Os maiores erros das equipas nesta off-season – Parte 5

Voltamos com a quinta parte desta série, entre fraldas, choros e mamas, o tempo fica mais curto, embora seja prazeroso cuidar da miúda mas, seguimos adiante nesta reta final de série, ufa! Ainda faltam analisar os erros de 10 equipas e, hoje apresentamos as equipas que cometeram erros, mas que não é tarde demais!

Não é tarde demais!

Minnesota Timberwolves: não ter contratado/trocado por D’Angelo Russell
Apesar de não terem orçamento para contratarem D’Angelo Russell neste verão, os Timberwolves tiveram uma reunião com o jogador All-Star de 2019 na noite de abertura da free agency.

O objectivo era unir as duas primeiras escolhas gerais do draft de 2015, Russell fazendo parceria com a estrela da franquia Karl-Anthony Towns. Minnesota tentou um acordo de sign-and-trade (acordo onde o jogador assina com uma equipa e é trocado para outra sem que o orçamento, cap space, seja afetado) com Brooklyn envolvendo Andrew Wiggins. Nenhuma palavra se ouviu do escritório dos Nets antes de desligarem o telefone.

Ao invés disso, Russell concordou com uma sign-and-trade com os Warriors, recebendo um contracto máximo de quatro anos e $117,3 milhões de dólares.

No entanto, a esperança dos Wolves ainda não foi perdida.

Os Warriors ainda podem trocar Russell depois de 15 de dezembro e Minnesota é uma das três equipas da NBA que não trocaram nenhuma de suas futuras escolhas do draft. O novato Jarrett Culver, Robert Convington e Josh Okogie são peças de troca atrativas e Jeff Teague está em um contracto expirante de $19 milhões.

Minnesota falhou na sua perseguição original por D’Angelo mas eles devem tentar novamente no inverno.

New Orleans Pelicans: não terem trocado por Bradley Beal
Mesmo com uma off-season espetacular, ninguém bate o martelo que os Pelicans já são uma equipa de playoffs.

Ter feito a troca por Bradley Beal poderia ter mudado isso.

De acordo com Ben Standig do NBC Sports Washington, os Pelicans gostariam de ter adquirido o base: “Os New Orleans Pelicans demonstraram interesse sincero no jogador duas vezes All-Star antes da bomba da troca de Anthony Davis para os Los Angeles Lakers. Esta questão permaneceu com ambos os lados discutindo um cenário de troca envolvendo Beal, fontes disseram ao NBC Sports Washington.”

Como o interesse se deu antes do draft, o objectivo ainda deveria ser o mesmo para os Pelicans.

Assumindo que tanto Zion Williamson como Jrue Holiday são intocáveis, os Pelicans ainda possuem uma porção de valores para oferecer para Washington. New Orleans possuem uma escolha de primeira rodada dos Cavs de 2020, dos Lakers de 2021 e 2024 e também uma verdadeira selecção de jovens talentos como Brandon Ingram, Lonzo Ball, Josh Hart, Jaxson Hayes e Nickeil Alexander-Walker.

Se os Wizards não tornar mais disponível Beal, os Pelicans ainda possuem o melhor pacote de valores de qualquer equipa da NBA.

Oklahoma City Thunder: não ter redistribuído Chris Paul
Depois da troca envolvendo Russell Westbrook e Chris Paul com várias escolhas de draft recebidas, OKC tentaram sem sucesso achar uma nova casa para Paul. A expectativa agora para CP3 é que ele ao menos inicie a época pelos Thunder, com possibilidades de jogar a época inteira, afirma Adrian Wojnarowski da ESPN americana.

Apesar de não terem encontrado um parceiro de trocas, OKC não desistiu deste movimento ainda.

A combinação de CP3, Steven Adams e Danilo Gallinari podem dar aos Thunder a oportunidade de conseguirem uma boa escolha de primeira rodada do draft, já que essa equipa não é boa o suficiente para conseguirem uma vaga nos playoffs da conferência Oeste e, estar em algum lugar pelo meio da tabela de classificação, fora dos playoffs, ainda é um péssimo lugar para se estar na NBA.

Manter Paul também significa limitar o desenvolvimento de Shai Gilgeous-Alexander, agora o melhor jogador jovem da equipa. Seu desenvolvimento é crucial para o futuro da franquia e, iniciar este desenvolvimento no jovem jogador de 21 anos é mais que necessário.

Mesmo que os Thunder tenham que abrir mão de alguma escolha de draft recebida, trocar Paul é uma necessidade.

Utah Jazz: náo ter trocado por Kevin Love
Enquanto os Jazz obtiveram grandes aquisições neste verão com Mike Conley, Bojan Bogdanovic e Ed Davis, ter trocado por Kevin Love certamente colocaria a franquia como candidata ao título.

Love com 30 anos ainda é um grande pontuador e ressaltador, desde que saudável, e já possui uma experiência de título no currículo. Rudy Gobert poderia cobrir qualquer falha defensiva que Love tenha, já que Utah foi a segunda melhor equipa defensiva época passada, e eles ainda adquiriram Mike Conley!

Os Jazz ainda podem fazer um pacote bastante atractivo pelo extremo cinco vezes All-Star. A combinação de Joe Ingles, Dante Exum e algum outro jogador de baixo salário podem funcionar, além de Utah ainda poder negociar as escolhas de primeira rodada de 2022 ou 2024.

Perder o jogador favorito dos fãs, Ingles, não seria nada fácil mas, se Utah deseja se sobressair em uma conferência recheada de candidatos ao título, uma troca por Love deveria ser seriamente considerada.

Washington Wizards: não terem trocado Bradley Beal
Uma troca por Bradley Beal nunca foi tão valorizada, já que o All-Star de 26 anos ainda tem um contracto de dois anos bem razoável ($27.1 milhões em 19-20 e 28,8 em 20-21) para receber.

Os Wizards terão provavelmente mais um ano terrível, já que esperam pela recuperação de John Wall que teve uma lesão de Aquiles, o que significaria mais um desperdício de ano para o voo solo de Beal.

Washington pode completamente se ajustar para uma reconstrução agora mesmo, e isso implicaria em trocar Beal. Os Pelicans, como falado há pouco, possuem uma coleção monstra de escolhas de draft e jogadores para oferecer. Os Denver Nuggets, Boston Celtics, San Antonio Spurs e até os Los Angeles Lakers podem também oferecer bons pacotes.

Se os Wizards vão para uma época com Beal, correm seriamente o risco de uma lesão grave no jogador, o que reduziria drasticamente o seu valor de mercado.

Fazer uma troca com jogadores que são estrelas nunca é uma decisão fácil, mas os Wizards precisam olhar como os Pelicans fizeram isso como um modelo que eles precisam fazer agora.

Por hoje é isso e na última parte da série vem as equipas que cometeram os maiores erros da off-season. Será mesmo? Bem, isso só o tempo irá dizer…

Raphael Amaral

Pai, esposo, professor doutor em Engenharia Elétrica e um apaixonado por esportes americanos, em especial a NBA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *