Bridges defende reforma do prémio DPOY

Mikal Bridges fez outro desempenho defensivo de alto nível no jogo da vitória dos Suns contra os Jazz na noite passada. Bridges ajudou a limitar Donovan Mitchell (7 em 21) e parar Utah no 4º quarto. “Business as usual” para o extremo de Phoenix, que provavelmente não ganhará o troféu de melhor defensor do ano. Tradicionalmente, os jogadores interiores são mais destacados e recompensados ​​nesse prémio, o que é uma injustiça para Bridges.

“Nunca vou desacreditar os postes. Eles têm vindo a ganhar este troféu há muito tempo e a fazer um grande trabalho. Mas o número de vezes que um interior foi eleito em vez de um base é inacreditável. Acho que as pessoas não percebem ao como é difícil defender os melhores adversários da liga sem poder tocá-los, pois muitas vezes têm o apito a favor deles.

Sinto que estamos a ser desrespeitados e não estou falar de mim especificamente. É só que eu não entendo que bases não ganhem. Eles têm de defender contra jogadores que lança de longe, que jogam isolados, com espaço e lançadores das restantes posições. Estão no um contra um nesses jogadores e tenho a impressão de que achamos isso normal.

Não há tantos jogadores talentosos quanto há bases e extremos talentosos na NBA. Lidar com adversários que jogam de posição um para a posição 4 é difícil. Em termos de habilidade, contem quantos jogadores realmente fortes existem nas posições 1-4 e faça o mesmo com a posição 5″, explicou Bridges ao Yahoo.

Draymond Green, que é um grande defensivo, explicou há alguns dias que Mikal Bridges era na sua opinião o jogador que mais merecia ganhar o título de Jogador Defensivo do Ano.

“Foi incrível ouvir Draymond dizer isso. Ele faz muito em campo e sabe o quão difícil é defender um jogador que tem a bola. Eu gostaria que as pessoas que votam assistissem aos jogos, mas não é algo que eu possa controlar.”

Deixe uma resposta