Previsões NBA – Atlanta Hawks

Com o começo da época 2020/2021 da NBA, chega a altura de pensar qual será o ruma da minha equipa preferida? Ou como vai ser o desempenho de certo jogador? Esta rúbrica tem como objetivo abordar as 30 equipas da NBA, com intuito de analisar como será a época dos mesmos.

A grande atração da equipa de Atlanta na época passada, foi sem dúvida o contínuo desenvolvimento do base Trae Young, que conseguiu alcançar a sua primeira seleção para o All Star Game, e acabou a época com uma linha de estatísticas impressionante, de 29.6 PPG / 9.3 APG / 4.7 RPG. Em retrospetiva, é de salientar também o crescimento de John Collins que na sua terceira época apontou 21.6 PPG e 10.1 RPG. No entanto, apesar de Atalanta ser uma equipa jovem e divertida de assistir, ficaram 14º na Conferência Este. Além disso, na época regular, foram a equipa que mais pontos sofreram dentro das 30 equipas da NBA (119.7 PPG), juntando a um dos piores rankings ofensivos, ficando em 26º (107.2 PPG) e um dos piores rankings defensivos, ficando em 27º (114.9 PPG).

Em relação a esta época prestes a começar, os Hawks foram das equipas mais ativas na Free Agency. Adicionaram jogadores como Danilo Galinari, Rajon Rondo, Bogdan Bogdanovic, Kris Dunn e Tony Snell. Além disso, têm também disponível Clint Capela, que foi adquirido via trade na época passada, mas devido a lesão ainda não se estreou pela equipa de Atlanta, e também, Onyeka Okongwu, escolhido com a 6ª pick. Em relação a jogadores que saíram, são de salientar Jeff Teague, Jabari Parker, Vince Carter (reforma) e Alex Len. De uma forma geral, os Hawks estão bem mais fortes, face à época passada, no entanto com a adesão de peças como Galinari, Snell e Bogdanovic, e juntando a jogadores como Kevin Huerter, De’Andre Hunter, e Cam Reddish, os Hawks têm um excesso de jogadores de perímetro, e isso é uma das incógnitas que pairam antes da época começar.

Devido ao facto, de para esta época 2020-2021, a NBA adotou um torneio play-in, à semelhança do que aconteceu na épocada passada na “bolha”, equipas desde o 10º lugar ao 7º lugar em cada conferência vão lutar pela possibilidade de ter acesso aos playoffs. Dessa forma, na minha opinião, os Atlanta Hawks estarão nessa conversa. Algo que certamente não irá mudar, será Trae Young como a referência principal desta equipa, no entanto, salienta-se também que como esta equipa está repleta de peças jovens, a margem de crescimento individual é enorme, por isso jogadores como De’Andre Hunter, Kevin Huerter e Cam Reddish podem dar o “salto”.

Certamente será uma época mais risonha que a época passada, no entanto, com um talento como Trae Young, os Atlanta têm apenas motivos para sorrir num futuro próximo.

João Pereira

Amor incondicional pela magia do basquetebol! Adepto de NBA e dos Miami Heat! #HEATCulture

Deixe uma resposta