A ressurreição de Carmelo Anthony

Carmelo Anthony é um dos jogadores que mais se tem destacado na equipa dos Los Angeles Lakers. Para já, regista uma média de 17 pontos por jogo e 4 ressaltos em apenas 27 minutos. Esta é a melhor média de Anthony nos último 5 anos – mas então o que mudou?

De facto, a resposta é simples: Carmelo adapatou-se. Limitou-se a perceber o que podia fazer, e o que já não conseguia. Percebeu qual era a necessidade da equipa e especializou-se. E, então, qual é esta necessidade? Triplos. Toda a gente sabe que qualquer equipa com o LeBron precisa de um bom espaçamento, para permitir que ele possa penetrar dentro do garrafão e soltar a bola para fora para quem estiver livre. Ou seja, os Lakers precisavam de um jogador “catch and shoot”. E, aparentemente, arranjaram-no. Aliás, 60% dos lançamentos de Melo esta época foram feitos sem nenhum drible.

E é precisamente isto que Carmelo mudou no seu jogo. Todos se recordam de como ele jogava nos Knicks ou Nuggets: famoso pelo jab-step, muitas jogadas de 1v1 antecedidas de vários dribles, crossovers, etc… Ora, esse estilo de jogo, para um jogador com 37 anos, simplesmente não é sustentável. Melhor dizendo, não é rentável. Foi exatamente o que aconteceu quando esteve em Oklahoma City, ou até em Houston (aposto que alguns já nem se lembravam, como eu, que Carmelo tinha estado nos Rockets). Já com uma idade avançada, e sem dúvida já ultrapassado o auge da sua carreira, Anthony tentou continuar a fazer o mesmo de sempre. Limitou-se a tentar “ganhar” à idade, mas o cansaço do seu corpo levou a melhor. Por isso mesmo é que a aventura em Houston acabou cedo e foi a pior época da sua carreira, o que levou a que saísse da NBA por uns meses.

Foi nesse momento que Melo regressou à NBA com os Portland Trail Blazers, com um estilo de jogo redefinido, sem problema em não ser titular, e privilegiando um estilo de jogo com menos esforço através do “catch and shoot”. Carmelo foi uma peça muito bem-vinda em Portland. Sem dúvida, que as duas épocas nesta equipa foram a razão por Anthony ter aparecido no rádar dos Lakers e, obviamente, de LeBron, seu amigo de longa data. Vejamos os highlights de Melo na época 19-20:

Tudo aponta que esta “aposta” dos Lakers foi bem sucessida. Para termo de comparação, em Houston, Carmelo lançava apenas 31.4% de “catch and shoot”, já em Los Angeles, fá-lo 51.2% das vezes. É uma diferença gigantesca! A nova filosofia de Melo é simples – não tentar complicar, não tentar fazer demasiado. Resume-se a jogar de forma inteligente, sem se cansar demasiado, a passar a bola e sem medo de lançar quando está livre. Aliás, mais um dado estatístico impressionante que demonstra precisamente como ele não tem complicado o seu jogo reside no facto de 64.8% de todos os seus lançamentos (sensivelmente 2 terços) acontecem em menos de 2 segundos de ter a bola nas mãos.

A melhor parte é o resultado de tudo isto: Carmelo está a lançar uns surreais 54% de triplo!!! Claro que esta média não é sustentável ao longo de toda a época, mas tendo em conta que a maior parte destes lançamentos ocorrem quando ele está livre, em virtude da atenção gerada por Lebron, Davis e Westbrook, ela não deve sofrer um grande decréscimo. Neste sentido, Frank Vogel já deu luz verde para Melo atirar e, consequentemente, está a registar o número mais alto da carreira em tentativas de triplo por jogo com quase 7 lançamentos. Recordem o jogo frente aos Grizzlies onde o jogador marcou 28 pontos, incluindo 6 triplos:

Só nos resta dizer duas palavras: Stay Me7o!

João Araújo Correia

Licenciado em Direito, 23 anos e sou fã incondicional dos Clippers desde a era da Lob-City. Desde pequeno que adoro basquetebol, tanto de ver como jogar! Apesar do Patrick Beverly estar enganado quanto aos próximos 5 anos serem dos Clippers, espero que seja, pelo menos, 1!

Deixe uma resposta