Bol Bol, o nome do momento!

Bol Bol, poste dos Denver Nuggets, sofreu com problemas nos pés desde que foi selecionado na segunda ronda do Draft da NBA de 2019.
Estreou-se na quarta feira passada e mostrou aquilo que vale com um “duplo-duplo” (desempenho em um jogo no qual um jogador acumula dez ou mais em duas das cinco categorias estatísticas a seguir: pontos, ressaltos, assistências, roubos de bola e desarmes de lançamento).

Na entrevista após a sua estreia, o poste do Sudão revelou como se sentiu após o seu primeiro jogo pelo franchise e quão preparado se sente para assumir o final da época regular e os Playoffs.
O jogador terminou com 16 pontos, 10 ressaltos e 6 desarmes de lançamento na vitória contra os Washington Wizards.

Bol é o único “rookie” (pessoa que está no seu primeiro ano profissional desportivo) em 20 anos, a registar pelo menos 15 pontos, 10 ressaltos e 5 desarmes de lançamento numa partida de pré-temporada, de acordo com a pesquisa da ESPN Stats & Information.

O treinador dos Nuggets, Michael Malone, abordou vários tópicos a seu respeito, nomeadamente: as valências e potencialidades físicas, onde particularizou a sua capacidade de bloquear lançamentos e “reduzir” o campo aos adversários, a sua habilidade para lançar, que reflete muito trabalho desde que saiu de Oregon (faculdade onde estudou antes de ingressar na NBA) e o último tópico e o mais impressionante, a sua capacidade de passe, desconhecida até então para todos. 

A respeito do seu corpo e da relação entre limitações e potencialidades, considero que terá de trabalhar bastante a nível de velocidade de pernas, movimentação das ancas e estabilização do centro de gravidade para se tornar um grande defensor e poder acompanhar a sua capacidade inegável de desarmar qualquer jogador.

A níveis ofensivos, a envergadura surge como limitação à sua técnica de lançamento, no entanto está a trabalhar nisso e pode chegar mais longe. Deve apostar em ganhar peso, principalmente massa muscular; optar por trabalhar de costas para o adversário e tirar vantagem de “mismatches” (quando está a atacar contra um adversário que não o consegue defender, neste caso devido aos seus 2.18m).


É importante que consiga manter e continuar a analisar o jogo de forma inteligente e sempre alerta para saber reagir de forma eficaz a momentos de “double-team” (quando dois jogadores vão defender o mesmo jogador) e poder massacrar a equipa adversário quando isso acontecer.

Bol Bol poderia estar muito bem na luta para Rookie do Ano se não se tivesse lesionado na fase inicial da época. Esperemos que se mantenha saudável e que possa continuar a brilhar na caminhada dos Nuggets.

Martim Figueiredo

Apaixonado por basquetebol e o maior fã em Portugal de Kobe Bean Bryant. ♾

Deixe uma resposta