Tudo o que é preciso saber sobre a conferência Este

Desde Knicks e Cavs até Bucks e Heat, este artigo será uma análise resumida de como se encontra a conferência Este e como ela pode mudar de paradigma nos próximos tempos.

15. New York Knicks

Se os primeiros fossem os últimos… os Knicks eram os mais fortes candidatos ao título.

Antes do jogo com os Warriors, a equipa de NY encontrava-se numa maré de derrotas. 10 derrotas seguidas entre a vitória frente aos Cavs (em 19 de novembro) e a conseguida frente aos Warriors.

Depois de uma péssima época como foi a passada os Knicks não conseguem reverter a situação em que se colocaram nos últimos anos e encontram-se no estado lastimável que todos conhecemos. Mesmo assim, os Knicks conseguiram duas surpreendentes vitórias frente a Dallas com apenas 6 dias de diferença.

No entanto a situação da equipa é bastante precária e o pior é que esta não parece ter data para começar a melhorar. Será mais um ano doloroso para os fãs da equipa de Nova Iorque.

14. Cleveland Cavaliers

Os Cavs são mais um exemplo de uma equipa consistente. Consistente a perder, quer em casa quer fora…

Depois da saída de L.James a qualidade vida de Cleveland caiu a pique. Se até 13 de novembro a equipa de Ohio parecia estar a ultrapassar o mau ano passado (estava com um registo 4-6, sendo todas as 6 derrotas frente a equipas que se encontram atualmente em zona de playoff) , agora todos sabemos que já não é assim.

Desde 13 de novembro que nos 15 jogos jogados pelos Cavs, estes apenas ganharam 1 frente aos Trail Blazers. As exibições outrora consistentes tornaram-se em jogos monótonos em que desde cedo os Cavs se mostram inferiores aos adversários. Para se ter noção, os Cavs nos últimos 15 jogos, apenas chegaram ao intervalo a ganhar 1. E foi esse o jogo que acabaram por ganhar também no fim. Fora esse e 2 ou 3 raras exceções, Cleveland chega sempre ao intervalo já com desvantagens absurdas e incomportáveis.

Tal como os Knicks, as coisas não parecem ter prazo para melhorar. Ainda para mais quando parece que irão ficar sem Kevin Love, a grande estrela do plantel.

13. Atlanta Hawks

Nem Trae Young é capaz de por esta equipa com asas para voar mais alto

Tal e qual Cavs, o começo de época foi positivo para os Hawks. No entanto, por muito positiva que seja a entrada de qualquer equipa na NBA, não há nada como uma sequência de 10 jogos sem ganhar para destruir por completo quaisquer ilusões sobre uma luta por lugares mais cimeiros na conferência.

Nem Ice Trae é capaz de segurar todas as pontas soltas que esta equipa deixa. Mas também, o que é que se espera da 3ª pior equipa a nível defensivo da NBA? A sofrer quase 119 pontos por jogo (118.8), os Hawks tem uma das defesas mais frágeis e por mais que melhorem a nível ofensivo, essa será sempre a lacuna principal.

Será mais uma época pouco exuberante para os Hawks, em que muitos dos momentos mais brilhantes desta partirão sempre do mesmo jogador e não se poderá esperar muito mais que isso.

12. Washington Wizards

Quem diria que uma capital com tantos feiticeiros seria tão pouco mágica…

Ganham um jogo aqui… ganham um jogo ali… perdem fora… ganham em casa…

É mais ou menos isto que tem sido a vida desta equipa que não tem grandes sequências de derrotas. Mas também não ganha mais que dois jogos seguidos.

Tal como Atlanta, os Wizards pecam e muito nas tarefas defensivas. São a pior equipa da liga em termos de pontos sofridos por jogo com cerca de 122.1 pontos sofridos por jogo. Um ponto positivo é o lado ofensivo desta equipa, sendo das melhores em número de pontos por jogo, número de assistências e percentagem de lançamento.

Com estes números é muito difícil ambicionar mais do que aquilo que a equipa já atingiu. Muito dificilmente conseguirão lutar pelo que quer que seja este ano a não ser o seu próprio orgulho.

11. Chicago Bulls

Demasiados rodeios para quem deveria querer voltar aos grandes resultados…

Quase impossível deverá ser este ano os Bulls irem mostrar o que valem nos playoffs. Obviamente que pode sempre existir uma reviravolta ao longo da época. No entanto, os resultados não parecem apoiar muito essa teoria.

Não é uma equipa que tenham tido grandes ascendentes até agora. Os seus jogos ganhos têm sido por norma contra equipas inferiores, mostrando que a equipa de Chicago tem conseguido aproveitar bem as oportunidades de vencer a quem é mais fácil. Apesar disso, as 2 derrotas frente aos Warriors e as derrotas frente aos Knicks e Cavs fazem-se sentir ainda, colocando os Bulls mais abaixo daquilo que poderia ser o desejado.

10. Detroit Pistons

Será que os Pistons terão motor para chegar aos playoffs?

Com D-Rose, Andre Drummond e Blake Griffin poderia esperar-se um pouco mais que o 10º lugar.

Uma sequência de 5 derrotas no mês de novembro não ajuda esta equipa pouco inspirada que ao que parece terá sérias dificuldades em conseguir um lugar na fase final da época. Isto depois de no ano passado os Pistons terem sido massacrados pelos Bucks em 4 jogos.

Blake Griffin este ano está com médias abaixo do normal, sendo pouco eficiente no lançamento enquanto que Derrick Rose parece que está a pouco e pouco, a tentar retomar a sua forma de início de carreira (mas sem se aproximar da forma que teve nos Bulls claro). Um ponto muito negativo nesta equipa são as suas prestações fora de portas, com 1 jogo ganho em 3 (33%).

Este será possivelmente um ano sem playoffs em Detroit e dificilmente irá melhorar se a trade de Drummond se confirmar.

9. Charlotte Hornets

Para vespas, Charlotte não chateia assim tanto.

Bem… Charlotte cumpre aquilo que é suposto. Perde com os melhores e ganha aos piores. Os Hornets ganham o máximo de jogos acessíveis ao seu alcance, cometendo um percalço aqui e ali sem serem propriamente vitórias muito reluzentes.

Wizards, Warriors, Pistons, Knicks, Pacers, Kings, Nets e Bulls. Estas foram as equipas a que os Hornets ganharam este ano. Nenhuma delas tá no top-5 da sua conferência, sendo a vitória aos Pacers talvez a mais “fora da caixa”.

São uma equipa “típica” de meio da tabela sem se destacarem muito no que quer que seja. Charlotte pode lutar este ano pelos playoffs, embora talvez esta seja uma meta algo complicada de atingir. Isto pois os concorrentes mais diretos de Charlotte são os Magic (8º lugar e na zona de playoff) e Detroit (10º lugar), sendo que os Magic têm um rigor defensivo mais apurado que Charlotte e isso pode vir a ser fundamental na hora H.

8. Orlando Magic

Orlando precisa de espalhar mais magia para se manter na zona dos playoffs.

8º colocado e último lugar que tem os playoffs assegurado, os Magic estão na corda bamba na classificação.

Rigor defensivo. Rigor defensivo. E… rigor defensivo. É nisto que o sucesso desta equipa se baseia. A 2ª equipa da NBA que menos pontos sofre por jogo (103.2), está a 2.5 jogos do sétimo lugar, Nets e é também a 2ª equipa que menos pontua (102.5 pontos por jogo). O seu problema ofensivo é sem dúvida o que impede a equipa da Florida de chegar mais longe. Os Orlando Magic têm a 3ª pior média de percentagem de lançamento (43%)

Apesar do início de época tremido, Orlando conseguiu entrar nos eixos com algumas vitórias importantes e sequências vitoriosas. Apesar disso a equipa da Florida encontra-se atualmente com 3 derrotas seguidas, todas elas frente a “grandes” (Bucks, Lakers e Rockets).

Se tudo se mantiver, e com a qualidade defensiva que apresenta, Orlando pode estar mais um ano nos tão desejados playoffs.

7. Brooklyn Nets

Os Nets estão a ter capacidade de fazer balançar as redes.

Brooklyn está tão longe do 6º lugar como do 9º. 3 jogos de diferença são o que separa os Nets do abismo que é falhar os playoffs.

Um começo algo assustador mas com grandes exibições de Irving até à sua lesão deixou os fãs com um sentimento algo agri-doce em relação aos Nets. O agri-doce deixou de ser doce quando Irving se lesionou mas rapidamente deu a volta quando Dinwiddie assumiu o controlo da equipa começando a fazer cerca de 20.2 pontos por jogo. Por esta é que ninguém esperava.

A equipa de Brooklyn tem melhorado a sua forma ao longo da época, tendo nos últimos 10 jogos ganho 7. E quando Kyrie regressar, os Nets têm tudo para melhorar a sua forma.

Este ano os playoffs devem estar garantidos a não ser que ocorra alguma tragédia digna de NBA. Com esta forma recente, Brooklyn pode e vai tentar subir umas posições na tabela classificativa para evitar cair cedo nos playoffs.

6. Indiana Pacers

A manterem este pace, Indiana está assegurada na fase final.

65.4% de vitórias nesta fase da época mostram o mérito desta equipa que ocupa atualmente o 6º lugar da conferência Este. Como se isso não bastasse, a qualidade desta equipa em casa é bastante assinalável, com apenas 3 derrotas caseiras em 13 jogos (derrotas essas frente a Pistons, Bucks e Clippers).

Apesar de iniciar a época com 3 derrotas seguidas bastante imprevisíveis (2 derrotas com os Pistons e uma com os Cavs), rapidamente os Pacers mudaram o rumo tomado para uma época que até agora só tem como ser elogiada. E quem diria visto que a estrela desta equipa está de fora desde a época passada por lesão. Oladipo deixa saudades como é óbvio, mas foi bem substituído e a sua falta não se está a fazer sentir assim tanto. Brogdon tem sido fundamental no sucesso desta equipa que este ano te tudo para chegar mais longe nos playoffs que o ano passado.

Os playoffs são quase certos e a manter-se a qualidade apresentada, os Pacers podem acabar por subir um ou dois lugares na classificação.

5. Toronto Raptors

Raptors foram rápidos a mostrar que este não era ano para irem a baixo.

Depois de terem conquistado os anéis do ano passado e ter feito uma trade por Leonard, o MVP das finais, esperava-se um abanão forte na equipa de tal forma que esta dificilmente lutasse pelos playoffs. No entanto, 24 jogos depois, os Raptors encontram-se em 5º lugar na conferência e estão a mostrar excelentes sinais de que este ano vão dar muito que lutar no top-5 do Este.

Depois de uma época estonteante o ano passado, Pascal Siakam é dos maiores responsáveis, senão o maior, pela qualidade apresentada pela equipa na fase regular. Com média de 24.5 pontos por jogo, o camaronês é sem dúvida dos melhores jogadores da equipa nesta fase da competição.

Com 2 jogos ganhos por cada 3, os Toronto só perderam jogos com equipas do top-4 de ambas as conferências: Bucks, Celtics, Clippers (2x), Philadelphia, Mavs, Rockets e Heat. Prevê-se uma boa época dos Raptors e a presença nos playoffs é praticamente certa.

4. Boston Celtics

A procura do ouro por parte dos Celtics está a correr bastante bem este ano.

Praticamente imbatíveis em casa, tiveram uma sequência de 10 vitórias seguidas e estão em 4º na classificação da conferência. Os Celtics vivem uma época de bastante sucesso até agora.

Com apenas uma derrota em casa (frente aos 76ers), os Celtics têm feito uma época tremenda sem Kyrie que deixou Boston em troca dos Nets.

Este sucesso deriva muito da excelente dinâmica da equipa, com Tatum (20.6), Kemba (23.1), Brown (19.3), Hayward (17.5) e Smart (11.8) todos com o número de pontos por jogo na casa das dezenas.

Apesar das perdas deste verão, Irving, Al Horford e Marcus Morris, os Celtics conseguiram dar a volta à situação e mostrar que este ano vão lutar tão afincadamente pelos playoffs como no ano passado. Talvez cheguem mais longe este ano.

3. Miami Heat

Em Miami não é só fora de campo que se sente calor.

A surpresa desta conferência são sem dúvida os Heat. Ao comando de JImmy Butler, os Miami são uma das melhores equipas a jogar em casa, sendo até esta madrugada, imbatíveis quando jogavam em Miami.

Com 11 vitórias em 12 jogos em casa e tendo um registo 18-7, os Heat ocupam o 3º lugar da conferência Este, especialmente graças a Butler, Nunn, Dragic, Adebayo e Herro, todos estes contribuindo bastante para a época de sucesso que se vive em Miami. Os Heat são a 4ª melhor equipa quando se trata de percentagens de lançamento (a 3ª melhor em lançamentos de 3 pontos).

As suas derrotas são maioritariamente frente a equipas de grande poderio, sendo a sua derrota mais surpreendente esta época frente aos Timberwolves, numa fase ainda muito prematura da época. Fora isso, só perdeu frente a Lakers (2x), Celtics, Rockets, Nuggets e 76ers.

Assim, os Heat deverão chegar aos playoffs na luta por um dos lugares mais cimeiros da conferência para tentarem chegar o mais longe possível na postseason.

2. Philadelphia 76ers

“It’s Always Sunny in Philadelphia”

A única equipa invicta em casa na NBA são os 76ers. E esta?

Em 14 jogos em casa, os 76ers ganharam os 14 e nos últimos 10 jogos Philadelphia só perdeu um, uma derrota surpreendente frente aos Wizards.

A dupla Embiid, Al Horford tem resultado numa defesa tremenda, em especial na zona do paint. É muito por isso que os 76ers assumem o 3º lugar como defesa que menos pontos sofre por jogo (103.9). Para além disso, esta equipa conta com um 5 inicial com uma grande capacidade atiradora, sendo que apenas este 5 concretiza 85.4 dos pontos totais da equipa por jogo.

Assim, os 76ers podem este ano afirmar-se como 2ª força do Este (caso continuem com este desempenho), apenas superados pelos Bucks. Os playoffs são garantidos, resta saber apenas em que lugar é que esta equipa ficará. Philadelphia poderá muito bem permanecer no 2º lugar sendo que dificilmente ficará abaixo da 3º/4º posição.

1. Milwaukee Bucks

É mais difícil ganhar aos Bucks que soletrar o nome de Giannis Antetokounmpo.

1º lugar na conferência. Ter um dos, senão mesmo o principal candidato a MVP. Ter 12 vitórias em 13 jogos em casa. Alcançar 11 vitórias em 13 jogos fora de casa. Chegar a Dezembro com uma sequência de 17 vitórias consecutivas e com 3.5 jogos de vantagem sobre o 2º classificado. Ser a equipa que mais pontos faz por jogo (121.0) e a 2ª melhor equipa a lançar ao cesto (48.5%). Para terminar, os Bucks são ainda a equipa que mais ressaltos ganha.

E isto tudo depois de conseguir ganhar a respetiva conferência no ano passado e perder na final da conferência Este.

Depois do ano incrível que foi o ano passado para a equipa dos Bucks, parece que nesta época está tudo a repetir-se. Depois de a 9 de novembro os Bucks perderem com os Jazz, os Milwaukee não voltou a perder qualquer jogo. Absurdo não é?

Liderados por Giannis, os Bucks são a equipa com melhor eficácia defensiva e ofensiva. Esta equipa parece imparável sendo que o único “antídoto” para esta “doença” parecem ser os Lakers.

Playoffs mais que confirmados e 1º lugar como praticamente indispensável, os Bucks caminham para mais uma época de sonho em que talvez só parem no título.

Termina assim esta análise de conferência que retomará na próxima semana, desta vez com a conferência Oeste.

Deixe uma resposta