O afundanço do século, contado pelos protagonistas

Vince Carter jogou a sua última partida oficial a 11 de março de 2020. Há 20 anos, Vince Carter teve um momento inesquecível no basquetebol com o que muitos referam como o melhor afundaço da história. Contra a seleção francesa nas Olimpíadas de Sydney em 2000, a estrela dos Toronto Raptors simplesmente escalou o gigante Frédéric Weis. A ESPN reuniu os testemunhos de alguns jogadores da época sobre este evento que percorreu o planeta e deixou uma marca duradoura na mente das pessoas. Aqui estão as reações mais relevantes.

Vince Carter:“Eu sabia que estava numa boa posição para conseguir uma intercetação. Assim que agarrei a bola, lembro-me de ter feito o primeiro drible, depois o segundo, só para ver o que Weis faria. Nunca me enfrentou, ele estava apenas à espera. Eu pensei que se eu saltasse, ele não teria a possibilidade de me parar. Ele apenas ficou lá e lembro-me de colocar a minha mão no ombro dele enquanto me levantava, comecei a olhar ao redor do círculo e disse a mim mesmo: ” Oh, oh … ‘Se virem as fotos, estou a esticar a parte superior do corpo o máximo possível, porque acho que não vou chegar lá. Depois vejo os festejos. Ninguém poderia saber o que se passava na minha mente. ‘ 

Rudy Tomjanovich , treinador da equipa dos EUA em 2000: ” No treino, ele estava a receber passes longe do cesto. Ele usava todos para transformá-los em afundanços. Os companheiros diziam, ‘Viram isto ??’ Jason Kidd disse que ele poderia por a bola em qualquer lugar e Vince a teria de qualquer maneira a afundar.” 

Frédéric Weis: “Eu não percebi o que estava a aconter. A única coisa que me lembro é de Moustapha Sonko a gritar do banco como se fosse eu quem estivesse a afundar. Ele estava a levantar os braços no ar. Só que eu não era o Dunker … ” 

Tim Hardaway: “Na época, eu provavelmente saltei mais alto do que Vince. Todos saltaram, era como se estivéssemos em Rucker Park. As pessoas quase saltaram para o campo. Tivemos de controlar as nossas emoções.”. 

Ray Allen: “Eu pensei que estava a sonhar. Vince a saltar sobre alguém tão alto como o Weis era impossível para mim. Eu não podia acreditar no que via, o que acabei de ver? Ele realmente fez isto? Quase esqueci que estava no campo. Transformei-me num fã a ver jogadas! “

Jason Kidd:  Alguém mais tinha de fazer parte deste momento. Não achei que tenha sido tão depreciativo para Weis, mas foi porque ele era escolha dos Knicks. Fez com que fosse mais falado. Acho que se Weis tivesse sido escolhido no Draft por qualquer outra equipa da NBA, as coisas teriam sido mais calmas e ele teria vindo para cá. Ele poderia ter uma carreira boa.” 

George Eddy : “Muitas pessoas disseram que Fred Weis ficou traumatizado e nunca superou isso. Isso é treta. Ele fez um bom jogo contra Luc Longley e a Austrália nas semifinais e fez um bom torneio com uma medalha de prata. Ele tinha problemas pessoais na época, mas hoje está bem. Ele é um empresário. Quem diz que Fred é uma vítima, não percebe a maior parte desta história “.

Antonio Davis, ex-companheiro de equipa de Carter em Toronto: “Esta aparição nas Olimpíadas era exatamente o que Vince precisava para canalizar a sua energia. Não sei se havia algo de errado com a sua vida privada, mas ele tinha constantemente lágrimas. Esta foi a diferença entre um bom Vince Carter e um Vince Carter realmente excelente.” 

Deixe uma resposta