Trinta por uma linha – Minnesota Timberwolves

Vamos continuar com a rubrica de análise às 30 equipas da NBA e as suas prestações nesta época de 2022/23. Vamos passar por todos os franchises, do último classificado ao campeão, que ainda está por definir. Hoje vamos falar dos Minnesota Timberwolves.

Expectativas / Realidade

Os Minnesota Timberwolves entravam para esta época com vontade de chegar ao Playoffs, depois de terem feito uma troca “monstruosa” por Rudy Gobert, numa tentativa de juntar o poste francês a Karl-Anthony Towns e fazer uma dupla de “big men” muito forte ofensivamente e defensivamente. A verdade é que tivemos uma pequena amostra desta dupla a jogar junta. Towns jogou apenas 29 jogos na fase regular e as rotinas não conseguiram ser criadas para chegar aos Playoffs na melhor forma. Os T-Wolves terminaram a fase regular no 8º lugar da conferência Oeste e tiveram de participar no Play-In, onde perderam frente aos Lakers, mas venceram os OKC Thunder para garantir a oitava posição, onde tiveram pela frente frente os Denver Nuggets, com quem perderam a série por 4-1.

Destaques Individuais

Depois de ter sido dada muita atenção à dupla de jogadores grandes, o maior destaque acabou por ser mesmo Anthony Edwards. O jovem extremo acabou por ser All-Star nesta época e apresentou médias de 24.6 pontos, 5.8 ressaltos e 4.4 assistências por jogo, o que prova a sua qualidade e também o facto de ser o principal jogador para o futuro do franchise. Jaden McDaniels também se destacou este ano, com a sua excelente capacidade defensiva, mas lesionou-se no último jogo da época regular e não pôde dar o seu contributo na fase a eliminar. Karl-Anthony Towns voltou a ter uma temporada marcada por lesões, o que o levou a apresentar-se abaixo do esperado e do que tinha vindo a fazer nos últimos anos.

Futuro

A verdade é que não se espera muito mais desta equipa na próxima época. Anthony Edwards vai continuar a crescer e melhorar, mas o resto do plantel não. Mike Conley ainda tem mais um ano de contrato, mas já tem 35 anos. Rudy Gobert tem mais 3 anos a ganhar muito dinheiro (mais de 40M por época) e já tem 30 anos. Karl-Anthony Towns é o “joker” desta equipa. Talento tem, mas as lesões não o têm deixado estar na melhor forma e a verdade é que não tem mostrado rendimento para justificar o seu contrato (praticamente 200M nos próximos 5 anos). Os Timberwolves também não têm a sua escolha do Draft 2023, que foi enviada para Utah na troca pelo poste francês nesta “offseason”. Não há talento jovem que possa surpreender e por isso espera-se mais uma época mediana em 2023/24. O treinador Chris Finch irá continuar no comando técnico desta equipa que pode mexer na próxima janela de mercado, ou simplesmente dar mais um ano a este plantel para tentar competir o mais possível.

Guilherme Correia

Grande fã de LeBron James e foi ele que me fez gostar deste grande desporto que é o Basquetebol!!

1 thoughts on “Trinta por uma linha – Minnesota Timberwolves

Deixe um comentário