LeBron James pela 1a vez fora dos play-off desde 2005

É oficial. LeBron James, para muitos ainda o melhor basquetebolista do Mundo, vai ficar de fora dos play-off.

Era algo que já se sabia, mas que só agora está confirmado, com mais uma derrota dos Lakers, desta vez frente aos Brooklyn Nets, por 106-111.

A última vez que LeBron James tinha falhado os play-off tinha sido em 2004/2005, na sua 2a época, ele que como rookie também não tinha alcançado os play-off em 2003/2004.

Desde então, LeBron James tem estado sempre presente nos play-off, inclusive nunca tendo ficado pela 1a ronda, isto em 13 participações consecutivas, sempre na conferência Este, a menos competitiva, mas também nunca falhando o objectivo, nem nunca sequer tendo ficado cedo pelo caminho.

Nessa odisseia, LeBron James chegou às finais por 9 vezes, 8 delas consecutivas, desde 2011 a 2018, tendo ganho 3 dessas finais, em 2012, 2013 e 2016, e tendo chegado às finais de conferência por mais 1 ano em 2009.

LeBron James conseguiu esse registo por 2 equipas, Cleveland Cavaliers e Miami Heat, primeiro nos Cavaliers, depois nos Heat, a quem de juntou em 2010, para voltar aos seus Cavaliers em 2014.

Nos seus primeiros anos em Cleveland LeBron James conseguiu a proeza de tornar os Cavs numa equipa a ter em conta na conferência Este, apenas com outro grande jogador, o poste Lituano Zydrunas Ilgauskas, que foi all-star antes de LeBron James. Com o passar do tempo os Cavs iam sendo das equipas com melhor registo na conferência, e outros bons jogadores como Ben Wallace, Mo Williams ou Delonte West juntaram-se a LeBron nos Cavs, isto e já depois de LeBron James ter conseguido o pequeno milagre de ter chegado a uma final em 2007 contra os Spurs, que perderia 4-0, fizeram de LeBron James definitivamente um dos maiores jogadores do Mundo e candidato ao MVP, que ganharia pela 1a vez em 2009, já com esses jogadores nos Cavaliers, e tendo o melhor registo da sua conferência e de toda a NBA.

Contudo, com os Cavs não conseguiu mais ir a uma final da liga, perdendo essa oportunidade para os Magic nas finais de conferência de 2009, apesar de em 2010 os Cavs terem sido a melhor equipa da fase regular outra vez, o que valeu a King James o seu 2° prémio de MVP da fase regular.

LeBron James queria a glória absoluta na NBA, que é acima de tudo ganhar títulos, e para isso tomou a famosa decisão. Em 2010 era anunciado em plena televisão que LeBron James estava a caminho dos Miami Heat.

Com os Miami Heat, LeBron James talvez tenha tido os melhores anos da sua carreira, não falhando as finais da NBA em nenhum ano, e formando com Dwyane Wade e Chris Bosh um dos melhores trios de sempre, tendo ainda outros nomes mais veteranos, mas muito úteis, como Ray Allen, já na parte final da sua passagem por Miami. Foi MVP da fase regular em 2012 e 2013 último ano em que venceu o prémio. O treinador talvez tenha sido o melhor da carreira dele, Erik Spoelstra, que já tinha sido campeão em 2006, como adjunto de Pat Riley.

De Miami, a única nódoa que fica foi o apagão que teve nas finais de 2011 contra os Dallas Mavericks, uma equipa já de veteranos, e em que Jason Terry, um jogador saído do banco, marcou mais pontos que ele nas finais, para além dos 8 pontos no 4° jogo da série, que marcou uma viragem nas finais.

Após a derrota sem espinhas contra os muito superiores Spurs em 2014, LeBron James decidiu voltar a casa, aos Cleveland Cavaliers. Desta vez LeBron James era já um jogador com 2 títulos, 2 MVPs de finais, 4 MVPs da fase regular, e candidato a a defensor do ano.

Na sua 2a passagem por Cleveland LeBron não desiludiu, sendo um jogador já menos fulgurante na fase regular, menos participativo na defesa, mas que chegando aos play-off dava o melhor de si, e conseguia feitos inacreditáveis.

Com Kyrie Irving e Kevin Love, conseguiu derrotar os tidos como imbatíveis Golden State Warriors, que tinham feito uma época regular de recorde, com 73-9, este talvez tenha sido o maior feito da carreira de LeBron James.

Nos anos seguintes, os Cavaliers de King James lá marcaram presença nas finais, em 2017 ainda com Kyrie, mas os Warriors com Durant eram fortes demais. Talvez a sua melhor exibição num jogo de finais tenha sido na sua última época nos Cavs, em 2018 no 1° jogo, quando após prolongamento marcou 51 pontos aos Warriors, apesar de ter perdido esse jogo, o primeiro de 4 jogos ganhos sem resposta pelos Warriors.

Ao juntar-se aos Lakers LeBron James corria um sério risco de ver a sua longa série de finais e play-offs consecutivos chegar ao fim. Não apenas pela maior competitividade no Oeste, mas porque os Lakers eram uma equipa que não chegava aos play-off desde 2012/2013, na altura com Kobe Bryant.

Nos 1°s jogos confirmou-se que os Lakers iam lutar apenas por um lugar nos play-off, depois o calendário mais acessível, e um pico de forma da equipa até ao natal, levou muitos a pensar que os play-off estavam garantidos, e que era possível com LeBron James em modo play-off levar a equipa longe nos play-off, isto apesar do registo ser de 19-14 e de muitas equipas estarem separadas por poucos jogos, do 4° lugar ao 10°. Mas chegou a lesão de LeBron James, e uma série de derrotas para os Lakers, e nem com o regresso do rei as coisas mudaram, com um calendário difícil a colocar a nú o verdadeiro valor desta equipa. Pelo meio houve a novela Anthony Davis, que terminou com o jogador a continuar no Pelicans, os Lakers a pagarem multa e com os jovens da equipa de Los Angeles muito desmotivados.

Agora, o objectivo dos Lakers é planearem a próxima época, e evitarem os mesmos erros, falando-se de mudança de treinador, outro calcanhar de aquiles na carreira de LeBron James, a fama de ser ele a decidir os jogadores com quem joga e os seus treinadores.

Resta saber se, com o objectivo dos play-off falhado, o legado de LeBron James segue intacto, isto sendo que das 2 vezes que falhou os play-off era ainda inexperiente e adolescente, enquanto agora é como jogador mais bem pago do Mundo que falha esse objectivo. Isto para além das críticas à falta de defesa no seu jogo.

Márcio Dias

Natural e residente do Porto Licenciado em Línguas, literaturas e culturas na FLUP Fã de múscia, cinema e literatura, apaixonado por desporto e em particular por basquetebol

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *