Ajuda descabida dos árbitros garante vitória dos Lakers

Todos sabemos que os árbitros são humanos e cometem erros, no entanto, desta vez parece que estamos perante uma falta de desportivismo e não um mero erro.

Na noite de ontem os Sacramento Kings e os Los Angeles Lakers disputaram um jogo extremamente renhido, até ao último minuto. De facto, a vitória poderia pender para qualquer lado. No entanto, o jogo ficará “manchado” por uma das últimas intervenções dos árbitros.

Os Lakers lançavam o seu último lance-livre, quando a polémica ocorreu. Malik Monk, prepara-se para lançar, mas acaba por falhar o lance-livre. Os Lakers têm um vantagem de 5 pontos, com 25 segundos no jogo. De’Aaron Fox salta para apanhar o ressalto, mas ao ver todos os jogadores a recuar para o outro lado do campo, apercebe-se que está sozinho e, então, não toca na bola, deixando-a cair no chão. Como não tocou na bola, o relógio não deveria começar a contar o tempo.

Eis o problema – Fox repara que tanto o relógio do jogo como de lançamento retomar a contagem do tempo. Coisa que não deveria ter acontecido visto que o base não tocou na bola. Deste modo, Fox avisa o árbitro que imediatamente para o jogo. No entanto, após resolverem o problema com o relógio, e tendo em conta que Fox não tocou na bola, esta última, tecnicamente, não pertencia a nenhuma das equipas. Portanto, os árbitros decidiram lançara bola ao ar.

Ora, era óbvio que a bola deveria ser posse dos Kings, estas pequenas “regras” não são do conhecimento de todos os jogadores e os árbitros, mesmo por uma questão de ética e desportivismo, devem auxiliar os jogadores se possível. Aliás, este caso não é o primeiro do seu género. O mesmo já terá acontecido, e a postura correta do árbitro deveria ser a de avisar o jogador para segurar na bola e só depois resolver a questão. Assim assegura a justa continuação do jogo.

Como podem adivinhar, os Lakers ganharam a bola ao ar, e, em última análise, o jogo.

Vê o momento insólito:

João Araújo Correia

Licenciado em Direito, 23 anos e sou fã incondicional dos Clippers desde a era da Lob-City. Desde pequeno que adoro basquetebol, tanto de ver como jogar! Apesar do Patrick Beverly estar enganado quanto aos próximos 5 anos serem dos Clippers, espero que seja, pelo menos, 1!

Deixe uma resposta