Kyrie, uma exibição para a história

Mesmo sem jogar em casa, Kyrie Irving não está a perder o ritmo. Ainda impossibilitado de jogar no Barclays Center devido à legislação em New York em relação à vacinação, o jogador de 29 anos deu a impressão de se vingar nos Orlando Magic.

Na grande vitória da sua equipa (150-108), o antigo jogador dos Cleveland Cavaliers fez simplesmente um momento para a história. Um desempenho deslumbrante com uma facilidade em fazer a diferença a nível ofensivo.

A defesa catastrófica dos Magic também contribuiu para o seu festival. Mas mesmo assim, o espetáculo de Kyrie foi incrível.

No total, Irving marcou 60 pontos. Este foi o máximo da carreira. Um recorde também na história dos Nets.

No primeiro período, ele estava noutro planeta. Na história recente do basquetebol, raramente vimos isto. 41 pontos nos primeiros 23 minutos em 14/19 nos lançamentos, incluindo um excelente 6/7 nos três pontos. À medida que suas façanhas progrediam, até o público de Orlando começou a puxar por ele!

“Ele é simplesmente incrível. Eu senti que vi os melhores momentos da minha carreira nos seus primeiros 12 minutos de jogo. É especial vê-lo todas as noites, mas é especial vê-lo em noites como esta, onde tem um controlo e domínio total.

Ele vai onde quer e é capaz de finalizar. É um prazer vê-lo de perto e fazer parte disso”, disse o treinador Steve Nash.

Depois do seu recente momento de 53 pontos contra os New York Knicks, Kevin Durant também aproveitou para elogiar o companheiro.

“Tenho a certeza de que no primeiro período todos o viam a melhorar. Ele já estava com 16 pontos. No meio do segundo, estávamos todos no banco a assistir… é assim em todos os jogos para Kyrie, olhamos para cima, ‘Caramba, ele já tem 10, 12, 14 pontos'”, comentou KD.

E precisamente, Durant e Irving, com as suas atuações recentes, fizeram história na NBA. Nunca dois companheiros marcaram 50 ou mais pontos em dois jogos consecutivos. 53 para KD contra os Knicks, 60 para Irving contra os Magic.

Uma estatística que demonstra o potencial assustador desta dupla a nível ofensivo. Ambos têm essa capacidade de assumir o controlo de um jogo. 

“Estou feliz por não ter sido um jogo vazio com mais de 50 pontos. Foi feita história. Fazer isto com aquele companheiro é muito especial. Mas o crédito vai para o nosso grupo.

Os nossos rapazes no balneário, eles acreditam em nós, eles dão tudo de si, não há dúvida nas nossas mentes que eles acreditam que podemos fazer algo especial.

E não apenas este ano, mas nos próximos anos. Temos um bom grupo. E estamos todos a sacrificar-nos por algo que é maior do que nós mesmos”, disse Kyrie Irving à imprensa.

Mas não havia quase nada de coletivo na noite passada. Era simplesmente uma expressão de imenso talento individual. E uma vez colocados ao serviço do coletivo, tais qualidades podem levar muito longe…

Deixe uma resposta