Os Nets pagaram demasiado?

O futuro o dirá. Claro que as possibilidades de ganhar um título aumentaram, mas como já foi demonstrado em 2013, é extremamente arriscado desistir de todas as escolhas da primeiro ronda por um período tão longo (até 2027). Durant já tem 32 anos, é improvável que ainda seja um dos cinco melhores em seis anos, e o mesmo ocorre com Harden e Irving se eles ainda estiverem lá.

Tal como os Clippers com a troca por Paul George, os Nets hipotecaram as opções futuras, o que pode tornar o franchise mais limitado se algo correr mal. Especialmente quando a combinação de três estrelas falha. O objetivo só pode ser o título, tudo o mais será visto como uma enorme deceção, da forma como o investimento foi feito.

Além de vender as picks, a profundidade do plantel também pode ser um problema. Antes da troca, o Nets eram provavelmente a equipa com mais profundidade. Allen e LeVert eram pilares, até Prince fazia parte da rotação. Com a saída de Allen, DeAndre Jordan é o único poste, Durant e Jeff Green provavelmente terão de ajudar na posição cinco com mais frequência.

Atualmente Brooklyn tem apenas doze jogadores e pode preencher essas vagas nas próximas semanas. Alguns veteranos poderão ser adicionados à equipa.

Os Nets têm entre oito e nove jogadores para a rotação. Além do novo Big 3, têm Harris, Jordan, Green, Landry Shamet, Bruce Brown e Timothe Luwawu-Cabarrot. Talvez seja pouco, mas pode ser o suficiente se as três estrelas se derem bem como esperado.

Deixe uma resposta