Lendas da NBA: N°2 – Kareem Abdul Jabbar

Hoje chegamos ao número 2 da nossa lista de maiores lendas da NBA, e temos nessa posição Kareem Abdul Jabbar, o ainda maior pontuador da história da liga.

Kareem Abdul Jabbar, Lewis Alcindor antes de mudar de nome, tornou-se num fenómeno ainda no basket universitário, tal como outras lendas da modalidade.

Pela sua universidade, da Califórnia, conseguiu o feito de ter ganho 3 títulos seguidos, sendo o MVP dessas conquistas, e jogador universitário do ano por 3 anos seguidos, sem dúvida, que já na universidade o então Lewis Alcindor tinha algo de diferente dos outros.

Lewis Alcindor era assim em 1969 o jogador mais desejado no draft da NBA, e calhou aos Milwaukee Bucks a sorte de ser a equipa com a 1a escolha.

Logo na sua época de estreia, Lewis Alcindor tornou-se um verdadeiro fenómeno, com uma capacidade para dominar debaixo das tabelas e dos dois lados do campo raramente vista, e com um movimento característico, o skyhook, que se tornaria no lançamento mais temível de sempre, simplesmente indefensável.

A boa forma de Lewis Alcindor valeu aos Bucks a entrada nos play-offs, após serem 2°s na conferência Este, com registo de 56-26, enquanto no ano anterior os Bucks tinham tido um registo de 27-55, sem dúvida que poucos jogadores na história da liga mudaram tanto o rumo de uma equipa como Lewis Alcindor, e logo na época de rookie. Os Bucks chegariam à final de conferência, onde perderiam para os Knicks. As suas médias foram de 28.8 pontos e 14.5 ressaltos, que lhe valeram o prémio de rookie do ano e também a sua primeira inclusão no all-star game assim como na equipa do ano da NBA, na 2a equipa.

Na época seguinte Lewis Alcindor teria na sua equipa outra vedeta, o base Oscar Robertson, capaz de o ajudar a tornar os Bucks em equipa campeã, algo que só com ele na equipa não aconteceu por pouco. Com uma das melhores duplas da era na liga, os Bucks tiveram uma época incrível, em que foram a melhor equipa da fase regular, com registo de 66-16, e 20 vitórias seguidas, na altura um recorde. Lewis Alcindor era um verdadeiro fenómeno a todos os níveis, com números inacreditáveis, dignos de um Wilt Chamberlain, mas um jogo colectivo digno de um Bill Russell, com grande capacidade defensiva, sendo dos melhores marcadores, ressaltadores e shot blockers da liga, apesar de ainda não serem contabilizados os desarmes de lançamento,. Sem surpresa foi eleito MVP pela 1a vez na carreira, num ano em que seria campeão e MVP das finais, quando os Bucks varreram os Bullets 4-0, depois de só perderem um jogo nos play-offs, nessas finais Lewis Alcindor teve médias de 27 pontos e 18.5 ressaltos, que mais que justificaram o prémio de MVP das finais. Em relação à fase regular, as suas médias foram de 31.7 pontos e 16 ressaltos, tendo sido melhor marcador pela primeira vez.

Lewis Alcindor era o novo fenómeno da NBA, depois de ter sido o melhor jogador universitário de sempre, estava a juntar o seu nome aos maiores da história, com 24 anos completados mesmo antes de terminada a época, o futuro não tinha limites para Lewis. Foi nesse mesmo ano que mudaria o nome para aquele que é conhecido hoje, Kareem Abdul Jabbar.

Na época seguinte, Kareem seria melhor marcador da liga outra vez, com inacreditáveis 34.8 pontos por jogo, que juntando aos 16.6 ressaltos por jogo, e também 4.6 assistências por jogo, incrível sendo ele um poste, fizeram dele MVP da fase regular pelo 2° ano seguido. A boa forma dos Bucks continuou, mas não deu para serem campeões, perdendo as finais de conferência Oeste para os Lakers por 4-2.

Kareem Abdul Jabbar mantinha as suas médias assombrosas, sendo para além das qualidades já referidas um jogador com grande físico e incansável, para além de regular e raramente se lesionar. Na época de 72-73 Kareem Abdul Jabbar não conseguiu levar os Bucks às finais, perdendo nas meias-finais de conferência Oeste para os Warriors. O MVP também fugiu a Kareem, apesar dos seus 30.2 pontos, 16.1 ressaltos e 5 assistências de média.

Na sua penúltima época em Milwaukee Kareem foi mais uma vez MVP, pela 3a vez em 4 épocas, para além de ter conduzido os Bucks a mais uma final da liga, perdendo em 7 jogos para os Celtics, apesar da grande prestação de Kareem nessas finais, com médias de 32.6 pontos, 12.1 ressaltos, 5.4 assistências, e 2.1 desarmes de lançamento, no primeiro ano em que eram contabilizados, com Kareem a ser dos melhores nesse capítulo durante a época.

Na sua última época nos Bucks Kareem seria pela 1a vez líder em desarmes de lançamento, na 2a época em que eles eram contabilizados, com 3.3 desarmes de média. Apesar dos bons números individuais, Kareem falhou muitos jogos por lesão, o que levou os Bucks a falharem o objetivo dos play-offs, uma prova da importância de Kareem na equipa.

Kareem Abdul Jabbar tinha assim, uma despedida com pouco glamour de uma equipa que ele fez grande.

Seria então trocado para os Lakers, que também estavam em crise. Na sua primeira época nos Lakers, Kareem voltou a ser ele próprio, e teria uma época estratosférica, com médias de 27.7 pontos, 16.9 ressaltos, 5 assistências, 4.1 desarmes de lançamento e 1.5 roubos de bola, sem dúvida das melhores épocas individuais de um jogador na NBA, com Kareem fantástico dos dois lados do campo, e o prémio de MVP a coroar a sua grande época. Mas a nível colectivo, não conseguiu levar os Lakers aos play-offs, desta vez sem nenhuma lesão a servir de motivo. Seria a única época em que seria melhor ressaltador, e a 2a até então como jogador com mais desarmes de lançamento.

Kareem Abdul Jabbar mantinha uma forma infernal nos Lakers, e seria MVP pela 5a vez na sua carreira, estavamos no ano de 1977 e Kareem ainda tinha muitos anos pela frente. Faltava o 2° título na carreira, que não chegaria tão cedo, com os Lakers a perderem as finais de conferência de 77 para os Trail Blazers, marcadas pelo enorme duelo entre Kareem Abdul Jabbar e Bill Walton, um dos seu maiores rivais.

Nas próximas 2 épocas, Kareem não venceu nenhum prémio MVP nem esteve perto de vencer o título, apesar do seu enorme jogo. Os Lakers foram derrotados em ambos os anos pelos Seattle Supersonics.

Em 1979 os Lakers escolheriam no draft um tal Magic Johnson, e isso iria revitalizar a carreira do já veterano de 10 épocas Kareem, que tinha sido MVP em metade dos seus anos na NBA, mas campeão em apenas 1. Com Magic tudo mudou, e Kareem Abdul Jabbar faria parte de uma dupla lendária pela última vez na carreira. Os Lakers tornaram-se uma das forças, se não a força, dominante da NBA. Kareem Abdul Jabbar seria MVP pela 6a vez na carreira, ainda hoje um recorde, e ajudaria os Lakers a serem campeões frentes aos Sixers numa séria decidida em 6 jogos. Com Kareem, que estava a ser o MVP das finais, a lesionar-se no 5° jogo, e com isso a oferecer a Magic Johnson a possibilidade de ser MVP das finais. Nos 5 jogos em que jogou, Kareem Abdul Jabbar teve médias de 33.4 pontos, 13.6 ressaltos, 3.2 assistências, 4.6 desarmes de lançamento e 0.6 roubos de bola. Talvez as suas melhores finais, mas sem possibilidade de ser MVP por falhar o jogo 6, numa decisão também discutível.

Nesta altura, Kareem Abdul Jabbar era já considerado por muitos como o melhor jogador de todos os tempos, tendo mantido essa posição na hierarquia da NBA até um tal de Jordan assumir o trono. A sua durabilidade e consistência eram tão incríveis como o seu skyhook ou os seus desarmes de lançamento, apoiados nuns braços que pareciam não ter fim, sendo líder dessa categoria pela 4a vez em 6 anos, e em 7 anos que os mesmos eram contabilizados.

Na época de 80-81 dividiu cada vez mais as despesas da equipa com Magic Johnson, que se ia afirmando como um dos novos rostos da NBA, a par de Larry Bird. Os Lakers não conseguiriam ir às finais de 81, perdendo para os campeões de conferência, os Houston Rockets de Sampson. Na época seguinte Kareem Abdul Jabbar voltaria a ser campeão, ao derrotar os Sixers de novo nas finais, 4-2 seria o resultado. Pat Riley já era o treinador dos Lakers, e os Lakers eram conhecidos como ShowTime Lakers, pelo basket espetacular da equipa. Kareem não seria MVP das finais, apesar da sua excelente prestação.

Após 2 derrotas seguidas em finais, 1° frente aos Sixers numa varridela, e depois em 84 numa das melhores finais de sempre, em que os Celtics de Larry Bird derrotaram os ShowTime Lakers em 7 jogos, a vingança da equipa de Kareem viria em 85, com Kareem a ganhar o seu 4° título da liga, e o seu 2° MVP das finais, ele que facilmente teria 3 se não fosse a lesão em 80 quando ainda era o melhor jogador do Mundo. A vitória dos Lakers surgiu em 6 jogos, e Kareem teve médias de 25.7 pontos, 9 ressaltos, 5.2 assistências, 1.5 desarmes e 1 roubo de bola, dos melhores da sua equipa em todos os parâmetros do jogo, e quando já tinha 38 anos na altura das finais. Essa seria a última vez que Kareem seria MVP das finais, apesar de ter mais 2 títulos, em 87, vingança sobre os Celtics com Magic Johnson em grande, e no ano seguinte em 88, já com dificuldades a vencerem os Bad Boy Pistons, equipa que acabara com o reinado dos Celtics no Este. Pelo meio, houve a desilusão de 86, com os Rockets a impedir nova final contra os eventuais campeões Celtics, num ano em que a nível individual voltou a estar soberbo, sendo incluído pela última vez na 1a equipa da NBA.

A época de 1988-1989 seria a sua última na NBA. Incrível a sua longevidade, contava já com 41 anos no início da época, e terminaria a carreira já com 42 anos completados, e com sabor agridoce, pois os Lakers, que já tinham tido dificuldades em vencer os Pistons na época anterior, foram derrotados por 4-0 nas finais, impedindo Kareem de vencer um 7° anel.

Em sua homenagem, depois de anunciar a sua decisão, Kareem seria alvo de várias homenagens, incluíndo várias ovações de pé por parte de adeptos de equipas adversárias, e com Kareem a jogar o all-star game também. Terminaria a carreira como um grande jogador ainda, com um legado que se pensava impossível de sequer igualar na altura, com vários recordes, como o de maior número de jogos na liga, entretanto quebrado, e maior número de pontos, com 38.387 pontos, que ainda detém.

Kareem Abdul Jabbar é talvez o mais decorado jogador de sempre, não esquecendo que foi o melhor jogador universitário de sempre.

Os Bucks, Lakers e Universidade da Califórnia retiraram a sua camisola, a N°33, sendo Kareem Abdul Jabbar uma das maiores lendas de todas as equipas em que jogou.

No seu legado estão 6 títulos da NBA, 6 prémios MVP da fase regular, 2 MVP das finais, 2 títulos de melhor marcador, título de campeão dos ressaltos em 76, 4 títulos de jogador com mais desarmes de lançamento, que até 1973 não existia, 19 presenças no all-star, que é um recorde, 10 presenças na 1a equipa da NBA e 6 presenças na 1a equipa defensiva da liga, isto para além do rookie do ano em 1970.

Ainda hoje Kareem Abdul Jabbar é considerado o melhor poste de sempre, e um dos mais completos de sempre na sua posição.

É amplamente considerado um dos melhores jogadores de sempre, sendo eleito pela ESPN o 2° melhor jogador de sempre.

Deixe uma resposta