Steve Kerr responsabiliza os Bulls pelo seu sucesso como treinador

Steve Kerr, antigo base dos Chicago Bulls, e atual treinador dos GS Warriors, é alguem que fez o que ninguém ainda tinha feito, que foi ganhar 5 anéis de campeão enquanto jogador( 3 pelos Bulls de Jordan e 2 pelos Spurs), e 3 anéis enquanto treinador da equipa dos Warriors(2015,2017 e 2018).

Entre 1995 e 1998, os Bulls ganharam 3 vezes seguidas a competição, até se separar o núcleo duro da equipa, com as saídas dos seus principais jogadores, entre eles MJ. Em 1999, Kerr voltou a ganhar pelos Spurs, e repetiu a proeza na mesma equipa no ano de 2003.

Depois, como treinador dos Warriors a partir de 2014, foi chegar, ver e vencer, tornando a equipa californiana, que era uma equipa mediana quando o treinador chegou, na melhor equipa da NBA, criando uma verdadeira dinastia que culminou com a conquista de 3 títulos em 4 anos, que só não foram 4 em 4 por causa da famosa remontada dos Cavs de LeBron em 2016, que perdiam por 3-1 as finais e conseguiram ainda ir a tempo de vencer o anel.

Para além disso, levou os Warriors a um registo inacreditável na época de 2015/2016, que bateram inclusive o recorde que pertencia aos Bulls de década de 90. Conseguiram nessa temporada um imaculado registo de 73W e 9L, algo inédito numa competição a 82 jogos.

Kerr foi convidado a expressar a sua opinião ao recente documentário “The last dance”, que estreou durante a noite de ontem, que retrata os bastidores de uma das equipas mais míticas que a NBA já viu, vencendo três anéis consecutivos, liderada pelo melhor jogador que a NBA já viu nas suas fileiras, Michael Jordan.

Ao olhar para trás e analisar agora a sua realidade enquanto treinador, Kerr referiu, de forma assertiva, que não se teria tornado treinador principal dos GSW se não tivesse tido aquela experiência com a equipa de Chicago.

Consulta as declarações do treinador:

“I wouldn’t have become a coach of the Golden State Warriors if I hadn’t had that experience with the Bulls,”

Kerr added: “So, I feel like every time I see Michael Jordan or Scottie Pippen, or Phil Jackson, I think back to that experience, and it kind of paved the way for the rest of my career — both as a player, a broadcaster and a coach.

Terminou mostrando-se grato por ter tido a oportunidade de partilhar o balneário com alguns ícones da história da NBa, como MJ e Pippen, referindo que aquele balneário dos Bulls era um “excelente grupo”

“So, I know how fortunate I was to be part of that run just like all of us do. That was a great group of guys — very mature group, and we all knew exactly how lucky we were. And we made the most of it.”

João Pinto

Licenciado em Direito- Universidade Católica Portuguesa; Apaixonado pelo desporto e pela melhor liga do mundo; Fã dos Boston Celtics desde 2009, desde que um certo trio andou por lá a provocar estragos

Deixe uma resposta

<--bit--><--ti-->