Susana Carvalheira, MVP da jornada 3 da Liga feminina

A internacional portuguesa Susana Carvalheira, da Associação Desportiva de Vagos, foi a MVP da terceira jornada da Liga Skoiy. Na vitória frente ao Galitos por 67-55, registou 9 pontos, 11 ressaltos, 3 assistências e 5 desarmes de lançamento em 28 minutos.

 Conheça melhor a Susana!

Como começou o teu percurso no basquetebol?

Eu participei num torneio, Compal Air 3×3, que se realizou na universidade do Minho. Viram-me a jogar e convidaram-me para experimentar um treino no Sporting Clube de Braga. Gostei e o amor pelo jogo foi crescendo.

Como foi a passagem para o escalão sénior?

Foi desafiante. Cresci como atleta e como pessoa com essa passagem. Mas admito que tenho saudades do escalão de formação.

Qual a maior dificuldade na posição de poste?

É o contacto que a posição exige como também a coordenação e trabalho de pés.

Quais são os teus objetivos para esta época?

Este ano é um ano atípico com tudo aquilo que está a acontecer no mundo. Mas a vontade de vencer não se esmorece. Tenho o sonho de ser campeã pelo ADVagos e este pode ser o ano.

Qual a expetativa da equipa esta época?

Sabemos que a liga este ano está muito competitiva, e que não deixamos de ser uma das possíveis candidatas ao topo da tabela. Conseguimos ganhar a qualquer uma das equipas, temos trabalhado para isso. Queremos estar em todos os pontos altos desta temporada.

Tem significado o número na camisola?

Nem por isso. Gosto muito de números pares e como nasci no dia 14, ficou este.

Tens algum ritual pré-jogo?

Gosto de ouvir música para me concentrar e motivar.

Quem é o teu jogador favorito?

A Sofia Carolina é uma referência para mim. Tenho a sorte de poder trabalhar e aprender com a experiência dela.

O que te ensinou o basquetebol, que aplicas na tua vida?

Para além das amizades que o basquetebol me deu, aprendi a gerir bem o meu tempo. Conciliar a vida académica com a desportiva é sempre um desafio. Aprendi também que temos de ter espírito de sacrifício para conseguir alcançar os nossos objetivos, abdicando de muitas outras coisas em prol disso.

Qual o conselho de um treinador que te lembras sempre?

Que a consistência é o mais difícil de atingir. A paciência, perseverança e o querer são essências para o conseguir.  Nada vem sem trabalho e experiência. O mais importante é manter o foco nos objetivos e não desistir. 

Qual o conselho que dás a alguém que quer jogar basquetebol?

Praticar desporto é essencial para uma vida mais leve, dinâmica e saudável. Para além de nos dar valências importantes para o nosso quotidiano, criamos laços muito fortes com as pessoas. O basquetebol, em particular, é uma modalidade rica em diversas vertentes, sejam concentração, tomadas de decisão, lidar com pressão, trabalho de grupo, comunicação entre outros.

Vês o teu futuro sempre ligado ao basquetebol?

Acho que a ligação ao basquetebol nunca vai desaparecer. Mas o meu objetivo profissional, por enquanto, não está associado à modalidade.

Mensagem para os fãs do basquetebol: Não deixem de acreditar na modalidade. Já tivemos dias mais risonhos, mas não podemos deixar que tudo isto nos abale. Continuar a lutar para ultrapassarmos as adversidades do dia-a-dia, e brincar ao basquetebol que tanto gostamos de o fazer. Nunca percam a esperança e deixem-se apaixonar cada vez mais pelo jogo.

Deixe uma resposta