença veterana que ajuda os mais novos a crescer e ensina as complexidades do mundo da NBA.

Por último, devemos louvar o banco dos Warriors. Esta equipa está muito bem construída, é muito equilibrada e, sobretudo, tem profundeza. Isto é, a qualidade não se esgota no seus titulares. Otto Porter Jr. foi uma excelente aquisição, que tem brilhado vindo do banco. Ainda penúltimo jogo, frente aos Rockets, marcou 15 pontos em apenas 18 minutos. Para além disso, está a lançar uns ridículos 47% da linha de triplo! Um outro suplente que tem sido uma ajuda preciosa é Gary Payton II, o filho do Hall of famer está a adpatar-se muito bem ao sistema dos Warriors e tem tido bastante sucesso. Payton está a jogar o dobro dos minutos que jogava no ano passado e, apesar de estar a marcar apenas 6 pontos por jogo com 2 ressaltos, está a lançar incrivelmente de 3 pontos, com uma percentagem de 56%. Note-se que ainda no jogo frente aos Houston marcou uns sólidos 10 pontos e arrecadou também 4 roubos de bola!

Em suma, os Golden State Warriors têm uma ótimo sistema, quer ofensivo, quer defensivo, e não dependem apenas de uma peça. Por essa mesma razão é que Curry pode, por vezes, ter um mau jogo, e ainda assim ganharem. O mais assustador não é ver os Warriors agora – é pensar como vão ficar quando Klay Thompson e James Wiseman voltarem… O que supostamente está para breve.

João Araújo Correia

Licenciado em Direito, 23 anos e sou fã incondicional dos Clippers desde a era da Lob-City. Desde pequeno que adoro basquetebol, tanto de ver como jogar! Apesar do Patrick Beverly estar enganado quanto aos próximos 5 anos serem dos Clippers, espero que seja, pelo menos, 1!

Deixe uma resposta