Os maiores erros das equipas nesta off-season – Parte 1

Enquanto a NBA hiberna e estamos a fazer nada, podemos explorar como alguns elencos poderiam se parecer para a época 2019-20.

Notadamente que equipas como os Los Angeles Clippers e os Brooklyn Nets se deram muito bem neste verão no mercado mas, temos também outras equipas que deixaram seus fãs decepcionados como os Charlotte Hornets e os New York Knicks, por exemplo.

Claro que nenhuma equipa é perfeita e não importa quão bem a off-season pode ter sido, sempre há algum erro cometido, seja no draft, na free agency ou nas trocas.

Começamos esta série apresentando quem errou menos. Confira:

Erros pequenos

Houston Rockets: contratar decepções do draft de 2013, Ben McLemore e Anthony Bennett
Nenhuma equipa podia vibrar mais com o desmonte dos Golden State Warriors do que os Rockets.

Finalmente Houston tem uma chance real de título, ainda mais com um núcleo fortíssimo com Harden, Westbrook, Capela, Tucker e Gordon.

Os Rockets estão no modo campeonato, então para quê gastar espaços no seu elenco com decepções do draft? McLemore jogou apenas 19 jogos nos Kings na época anterior antes de ser dispensado e Bennet sequer joga na NBA desde 2016-17.

Houston não possui tempo para desenvolver jogadores e poderia ter investido melhor em bons defensores veteranos como Iman Shumpert ou Thabo Sefolosha ao invés de tentar dar uma nova chance na carreira de McLemore ou Bennet.

Indiana Pacers: desistir de escolhas de draft por um agente livre restrido
Os Pacers tiveram uma boa off-season com a aquisição do base Malcolm Brogdon, ex-Milwaukee Bucks. Mas isto custou um preço.

Brogdon era um agente livre restrito e os Pacers fecharam um contrato de quatro anos e $85 milhões de dólares via sign-and-trade (assina e troca) que lhes custou a escolha de primeira rodada de 2020 assim como as escolhas de segunda rodada de 2021 e 2025.

O problema é que Indiana supervalorizou a negociação, caindo no blefe de Milwaukee que não teria como cobrir uma possível oferta mais modesta de Indiana já que havia gastado $268 milhões em Middleton, Brook e Robin Lopez e George Hill.

Los Angeles Clippers: ter dados muitas escolhas por Paul George (será?)
É difícil culpar os Clippers por qualquer coisa. Eles tiveram um dos melhores verões da história da NBA adicionando Kawhi Leonard e Paul George a uma equipa que ganhou 48 jogos e foram aos playoffs da Conferência Oeste nesta última época.

O pacote de escolhas e jogadores que eles tiverem que dar ao Oklahoma City Thunder por George foi recheado, Shai Gilgeous-Alexander, Danilo Gallinari, cinco escolhas de primeira rodada mas, valeu a pena considerando que significou também a vinda de Leonard.

O único ponto negativo para os Clippers é que agora eles não possuem nada de escolhas de draft na manga que possam ajudar em possíveis negociações, caso queiram reforçar o elenco em fevereiro. Ainda assim, os Clippers podem se sentir muito, mas muito bem sobre este verão.

Memphis Grizzlies: a troca por Josh Jackson
A troca da lenda da franquia Mike Conley foi um doloroso mas necessário movimento que abriram as portas para que a escolha nº 2 do draft Ja Morant tenha um controle completo do ataque. Ter conseguido o extremo de Gonzaga Brandon Clarke em uma troca na noite do draft com o Thunder foi grande também.

Mas, aí, Memphis então resolveu apostar com sua troca pela quarta escolha do draft de 2017, Josh Jackson, um bom jogador de ataque mas, destinado a ser uma decepção (o que os americanos chamam de bust). Jackson foi preso durante um festival de música em Maio e alegadamente correu da polícia depois de ser algemado. Em Junho foi acusado de fumar maconha próximo à sua filha de cinco meses pela mãe da criança.

Com a reconstrução de Memphis tentando ir na direção certa com jogadores como Morant, Clarke e Jaren Jackson Jr., trazer alguém envolvido em recentes problemas legais como Jackson pode ter sido um erro.

Milwaukee Bucks: contrato com Dragan Bender
Trazer um fracasso do draft sobre veteranos já provados não faz o menor sentido para uma equipa com aspirações de campeonato.

Os Bucks tiveram uma campanha de 60 vitórias época passada e o melhor jogador rival da conferência se mandou para os Clippers. A hora de ir com tudo é agora!

Ao invés disso, Milwaulkee resolveu contratar a escolha nº 4 do draft de 2016, mesmo com modestíssimos números de 5,3 pontos e 3,8 rebotes por jogo com um aproveitamento de 39,4% dos chutes. Aos 21 anos, Dragan Bender será esquecido no banco de um candidato ao título ao invés de tentar encontrar um espaço em uma equipa em reconstrução.

Os Bucks podem ter usado um espaço no seu elenco que poderia ter sido preenchido com veteranos já testados como Jeremy Lin, Jamal Crawford ou JR Smith.

Terminamos aqui a parte 1 desta série e na próxima parte apresentaremos as equipas que cometeram o erro de torrar muita grana. Não percam!

Raphael Amaral

Pai, esposo, professor doutor em Engenharia Elétrica e um apaixonado por esportes americanos, em especial a NBA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *