A troca que junta Turner aos Lakers e despacha Westbrook!

Os Lakers têm de agir, e tem de ser agora! Esta troca descarta o jogador que pior faz à equipa e colmata um grande problema.

Os Lakers não têm tempo a perder! Com 36 anos, LeBron não vai conseguir aguentar esta carga absurda dos últimos tempos. O King não está necessariamente em declínio em termos de qualidade, mas sem dúvida já não tem a mesma energia, garra e estamina de quando era jovem. A experiência de Westbrook falhou redondamente, e está na altura de abanar a bandeira branca.

Por outro lado, os rumores sobre os Pacers parecem ser verdadeiros, e o descontentamento de Turner não há nada de novo, pelo que uma troca parece iminente.

Assim, eis a troca:

Importa referir que LA enviaria para os Pacers duas picks (uma de primeira ronda, e outra de segunda) e os Magic também enviariam uma pick de 2ª ronda para Indiana.

Mas então o que leva estas equipas a fazer esta troca? Vejamos:

  • Lakers: é óbvio que, neste momento, os Lakers como estão são mais fracos que exatamente a mesma equipa, mas sem Westbrook. Porém um contrato daquelas não é fácil de trocar. Daí terem de absorver um contrato como o de Warren, que é capaz de nem jogar esta época. No entanto, vêm-se livres do maior problema – Westbrook. E ainda adquirem uma talentoso jovem Center. Este não é um problema suficientemente falado. Davis não gosta de jogar a center, e vê-se forçado a fazê-lo, porque Howard não é o jogador que era, limite o ataque e não consegue lançar do perímetro de forma constante. Assim, quando mais importa, Davis joga a center o que retira-lhe muita energia e aumenta o seu risco de lesões devido ao estilo físico de jogo que tem de empregar. Turner é um bom protetor do cesto e consegue lançar de triplo. Melhor fit era impossível para esta equipa.
  • Os Pacers precisam desesperadamente de fazer uma troca, dado o descontentamento de Turner e o facto de Warren estar prestes a ficar sem contrato, podem, essencialmente, perder estes dois jogadores no final desta e da próxima época. Assim, qualquer troca que arranje uma jovem promessa e picks é bem-vinda. Recomeçar de fresco. Fultz promete muito se se conseguir manter saudável, e três picks são um ótimo começo para um rebuild. Para além disso, o contrato de Harris acaba no final do ano, pelo que terão espaço para atrair veteranos que podem ensinar muito à camada jovem.
  • Magic: Westbrook é um excelente jogador. A verdade é essa. Não é por acaso que foi MVP. No entanto, ele brilha num sistema que o favoreça, e em Orlando isso pode acontecer. Os Magic estão em modo de rebuild e portanto uma presença como a de Westbrook poderia ser muito proveitosa para os jovens jogadores. O preço a pagar? Muito pouco. Harris tem sido um jogador medíocre na melhor das hipóteses, e a pagar 20 milhões de dólares até ao final da época, parece que não seria renovado, e eventualmente nem voltaria para a equipa. Fultz é um jogador com promessa, mas muito risco. Estava a mostrar que poderia vir a ser um jogador útil mas mais uma lesão só veio mostrar que é, de facto, um risco sério. Deste modo, os Magic vêm-se livres de um contrato de 20 milhões que na verdade só vale uns 5, e outro de 16.5 que poderia valer isso, mas realisticamente só vai pagar um “subsídio de doença”… Claro que adquirem o contrato “péssimo” de Westbrook, mas numa equipa em rebuild, aquele contrato não chateia ninguém, até porque acaba no final da próxima época.

João Araújo Correia

Licenciado em Direito, 23 anos e sou fã incondicional dos Clippers desde a era da Lob-City. Desde pequeno que adoro basquetebol, tanto de ver como jogar! Apesar do Patrick Beverly estar enganado quanto aos próximos 5 anos serem dos Clippers, espero que seja, pelo menos, 1!

Deixe uma resposta