Michael Jordan, “Não teria sobrevivido com o Twitter”

Michael Jordan é considerado por muitos o maior jogador de basquetebol de todos os tempos. O atual proprietário dos Charlotte Hornets duvida até que ponto poderia ter dominado nestes dias. O motivo? A toxicidade das redes sociais.

Como exemplo, Jordan referiu o jogador de golfe Tiger Woods, em entrevista à revista de charutos Cigar Aficionado, onde a vida privada é bem documentada. “Tiger estava a jogar o seu melhor golfe quando eu estava a chegar ao fim da minha carreira”, explicou Jordan.

“O que eu mudaria seriam as redes socais como o Twitter e todas essas coisas. Isso entrou tanto na nossa personalidade que há pessoas que podem até beneficiar financeiramente com isso.”

As coisas eram diferentes na altura do casamento de Jordan nos anos 1990. Apesar de alguns relatos sobre a vida privada de MJ, muitas coisas podiam ser fechadas a sete chaves.

Atualmente isso não seria mais possível, “Não sei se conseguiria sobreviver no Twitter. Não existe privacidade e muitas coisas que parecem inofensivas podem sempre ser mal-interpretadas.”

Ao mesmo tempo, Jordan, que aliás ainda não tem uma conta pessoal no Twitter, admitiu que não teria paciência para treinar, principalmente quando se é jovem, ao ler tanta coisa e gerir as emoções.

Jordan também se pronunciou contra as “super equipas” da NBA, em que várias estrelas jogam juntas e dominam a liga: “No que diz respeito à competição, a NBA não é a melhor. Só tem uma ou duas grandes equipas, e as outras 28 são lixo. “

Deixe uma resposta