“Ones to Watch 22/23”: Russell Westbrook

“Ones to Watch 22/23” consiste em analisar ao pormenor um jogador de cada equipa da NBA, que tem muito para provar na temporada que se avizinha. Os jogadores são selecionados conforme a sua situação atual, como por exemplo, um jogador regressado de lesão, um jogador que tem a “obrigação” de se afirmar, um jogador que foi recentemente adquirido, etc. A rúbrica funcionará por ordem alfabética de equipas e será lançada todos os dias até ao começo da temporada.

Russell Westbrook teve provavelmente um dos verões mais atribulados da sua carreira. O base de 33 anos “deu de caras” com a realidade de um jogador dos Lakers, e teve todos os focos virados para si, e para o seu futuro, após uma temporada muito irregular.

“Russ” chegou aos Lakers no verão passado, e após uma temporada terrível por parte da equipa de LA, as culpas caíram em grande parte para o jogador, que tem vindo a ficar conhecido pela sua irregularidade e falta de consistência. A verdade é que qualidade não lhe falta, Westbrook é um dos melhores jogadores da última década na NBA, e apesar de já poder estar em fase decadente, poderá continuar a ser uma boa arma para os Lakers, ao contrário do que dizem.

O “Mr Tiplo-Duplo” teve médias de 18 pontos, 7 assistências e 7 ressaltos por jogo na temporada, o seu registo mais fraco nos últimos anos. É um jogador rápido e ágil ,tendo sido o “pioneiro” de um estilo de jogo muito visto nos “point guards” de hoje em dia (como Ja Morant, por exemplo). O lançamento exterior nunca foi a sua melhor virtude, mas sempre conseguiu compensar pela maneira como penetrava as defesas adversários, muitas vezes de maneira “explosiva”. Não podemos também esquecer o facto de ser o jogador na história da NBA com mais triplos- duplos conseguidos, feito conquistado na temporada passada, batendo o record de 181 de Oscar Robertson (já tendo 194).

Westbrook sempre foi um jogador rodeado pela polémica, e a junção com o “peso” de ser jogador dos Lakers acabou por tornar a situação ainda pior. Falou-se muito de uma saída durante a “offseason”, que até à data não aconteceu. A verdade é que o jogador não é culpado por tudo o que se passou nos Lakers, no entanto, acabou por ser “a cara” do fracasso da temporada, injustamente.

É por isso mesmo que o coloco nesta rúbrica, pois agora existem muitas bocas por calar, e Westbrook tem um “teste de fogo” esta temporada. Veremos se conseguirá calar os críticos, ou acabará mesmo por ser trocado para outra equipa.

Vasco Oliveira

Estudante de Ciências da Comunicação com a aspiração de um dia poder trabalhar no mundo da NBA. @vascoliveira8 no Twitter

Deixe uma resposta