A hora da afirmação – Os 6 Jovens jogadores que precisam de dar um passo à frente no seu jogo!

Chegar à NBA por si só é um feito que não está ao alcance de muitos, mas a parte difícil começa agora. Nem todos os jogadores encaram o seu Rookie year da mesma forma o que significa que as suas evoluções também vão ser diferentes.

A maioria dos rookies recebe em média dois anos de tolerância para se ambientarem a uma nova realidade e para estabelecerem o seu jogo, no entanto chega a uma altura em que tem de corresponder às expectativas neles depositadas e quando essa altura chega, não podem vacilar, neste desporto rapidamente se passa de bestial a besta.

Sendo assim, foi feita uma lista de 6 jovens jogadores que vão ter de dar um passo à frente na próxima época e assim provar que tem o que é preciso para serem um jogador All-Star ou até mesmo um Franchise Player!

6. Kris Dunn

Kris Dunn fez parte da troca que levou Jimmy Butler para os Timberwolves, e desde cedo que os fans dos Bulls ficaram excitados com o jovem jogador.

Dunn é visto como um jogador muito forte em penetrações para o cesto e um bom desbloqueador ofensivo, defensivamente muitos analistas acreditam que tem tudo para fazer parte da NBA’s All-Defensive Team.

No entanto o caminho de Dunn não tem sido fácil com inconsistências no seu jogo e algumas lesões pelo meio.

Nas últimas 3 temporadas com médias a rondar os 8.6 pontos por jogo e 4.4 assistências e agora com mais uma preocupação, uma das escolhas do Draft por parte dos Bulls foi Coby White que pode muito bem relegar Dunn para segunda opção.

Com toda esta situação, este ano será decisivo para Chris Dunn se afirmar como um Point Guard acima da média.

5. Frank Ntilikina

Já era de esperar que a adaptação de Ntilikina na liga fosse difícil. Com alguns deslumbres de qualidade ao longo das últimas épocas, Frank ainda não convenceu.

Os Knicks certamente vão dar a titularidade a Dennis Smith Jr, com Frank a vir do banco.

Com médias de 5.9 pontos por jogo e 2.2 de assistências, o futuro não parece ser muito animador. Ainda assim Ntilikina vai ter mais uma oportunidade este ano de provar que merece um lugar de destaque na NBA.

4. Terry Rozier

Corria a época 2017/2019 quando Terry Rozier fez virar muitas cabeças com a sua prestação nos Playoffs pelos Celtics, e foi nessa altura que muita gente acreditou que Rozier estava preparado para assumir um papel de maior importância em Boston… Brad Stevens viu a situação com outros olhos.

Durante a época passada já na sombra de Kyrie Irving, nunca conseguiu atingir o nível que demonstrou nos playoffs e já depois da época acabar, veio a público comentar a sua incompatibilidade em jogar no mesmo plantel que Kyrie.

Mesmo assim Rozier assinou com o Hornets este ano um contrato de 3 anos no valor de 58 milhões de dólares, o que por muitos foi considerado um dos piores negócios desta Free Agency. Cabe agora a Rozier provar o contrário.

3. Zach Collins

Zach Collins já mostrou por diversas vezes que é um grande talento e em certas alturas da época em que parece que deixou de ser uma dúvida para ser uma certeza, no entanto ainda existem alguma reticencias em relação ao mesmo.

Collins tem um papel no Blazers em que tem a possibilidade de abrir o campo ofensivamente, mas para isso tem de melhorar o seu tiro exterior (32% média de carreira em lançamentos de 3 pontos). Defensivamente falando Zach também já provou que pode ser uma mais valia deste lado do campo.

Tudo indica que os Blazers vão conseguir mais uma ida aos Playoffs e com potencial para chegarem longe, e se Collins conseguir limar algumas arestas no seu jogo certamente vai ver os seus minutos dentro de campo aumentarem.

2. Lonzo Ball

Lonzo chegou à liga com muitos holofotes em cima dele, no entanto a sua carreira na NBA tem sido feita de altos e baixos. Vítima de algumas lesões nos seus primeiros dois anos e numa equipa em constante mudança nos últimos anos como foi o caso dos Lakers, Lonzo nunca conseguiu a estabilidade ideal para evoluir o seu jogo.

Agora com uma nova aventura com o News Orleans Pelicans, Lonzo deixou de ter desculpas e chegou o ano em que tem de mostrar o porque de ter sido a pick nº2.

Lonzo irá ter muitos minutos em campo e tem tudo para desenvolver o seu jogo. Conhecido como sendo um excelente defensor, precisa de ser mais constante no seu lançamento exterior e ganhar mais agressividade nos ataques ao cesto.

Apesar de tudo ao longo das últimas duas épocas Lonzo terminou com uma média de 10 pontos por jogo, 6.2 ressaltos, 6.4 assistências e ainda 1.6 roubos de bola por jogo.

1.    Jayson Tatum

Tatum foi impressionante na sua época de estreia na NBA, principalmente durante os playoffs, no entanto, o ano passado a evolução não apareceu como era esperada. Muitos responsabilizam este não crescimento devido a todo um clima negativo que se viveu em Boston durante a última temporada onde nenhum jogador conseguiu uma época verdadeiramente positiva.

A realidade mudou em Boston, Kyrie saiu e cabe agora a Tatum, Jaylen Brown e Kemba Walker assumir o ataque dos Celtics. Tudo parece encaminhado para que Jayson Tatum mostre o que realmente vale e que tem qualidade para ser o Franchise Player como muitos adeptos acreditam.

Tatum tem tudo o que é preciso para ser uma Super Estrela da NBA. Uma técnica de lançamento acima da média, uma ética de trabalho invejável e ainda é um grande defensor.

Até ao momento apresenta uma média de 14.8 pontos por jogo e 5.5 ressaltos.

Vasco Brito

Licenciado em Marketing, apaixonado por jogos online e tatuagens mas acima de tudo pelo melhor liga do mundo...NBA!

Deixe uma resposta