Jogadores que abandonaram cedo de mais – 8. Gilbert Arenas

Durante 15 dias vamos retratar 15 jogadores que de uma maneira ou de outra deixaram a NBA. Alguns por lesões, outros por factores externos ao que diz respeito ao basquetebol.

  • Anos: 2001–2012
  • Pontos: 20.7 por jogo
  • Assistências: 5.3 por jogo
  • TS%: 54.7%
  • Win Shares: 51.3
  • VORP: 22.3

Agent Zero, alcunha que recebeu por usar o número zero. E porquê o numero zero? Porque eram os minutos que os analistas previam que ele jogasse. Contudo, desafiou todas as odes e tornou-se um dos melhores jogadores dos anos 2000. Falamos de Gilbert Arenas, um finalizador incrível que deixou muito por mostrar .

Apesar de ter feito dois grandes anos na universidade de Arizona, Arenas atraiu muito pouco interesse pelas equipas na NBA. Ainda assim, os Golden State Warriors com a 31ª pick na segunda ronda decidiu escolher Gilbert Arenas.

A sua primeira época arenas pouco jogou e os números reflectem-se nisso. Contudo, na sua segunda época tudo mudou, passou de 10.9 pontos por jogo para 18.3 pontos por jogo. Vence o Most Improved Player of the Year e vence o MVP do Rookie-Sophomore durante a semana de All-Star.

Em 2003-2004, Arenas torna-se free agent restrito e assina um contrato de 6 anos, 60-milhões com os Washington Wizards. Os GSW não tinha salary cap para assinar com Arenas (porque este foi draftado na segunda ronda) o que levou à criação da “Gilber Arenas rule” de maneira a poderem assinar com jogadores que não sejam da primeira ronda. Durante a sua primeira época nos Wizards, Arenas batalhou com uma lesão abdominal e acabou com 19.6 pontos por jogo. Na época seguinte Arenas chega ao seu primeiro All-Star e levou os Wizards pela a primeira vez aos playoffs desde 1997. Nessa época Arenas acaba com 25.5 pontos por jogo e 2.24 roubos de bola. Nesse ano dos playoffs os Wizards chegam à semi-final da conferência mas caem aos pés dos Heat.

Passou mais uma época e Arenas continuou a evoluir. Desta feita marca 29.3 pontos por jogo (máximo de carreira). Volta a ser novamente All-Star e acaba em segundo no concurso de 3 pontos atrás de Dirk Nowitzki.

Nos playoffs são eliminados na primeira ronda. No jogo 6 entre os Cleveland Arenas foi para a linha de lance livre com hipótese de empatar o jogo (estavam a perder por um), nessa altura James chega a Arenas e diz “Se falhares estes dois vais para casa”. Arenas falhou os dois lances livres, apesar de ser quase 90% da linha e os Wizards foram eliminados.

A época 2006-07 regressa com os olhos postos em Arenas, mais uma vez vai aos All-Stars e desta vez entra como titular. No final desse ano Arenas rompeu os ligamentos o que o afastou dos playoffs.

Até ao final do contrato em 4 épocas, Arenas jogou apenas 68 jogos em 328 possíveis.

Em 2009 teve ainda um incidente com o colega de equipa Javaris Crittenton onde ambos levaram armas carregadas para o balneário depois de um desentendimento sobre apostas. Durante a investigação foi suspenso pela NBA.

Em 2010 os Wizards decidem trocar Arenas para os Orlando Magic. Durante o ano de 2011, devido ao lockout a NBA instaurou a clausula de amnistia que permitia a cada clube cortar um jogador do roster. Assim sendo Arenas foi dispensado tornando-se o primeiro jogador a ser dispensado desta forma.

Em 2012 assina pelos Grizzlies para ser o base suplente de Michael Conley Jr. nos playoffs. Contudo, a experiência não correu da melhor maneira e a equipa de Memphis acaba eliminada na primeira ronda pelos Clippers. Depois disto Arenas tornou-se free agent e nunca mais regressou à NBA.

A sua carreira na NBA foi bastante controversa. Por exemplo durante um simpósio da NBA sobre armas de fogo, Arenas disparou e acertou com uma arma de pressão de ar em Nick Young. Arenas admitiu ainda que durante 4 meses passou em cerca de 60 sinais vermelhos e consegui escapar porque tinha a matricula guardada no carro.

Ainda assim Arenas foi um grande jogador e se não fossem as lesões provavelmente teria ficado mais uns anos na NBA e podia ter ajudado alguma equipa a conquistar um anel. Aqui ficam os seus melhores momentos.

Deixe uma resposta