Cleveland Cavaliers Pós-LeBron

Realmente aconteceu, LeBron James saiu de Cleveland, de novo, desta vez numa situação totalmente diferente e com o sentido de dever cumprido por ter trazido um título à cidade que não vencia nada há mais de 50 anos, mas e agora, sem o King, como será a temporada do Cleveland Cavaliers?

Dan Gilbert deixou claro com a troca de Kyrie Irving que se prepararia para uma eventual saída de LeBron, ele não queria ver o time sofrer como sofreu na temporada 2010-11, quando o time venceu apenas 19 jogos e chegou a ter 26 derrotas consecutivas, o dono não contava com a saída de sua maior estrela e a decisão de LBJ deixou o time em uma situação complicada. Entretanto desta vez Dan Gilbert não tem um roster ruim como aquele em 2010-11, e devido à escolha do Brooklyn Nets adquirida na troca de Kyrie com o Boston Celtics, o time de Ohio selecionou na 8ª escolha do draft o armador Collin Sexton, de Alabama, universidade onde teve médias de 19.2 PPJ/3.8 RPJ/3.6 APJ com 44% de aproveitamento nos arremessos e 33% de 3 pontos. O armador de 1.88 mostrou ser bem atlético, infiltrando rapidamente e finalizando com as duas mãos, ainda precisa melhorar o seu arremesso, mas uma outra característica bem positiva destacada no seu Draft Profile é a de ser um hard worker, um jogador que dá o seu máximo no jogo inteiro. Cleveland deve definitivamente ficar animada com Sexton, o novato tem personalidade e é um dos candidatos fortes ao prêmio de Rookie of The Year.

Kevin Love chegou à Cleveland em 2014 como um dos melhores Ala-Pivôs da liga naquela época, em 2013-14, pelo Minnesota Timberwolves, ele teve médias de 26.1 PPJ/ 12.5 RPJ/4.4 APJ e foi selecionado ao All-NBA Second Team. Entretanto ao chegar nos Cavaliers, Love viu seu papel se tornar muito menor do que em Minnesota, devido à presença de LeBron e Irving, Love acabou se tornando a terceira opção ofensiva do time, parecido com o que aconteceu com Chris Bosh quando foi para Miami, os dois eram jogadores muito presentes no post game e quando mudaram de time viraram praticamente apenas um stretch big(Ala-Pivô ou Pivô que arremessa do perímetro, espaçando a quadra com objetivo de liberar espaço no garrafão), consequentemente os números de Love caíram muito comparado aos anteriores,e assim as críticas vieram, sobre como Kevin nunca realmente conseguiu performances em Cleveland como as de Minnesota. A verdade é que agora ele terá sua chance de mostrar que ainda pode ser o jogador que era com os Timberwolves, nessa temporada ele terá mais oportunidades de arremesso e quem sabe voltará a ser mais presente dentro do garrafão e voltando a trabalhar mais de costas para a cesta, acho que ele conseguirá médias mais altas e terá algo em torno de 22 PPJ e 12 RPJ.

 

Na Trade Deadline da temporada passada, os Cavs tiveram vários jogadores do seu elenco trocados, o time ficou mais jovem, atlético e parecia que agora talvez tivessem melhorado completamente, mas não foi bem assim que aconteceu, a maioria – pra não dizer todos – dos jogadores adquiridos tiveram atuações abaixo do esperado na temporada regular e nos Playoffs, onde LeBron teve de ativar o modo Superman para levar o time as Finais da NBA. Mas agora sem LeBron James, sem toda aquela pressão de precisar vencer e de competir por um título, jogadores como Rodney Hood, Jordan Clarkson e Larry Nance Jr. têm uma segunda chance de mostrarem a que vieram à Cleveland. Outro jogador interessante e xodó da torcida dos Cavs, o jovem Cedi Osman de 22 anos, com 2.03 de altura e jogando na posição de Ala, o turco nos poucos minutos que teve na temporada mostrou grande disposição e energia nos dois lados da quadra, ganhando as graças da torcida de Ohio e a deixando com grandes expectativas para a temporada 2018-19 quando deve ter mais tempo de jogo.

Após a saída de LeBron, Dan Gilbert quer manter o time competitivo e não pretende ter o tank (time que vence poucos jogos e busca pegar altas escolhas no draft) como objetivo, renovou o contrato de Kevin Love até 2022-23 e o elenco tem bons jogadores jovens e alguns veteranos que podem ajudar no desenvolvimento dos mais inexperientes. Apesar de LeBron James ter sido sobrecarregado na temporada passada, os Cavaliers têm uma chance boa de irem aos Playoffs com os jogadores que permaneceram junto com os que foram contratados, acredito que o time possa pegar a última vaga da Conferência Leste com a liderança de Kevin Love e cheguem a vencer aproximadamente 42 jogos, como o 8º colocado no Leste venceu 43 jogos temporada passada, os Cavs devem lutar por essa vaga também com os Pistons e têm boas chances desta vez de voltarem aos Playoffs sem LeBron James, algo que não acontece desde 1997-98.

Leia este artigo também em: Cleveland Pós-LeBron

E outros textos também em: Small Ball Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *