Free agent tracker- Gordon Hayward

Gordon ainda não sabe onde vai jogar em 2021

O extremo de 30 anos chegou a Boston no verão de 2017, proveniente dos Utah Jazz. Tendo sido All Star nesse mesmo ano, Gordon vinha plenamente preparado para criar impacto imediato nos Celtics.

Todavia, as expetativas sairam frustradas ao fim de pouco mais de 15 minutos em campo. Na estreia de Hayward com a camisola dos Boston Celtics, em outubro de 2017, num jogo diante os Cavaliers, o craque teve uma horrenda lesão ao fazer uma fratura exposta na zona intermédia entre o tornozelo e a perna.

Era impossível um pior começo… Gordon ficou afastado dos courts toda a temporada, tendo de enfrentar uma recuperação nunca inferior a 9 meses. Em 2018, voltou à competição, mas como um homem novo, ferido mentalmente por tudo aquilo que passou com aquela lesão, o que acabou de certa forma por influenciar o seu rendimento em campo, a léguas da performance que nos habituou.

Toda essa temporada de retorno foi realizada sem grande brilho, e Gordon foi regressando lentamente a um bom nível, que já apresentou na presente temporada, ao melhorar consideravelmente os números individuais. Parece o velho Hayward que despontou o interesse dos Celtics, o jogador que brilhou em Utah durante largos anos.

Sucede que os Boston Celtics contam no seu plantel neste momento com três principais estrelas, são elas o base Kemba Walker, e os jovens Tatum e Brown, que tantas alegrias têm dado aos fãs de Boston e expectativas de evoluirem ainda mais o seu jogo. Hayward, desde o seu regresso, não tem sido um titular indiscutível, e ainda que jogue bons minutos a maioria dos jogos, o seu papel na equipa dos Celtics passou para segundo plano, sendo atualmente a quarta opção do processo ofensivo de Boston.

Tal facto revela-se contraditório com o salário anual do jogador, sendo que este é o ativo mais bem pago do plantel, e isso pode ser importante na decisão do seu futuro.

O jogador assinou em 2017 um contrato de 4 anos- 127M/$ e tem a receber nesta época de 2019/2020 cerca de 32M/$. Um salário de Hayward, veja-se, equivale os rendimentos conjuntos de Smart, Brown e Tatum, jogadores que acabam por ser mais influentes no jogo coletivo da equipa.

Hayward só termina o contrato em 2021, no entanto, existe uma cláusula que permite ao jogador optar agora no fim da temporada pelo “opt in”, permanecendo mais um ano, ou decidir sair, procurando um contrato máximo noutra equipa.

Será por isso muito interessante a decisão que Hayward vai tomar, em conjunto com os responsáveis dos Boston Celtics, por forma a tomar o rumo que seja mais favorável para ambas as partes.

Os Celtics não pretendem comprometer o seu futuro, daí que se entenderem que Hayward já não lhes garante aquilo que “a priori” consideraram uma mais valia aquando da sua contratação, o mais certo será mesmo as partes acordarem cada um seguir o seu caminho. Isto devido ao facto de não poderem suportar esse encargo salarial mais um ano se quiserem renovar com as suas “young stars”, ainda com contratos de valor reduzido por estarem nos primeiros anos como “pro”.

Resta aguardar e esperar o que é que as leis do mercado irão ditar. A NBA Portugal sabe que algumas equipas seguem Hayward já desde os tempos de Utah. Outras, com uma folha salarial mais aliviada e objetivos mais modestos, também podem entrar na corrida pelo extremo.

Segundo o “Hoops Hype”, algumas equipas podem incluir Hayward no seu plantel em 2020/2021.

“Charlotte, who previously signed him to an offer sheet in 2014, is projected with $26.7 million in cap space. Miami, who is projected with $26.5 million in cap space, also pursued Hayward in 2017, although indications are that they want to keep the keg dry for 2021. Other teams with at least that much cap space include Atlanta, Detroit, and New York. It seems unlikely that Hayward would want to leave Boston, and none of these teams other than New York can offer Hayward a true maximum contract (projected $40.3 million starting salary). If Hayward opts out, expect him to re-sign with the Celtics on a long-term deal. He is still getting minor injuries every now and then, so it would be wise to get the security given his history. “

Alguns executivos da NBA consideram que, estando a decisão do lado do jogador, prevêm que o mesmo não seja capaz de deitar ao lixo uma oferta de 34M garantida, por uma hipótese de poder a vir assinar por 40M por outra equipa, por ser incerto que alguma equipa aposte esse valor em Gordon.

Around the league, front-office executives say they expect that Hayward will opt-in. “It’s too much money to pass up,” one general manager told Heavy.com. “He could get a longer deal if that is what he really wants. But I don’t think the Celtics want to give it to him, they have a lot of young guys to pay and the starting (salary) number on whatever the contract is will not be close to $34 million. He can opt in this year and then take a big contract next year. When you look at what he has done since his injury, he has only gotten better. He could get better next year and be ready for the summer of 2021.”

Quanto à vontade do jogador, o mesmo já referiu durante a temporada o seu desejo de permancer de verde e branco, e conquistar um anel com os Celtics.

As for his larger hoop dream, he was direct and to the point. “I want to win a championship here,” Hayward said. “I mean, that’s what my goal is. That’s what my focus is. You know, after the season, you sit down and discuss things. But right now I’m trying to play my best basketball to help us win a title. That’s my focus.”

Em suma, parece ainda incerto o que irá acontecer com o jogador quando o seu contrato expirar. As hipóteses em cima da mesa estão explicadas, sendo que a vontade do jogador é que irá ditar o desfecho final dos acontecimentos.

E tu? Onde achas que Hayward jogará na próxima temporada?

João Pinto

Licenciado em Direito- Universidade Católica Portuguesa; Apaixonado pelo desporto e pela melhor liga do mundo; Fã dos Boston Celtics desde o título de 2008, quando uma equipa começou a dizer "Ubuntu" aos 3...

Deixe uma resposta