Um início de Mundial com “blowouts” e “show-outs”- Resumo do 1º dia do Mundial

Deu-se hoje o início ao Mundial de Basquetebol, onde equipas dos grupos A, D, E e H deram os seus primeiros passos nesta competição.

Angola 67 – Itália 81– A seleção italiana começou este Mundial com o pé direito, as exibições do extremo Simone Fontecchio e do base Stefano Tonut foram decisivas para garantir os 3 pontos. A seleção angolana apesar da derrota, contou com uma “performance” de Childe Dundão de tremenda eficácia, o base de apenas 1,67m lançou com uma eficácia de 50% tanto nos lançamentos exteriores, tanto na totalidade de lançamentos.

Finlândia 72 – Austrália 98– Um autêntico amasso por parte dos australianos, um jogo onde existiu um primeiro quarto bastante renhido, mas a partir do segundo quarto os australianos não deixaram a seleção nortenha ganhar confiança e controlaram o ritmo do jogo. O prémio de melhor jogador da partida foi para Patty Mills, o base de 35 anos cumpriu a tradição de elevar o seu jogo a níveis estratosféricos em competições da FIBA e terminou o encontro com 25 pontos, 8 ressaltos e 4 roubos de bola. Destaques para a juventude, Josh Giddey, que terminou o jogo não muito longe de um triplo-duplo, e Lauri Markkanen, que terminou o jogo com 19 pontos e 8 ressaltos.

México 71 – Montenegro 91– Não se pode resumir este encontro sem mencionar o nome Nikola Vučević, “Vooch” foi de longe o destaque deste jogo, o duplo-duplo de 27 pontos e 10 ressaltos por parte do poste dos Chicago Bulls foram o suficiente para garantir os 3 pontos para Montenegro.

Letônia 109 – Líbano 70– O encontro mais desiquilibrado do dia, com um diferencial de 39 pontos, podemos dizer que a a Letônia fez parecer fácil o seu encontro com a seleção libanesa, Dairis Bertãns em apenas 15 minutos apontou 20 pontos com uma eficacia de lançamento acima dos 87%.

República Dominicana 87- Filipinas 81- Para muitos o jogo do dia, entretenimento do início ao fim. O jogo ficou marcado por ter estabelecido o recorde de jogo com mais espectadores na história do Mundial de seleções da FIBA, um jogo onde 38.115 mil pessoas observaram o duelo entre as estrelas da NBA Karl-Anthony Towns, e o menino da casa, Jordan Clarkson.

Alemanha 81 – Japão 63- A Alemanha está a demonstrar o porquê de ser uma das equipas mais faladas deste Mundial. Neste encontro os alemães estiveram defensivamente impecáveis, fazendo o ataque japonês converter apenas 35% dos seus lançamentos e 13 turnovers. Moritz Wagner em apenas 23 minutos contribuiu com 25 pontos e 9 ressaltos, uma exibição candidata a melhor do dia.

Egito 67 – Lituânia 93- Mesmo com a ausência de Domantas Sabonis, a Lituânia venceu com facilidade o Egito. Os lituanos tiveram sucesso em estabelecer a sua superioridade a partir do momento em que a bola foi lançada ao ar, pois no fim do primeiro quarto a distância entre as duas equipas já era de 14 pontos. Destaque para os lituanos Margiris Normantas, que apontou 18 pontos com excelente eficácia, e Jonas Valanciunas, o poste dos Pelicans contribuiu com um duplo-duplo de 15 pontos e 10 ressaltos.

Canadá 95 – França 65– E aqui vamos atribuir o prémio de resultado mais surpreendente do dia, este encontro entre duas das equipas favoritas a vencer este torneio era um dos mais esperados pelos adeptos…e acabou de forma humilhante para os franceses. A seleção canadense tem vindo a ser cotada como uma das favoritas das casas de apostas a vencer este Mundial, e hoje reafirmaram o porquê de terem essa expectativa. O duplo-duplo de Shai Gilgeous-Alexander contou com 27 pontos e 13 ressaltos, e foi considerado pela maioria como a melhor “performance” do dia, Kelly Olynyk, outro destaque da partida, contou com 18 pontos em apenas 23 minutos.

Os jogos que irão decorrer no dia 26 de Agosto pertencem aos grupos B, C, F, G.

Daniel Pimpão

Sou um apaixonado por basquetebol, vivo e respiro este desporto que nos tira horas de sono. Tenho 19 anos e um sonho de um dia ser um dos melhores jornalistas portugueses. Estou a tirar Comunicação Social em Abrantes, no âmbito de jornalismo. Olhar sempre para a frente, mas trabalhar com a cabeça para baixo.

Deixe um comentário